Banca de QUALIFICAÇÃO: MAIARA SILVANA SALGADO BATISTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIARA SILVANA SALGADO BATISTA
DATA: 18/12/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 319, Unidade Amazônia
TÍTULO: Exposição ao Mercúrio em Crianças com Transtorno do Espectro do Autismo no Município de Santarém, Pará.
PALAVRAS-CHAVES: Autismo, crianças, Mercúrio, Metilmercúrio, Neurotoxidade, Exposição Ambiental
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO: O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) configura-se como uma alteração neurológica presente desde o início da infância, acarretando déficits nas áreas de interação social, comunicação e linguagem. Apresenta etiologia ainda desconhecida, porém várias linhas de pesquisas já indicam que fatores genéticos, ambientais e imunológicos podem desempenhar um papel importante na patogênese do TEA, sugerindo uma forte correlação entre a exposição ao mercúrio (Hg) e o autismo. O Hg é um metal pesado altamente neurotóxico, sendo sua forma orgânica, o Metilmercúrio (MeHg), o mais tóxico e mais comum encontrado no meio ambiente e na cadeia alimentar aquática, sendo incorporado ao organismo humano através do consumo do peixe contaminado. As sequelas causadas pela exposição ao Hg, incluem as disfunções imunes, sensoriais, neurológicas, motoras e comportamentais que se assemelham as disfunções neurológicas encontradas no TEA.Sabe-se que na Amazônia, por seu histórico de garimpagem e desmatamento, a exposição ao Hg é considerada crônica, tornando-se importantes as pesquisas que investigam a relação entre exposição ao mercúrio e o transtorno do espectro do autismo nessa região. A população deste estudo consistirá em em crianças com diagnóstico fechado de autismo que estejam inseridas e ou assistidas na APAE e na Casa azul, e crianças do grupo controle sem qualquer alteração neurológica. A análise do Hg total será realizada através do sangue dessas crianças bem como das mães. Será aplicada uma entrevista semi-estruturada com essas mães afim de se investigar as possíveis fontes de exposição e acúmulo do Hg, além de outros tópicos relacionados ao período pré, peri e pós-natal capazes de interferir no diagnóstico do TEA. Para a avaliação do perfil e grau de autismo (leve ou moderado e severo) será aplicada a Escala de Avaliação do Autismo - Childhood Autism Rating Scale. As variáveis desse estudo serão correlacionadas através dos teste de Correlação de Spearman, adotando-se o p≤0.05 e da estatística multivariada, utilizando o teste de Regressão Linear Simples. Desse modo, espera-se com a presente pesquisa, ampliar o conhecimento sobre os efeitos da exposição ao mercúrio no desenvolvimento neurológico de crianças autistas, além de fornecer dados relevantes que contribuirão para traçar o perfil dessas crianças, proporcionando assim, conhecimento sobre possível relação dessa exposição com o TEA bem como a relação do grau de gravidade.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2142681 - BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
Externo ao Programa - 2383596 - HELOISA DO NASCIMENTO DE MOURA MENESES
Interno - 1562643 - MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
Externo à Instituição - SILVÂNIA YUKIKO TAKANASHI - UEPA
Notícia cadastrada em: 12/12/2018 16:03
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1