Apresentação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome oficial do curso: Bacharelado em Engenharia de Minas
Tempo de duração: 10 períodos (5 anos)
Curiosidade: Campus Regional de Juruti da UFOPA oferece um dos dois únicos cursos de engenharia de minas da região norte do Brasil.

 

A mineração é uma das maiores provedoras de matérias-primas para a sociedade. Os recursos minerais extraídos por meio dessa atividade são essenciais para a manutenção das necessidades básicas do ser humano. Qualquer atividade humana depende, de alguma forma, dos bens minerais. Esses bens são insumos básicos para os setores de: transporte, tecnologia, eletricidade, saneamento, infraestrutura urbana, habitação, saúde, alimentação e indústrias em geral e são extraídos do subsolo e colocados à disposição para o uso do consumidor ou das indústrias da cadeia produtiva por meio de técnicas da Engenharia de Minas. Segundo o IBRAM (Instituto Brasileiro de Mineração) a Indústria Mineral contribuiu COM 64 % da balança comercial Brasileira em 2020. Perspectivas da área: a Amazônia é a nova fronteira da exploração mineral no Brasil. A região será a principal fonte de crescimento para as mineradoras do país.

 

O engenheiro de minas é o profissional que objetiva realizar a mineração sustentável e com responsabilidade socioambiental.
São áreas de estudo do engenheiro de minas:

1 -Desenvolve conhecimentos na área de lavra (extração das substâncias minerais de valor econômico),
2 -Beneficiamento mineral (altera a granulometria e concentra o bem mineral para atender as demandas do mercado) e
3 -Desenvolvimento sustentável através de práticas como a reutilização de água nos processos produtivos e tratamento de rejeito da mineração como a disposição a seco (dispensando o uso de barragens).


A mineração possui um papel importante na geração de emprego e renda e no desenvolvimento regional e municipal. Diversos municípios paraenses têm crescido por abrigar empreendimentos mineiros, principalmente os empreendimentos de grande porte. Estes, atraem mão de obra, movimentam o comércio local, atraem empresas prestadoras de serviços e acrescentam ao município recursos vultuosos pelo pagamento de royalties. Um exemplo de município paraense que contém um empreendimento nesse modelo é Juruti - PA.


Em Juruti está um dos maiores depósitos de bauxita do mundo, sob concessão da empresa mineradora Alcoa World Alumina Brasil Ltda. A implantação do empreendimento ocorreu no ano de 2005 com a instalação da infraestrutura, possibilitando no ano de 2009 o início da produção do minério (FERNANDES; ALAMINO; ARAÚJO, 2014). Ao longo dos dez anos de atividade de lavra, aproximadamente, 50 milhões de toneladas de minério foram extraídos, o que elevou Juruti ao terceiro maior produtor de bauxita do Brasil, ficando atrás dos, também paraenses, municípios de Oriximiná (1º) e Paragominas (2º) (DNPM, 2016). Dentre as transformações ocorridas no município e fomentadas por meio da atividade mineira, a educação merece destaque. Somente em meados dos anos 2000 ocorreu a implantação da primeira escola com ensino médio regular no município.

 

Atualmente, Juruti possui três escolas estaduais e uma de ensino particular que ofertam o ensino médio. Nessas escolas, aproximadamente, 436 discentes se formam anualmente no nível médio, os quais, egressos da educação básica, demandam crescentes vagas na educação superior (SECRETARIAS ACADÊMICAS DAS ESCOLAS DE JURUTI). A maioria desses discentes são de famílias pobres e com pouca escolaridade que, ao terminar o nível médio, encontram dificuldades em dar continuidade aos estudos, principalmente pelo fato de, até o ano de 2017, não existir uma universidade pública ofertando cursos regulares no município. Uma pesquisa elaborada com base nas duas primeiras turmas do curso de Engenharia de Minas de Juruti (com entradas em 2017.2 e 2018.2), mostrou que 83,5% dos discentes matriculados vêm de escolas públicas (SECRETARIA ACADÊMICA, 2018).

 

A presença de uma Universidade federal no município faz parte de um esforço governamental em fortalecer a Amazônia e reduzir suas desigualdades sociais por meio da implantação e da interiorização de instituições de ensino (como a Ufopa) e grupos de pesquisa que atuem na produção de conhecimento e no desenvolvimento regional. Em Juruti, a mineração emprega muitas pessoas, sendo um setor atrativo devido aos valores dos salários e vantagens oferecidas (VIVER JURUTI, 2018). Isso influencia os jovens concluintes do ensino básico a buscarem cursos que possibilitem sua entrada na mineradora. Por isso, membros da sociedade civil organizada demonstraram interesse na implantação do curso de Bacharelado em Engenharia de Minas. Somou-se a isso, o fato do curso poder contar com a parceria de empresas mineradoras que estão em sua área de influência.

Coordenação do Programa: MICHAEL JOSE BATISTA DOS SANTOS

Telefone/Ramal:

E-mail: michael.santos@ufopa.edu.br

Título do Profissional: BACHAREL EM ENGENHARIA DE MINAS Área de Conhecimento CNPQ: Engenharias Convênio Acadêmico : Nenhum conteúdo disponível até o momento Modalidade de Curso: Presencial Endereço Alternativo: https://sigaa.ufopa.edu.br/sigaa/public/curso/portal.jsf?id=302729793&lc=pt_BR&nivel=G
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Calendário Acadêmico.
  • 20/09/2021 - 27/09/2021 · Matrícula para o período 2021.1.
  • 13/09/2021 · Início do período letivo 2021.1.
  • 07/03/2022 - 14/03/2022 · Matrícula para o período 2021.2.
Notícias Veja abaixo as noticias referentes ao nosso Curso.
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1sigaa