Banca de DEFESA: HAROLDO ARAÚJO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HAROLDO ARAÚJO DA SILVA
DATA : 24/09/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Via Zoom - https://us02web.zoom.us/j/86567832295?pwd=dmtQcTRiS01uQVRKLzhBWHdCQnd5QT09
TÍTULO:

ESTUDOS FITOQUIMICO, ANTIOXIDANTE E MICROBIOLÓGICO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum Schum.) DA AMAZÔNIA. 


PALAVRAS-CHAVES:

Bioprospecção; fitoquímica; tecnologia de alimentos; molecular networking.


PÁGINAS: 60
RESUMO:

A diversidade de plantas das florestas tropicais da Amazônia verificada taxonomicamente reúne 14.003 espécies das quais 6.727 são árvores incluindo o cupuaçu (Theobroma grandiflorum Schum.) cujo valor agregado está na polpa e na amêndoa que compõe o fruto usado na indústria de alimentos e cosméticos. Entretanto, com a crescente exploração há um aumento expressivo do volume de resíduos orgânicos gerados decorrentes do processamento agroindustrial, o que gera um problema ambiental, principalmente no Pará, principal produtor brasileiro dos frutosdo cupuaçu. Os estudos com foco nesses resíduos são escassos, por isso objetivamos analisar os resíduos agroindustriais de T. grandiflorum pela via fitoquímica e das atividades biológicas visando produtos bioativos. A caracterização fitoquímica foi obtida pela quantificação dos compostos fenólicos totais, flavonoides totais e taninos condensados. Nos ensaios biológicos a atividade antioxidante foi avaliada pelos métodos de DPPH e ABTS e atividade antimicrobiana determinada pelo método de difusão em poços para a determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM). A caracterização química foi realizada por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência acoplada a um detector de arranjo de foto-diodos (HPLC-PDA), Cromatografia Líquida de Alta Eficiência acoplada a um Espectrômetro de Massas (HPLC-ESI-MS/MS) e anotações de compostos químicos pela rede Molecular Networking. Os resultados obtidos mostraram o fruto com peso médio de 1146,2 g, correspondendo a 37,3 % de epicarpo, 36,4 % de mesocarpo, 22,6 % de endocarpo e 3,7 % de fibra central. Na caracterização fitoquímica as sementes e cascas obtiveram maior concentração de compostos fenólicos sem apresentar diferença estatística, no entanto a semente se destacou por apresentar maiores teores de flavonoides e taninos condensados, em relação as demais partes do fruto. Na atividade antioxidante a casca apresentou maior captura dos radicais DPPH e ABTS que as demais amostras, o que conduziu aos extratos etanólico e hidroalcóolico a partir dos resíduos das cascas que na caracterização química por HPLC-PDA apresentou bandas majoritárias no comprimento de onda λ=270 nm característico de taninos condensados. As análises por HPLC-ESIMS/MS caracterizaram 19 substâncias e, apresentaram íons de maior intensidade com m/z 341 característico do composto ácido cafeico 3-glucosídeo e o íon m/z 289 sugestivo de massa de catequina para os extratos hidroalcóolico e etanólico, respectivamente. As análises por redes moleculares anotaram 13 substâncias correlacionadas com ambos os extratos correspondentes à classe dos ácidos fenólicos e flavonoides. Após a caracterização os extratos foram testados frente a atividade antimicrobiana com resultado positivo para os extratos hirdroalcóolicos nas cepas S. aureus, Salmonella sp, e E. coli. Enquanto o extrato etanólico foi ativo apenas frente a Salmonella sp. Este estudo inédito identificou compostos fenólicos da casca de cupuaçu com potencial antioxidante e antimicrobiano, e a estratégia de combinação das técnicas de HPLC-ESI-MS/MS e Molecular Networking possibilitou uma interpretação rápida e otimizada dos dados gerados da desreplicação de extratos das cascas de T. grandiflorum.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1496075 - BRUNO ALEXANDRE DA SILVA
Externa à Instituição - ISABELLA CRISTHINA GONÇALVES COSTA - UFOPA
Presidente - 152.758.687-15 - LAURO EUCLIDES SOARES BARATA - UFOPA
Interno - 1739961 - MANOEL ROBERVAL PIMENTEL SANTOS
Notícia cadastrada em: 22/09/2020 17:00
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2