Banca de DEFESA: OSEIAS SOUSA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: OSEIAS SOUSA DA SILVA
DATA: 16/05/2017
HORA: 19:00
LOCAL: ICED -UFOPA
TÍTULO: ESTRATÉGIAS DE LEITURA: ENSINANDO A FAZER INFERÊNCIAS
PALAVRAS-CHAVES: Estratégias de leitura, inferência, artigo de opinião.
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Língua Portuguesa
RESUMO: Este trabalho foi elaborado com objetivo de estimular o desenvolvimento de habilidades de leitura, mais precisamente no que se refere aos aspectos relacionados ao potencial de realizar estratégias de inferências, por alunos do nono ano do ensino fundamental de uma escola pública de Santarém. E que não somente aprendam a inferir, mas que também passem a controlar e a dominar melhor, ou seja, a ter uma melhor percepção desse tipo de ação. Dados apresentados por órgãos nacionais, internacionais e, principalmente, aquelas atividades apresentadas pelo professor no cotidiano escolar comprovam a dificuldade dos alunos brasileiros, dentre os quais se situam os alunos da escola onde desenvolvemos o projeto, em compreender o texto escrito, mais precisamente quando a compreensão textual envolve as informações que estão implícitas nas quais é necessário recorrer a processos inferenciais. Pretendo, portanto, fazer com que por meio de um movimento sistemático e consciente por parte do leitor de, ao fazer a leitura, tomar consciência e valorizar o processo de inferência como uma forma de apropriação mais densa do texto de maneira consciente, em condições reais de aula, de maneira a promover o desenvolvimento de sua capacidade leitora pelo controle e uso das inferências em diferentes níveis. A classificação das inferências eleita para nortear a pesquisa foi a que propôs Gutiérrez-Calvo (1999), a saber, as inferências lógicas, as elaborativas e as avaliativas. O projeto de intervenção é essencialmente qualitativo e foi dividido em duas partes. Na primeira, tivemos o objetivo de ensinar aos alunos o que é inferência, partindo de exemplos do dia a dia, e para os exercícios utilizamos alguns gêneros textuais que por natureza pressupõem o uso de inferências para que seja compreendido, como por exemplo, a charge. Para o desenvolvimento da segunda parte da metodologia, desenvolvemos uma sequencia didática com intuito de fornecer subsídios para a produção de inferências na ultima etapa. Finalmente, foi escolhido um texto do gênero artigo de opinião de um livro didático em uso na escola, com um tema de interesse dos alunos de duas turmas do nono ano. Em seguida, as questões de compreensão textual, apresentadas no próprio livro, foram enquadradas nos três tipos de inferências acima descritos e para produzir uma inferência eficaz os alunos deveriam valer-se das pistas linguísticas apresentadas pelo texto, do seu conhecimento sobre o tema adquirido em etapas anteriores, da ação de operar conscientemente com o texto, além do auxílio do professor no desenvolvimento das estratégias de leitura. Dessa forma, a compreensão textual pode ser facilitada porque em consonância com o pensamento de Marcuschi (2008, p. 268) tal procedimento deixa de ser uma “atividade de garimpagem” e passa a ser “uma atividade reflexiva”.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1190492 - HELIUD LUIS MAIA MOURA
Interno - 1776813 - LUIZ PERCIVAL LEME BRITTO
Externo ao Programa - 324704 - EDILAN DE SANT ANA QUARESMA
Notícia cadastrada em: 04/05/2017 10:15
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1