Banca de DEFESA: MARCELIA CASTRO CARDOSO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELIA CASTRO CARDOSO
DATA: 08/11/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 319 na Unidade Amazônia
TÍTULO: TRANSFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E ESPAÇO NATURAL: O CASO DO LAGO DO JUÁ, SANTARÉM/PA
PALAVRAS-CHAVES: Ações antropogênicas; Ecossistemas aquáticos; Expansão urbana; Percepção Ambiental; Territórios Amazônicos.
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO: As questões ambientais e sociais por muito tempo foram tratadas de maneira separada e isolada, embora na maioria das vezes estejam em estreita conexão e interdependência, tendo em vista que a degradação ambiental na maioria das vezes está associada às ações antrópicas, que afetam social e ambientalmente a vida em diferentes ecossistemas. A interação entre atores sociais e espaço natural leva a transformações socioambientais amplas, dinâmicas e complexas. Ao longo do crescimento e desenvolvimento urbano do município de Santarém/PA, muitas áreas de interesse ambiental estão localizadas na malha urbana e encontram-se vulneráveis as diversas ações antrópicas que contribuem para degradação ambiental dessas áreas. A exemplo tem-se o Lago do Juá, localizado à margem da Rodovia Engenheiro Fernando Guilhon e do Rio Tapajós. O lago na perspectiva de sua localização geográfica configura-se numa área de interesse ambiental sendo fundamental sua proteção pois ele faz parte de um ecossistema, envolvendo meio biótico e abiótico, com biodiversidade característica, abundante principalmente na área da pesca com diversidade da ictiofauna, o que faz do lago um território pesqueiro legitimado com importância ecológica e socioeconômica reconhecida no município de Santarém. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho é compreender as mudanças históricas e espaciais que levaram as atuais transformações socioambientais no Lago do Juá em Santarém – PA. Esta pesquisa se caracteriza por seu caráter exploratório e descritivo alicerçada em uma abordagem quantitativa no âmbito dos dados sociais, ambientais e demográficos, e de uma abordagem qualitativa no que tange à percepção da população quanto ao objeto em estudo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com moradores e pescadores locais e áreas de influência ao lago, também se realizou coletas e análises de testemunhos de sedimentos para comparar dados sedimentológicos com as informações sobre as mudanças de uso do solo, segundo os moradores do entorno do Lago do Juá. Ações antrópicas desenvolvidas no local e adjacências impuseram impactos ambientais sobre a flora, perda de habitats para a fauna terrestre e aquática, exposição do solo arenoso à erosão, assoreamento do lago como consequência dentre outros da vegetação suprimida e do transporte e deposição dos sedimentos carreados para o leito do lago, contribuindo na queda da qualidade de vida das pessoas e do ambiente.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1964235 - HELIONORA DA SILVA ALVES
Interno - 2143267 - JOSE MAX BARBOSA DE OLIVEIRA JUNIOR
Interno - 1776327 - THIAGO ALMEIDA VIEIRA
Externo ao Programa - 1795814 - IZAURA CRISTINA NUNES PEREIRA COSTA
Notícia cadastrada em: 31/10/2018 16:47
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1