Banca de DEFESA: CLARA CORRÊA MARINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLARA CORRÊA MARINHO
DATA: 06/12/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório Wilson Fonseca - ICED
TÍTULO: TRABALHANDO A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO 9º ANO FUNDAMENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Língua portuguesa; variação linguística; ensino de língua.
PÁGINAS: 83
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Sociolingüística e Dialetologia
RESUMO: Esta dissertação versa sobre um estudo de caráter experimental realizado com alunos do 9º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Antônio Belo de Carvalho, sobre variação linguística. Para tanto, desenvolvemos um projeto interventivo inspirado nas sugestões indicadas por Castilho (2014) no âmbito da pesquisa acerca da diversidade do português brasileiro. O objetivo central foi verificar como uma proposta interventiva sobre variação linguística poderia influenciar para uma mudança na concepção de língua dos alunos. Para isso, construímos e testamos nosso próprio produto didático, um pequeno guia composto de textos e atividades relacionadas a cada tema norteador. Através da pesquisa-ação realizamos o trabalho a partir de dois momentos distintos. Na etapa teórica, os alunos-pesquisadores participaram de cinco encontros temáticos, a saber: De onde vem a língua que falamos? Ser brasileiro é falar só português? A variação linguística, Linguagens paraenses, Norma culta: uma necessidade social. Já na etapa prática, os alunos-pesquisadores foram a campo e, sob nosso acompanhamento e supervisão, realizaram visitas a lugares diversos (como o asilo, a feira, o instituto cultural Boanerges Sena e a Câmara de vereadores) entrevistando informantes e gravando as interações para posterior transcrição.O resultado da pesquisa de campo dos alunos foi discutido durante Rodas de conversas e registrado individualmente no Diário de bordo que assim como nosso Caderno de atividades (produto didático) subsidiaram as análises contidas nesta dissertação.Com com o encerramento de nossa intervenção, constatamos que o olhar dos alunos-pesquisadores sobre a língua foi sensivelmente impactado por tudo que vivenciaram . Os depoimentos nos diários de bordo indiciaram não apenas o reconhecimento do fenômeno da variação como elemento natural da língua, mas também uma tendência para o respeito linguístico diante de formas tidas como estigmatizadas pela tradição gramatical. Do ponto de vista linguístico, essa nova postura a partir da intervenção representa um passo importante que corrobora a pertinência e a necessidade de um ensino de língua ensejado pela reflexão, pela observação de fenômenos como a variação e finalmente pelo respeito ao outro. O trabalho fundamentou-se nos pressupostos teóricos da Sociolinguística e teve como escopo dar destaque a variação como forma de refletir sobre a própria língua, sobre sua heterogeneidade e sobre as ideologias e preconceitos que por ela são transmitidos.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1260786 - EDIENE PENA FERREIRA
Interno - 1776813 - LUIZ PERCIVAL LEME BRITTO
Interno - 1777643 - ROBERTO DO NASCIMENTO PAIVA
Externo à Instituição - MARILUCIA BARROS DE OLIVEIRA - UFPA
Notícia cadastrada em: 21/11/2017 18:49
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2