Banca de DEFESA: ADALZINDA PINTO ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADALZINDA PINTO ARAÚJO
DATA : 09/12/2019
HORA: 10:00
LOCAL: AUDITÓRIO WILSON FONSECA - CAMPUS RONDON
TÍTULO:

GÊNEROS E ATIVIDADES DIDÁTICAS INTEGRADAS (ADIs): UMA PROPOSTA DE ENSINO NA CONCEPÇÃO DIALÓGICA DE LINGUAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II


PALAVRAS-CHAVES:

Gênero; Ensino de língua portuguesa; Atividades Didáticas Integradas; linguagem; dialogismo


PÁGINAS: 149
RESUMO:

A presente pesquisa surgiu de uma inquietação minha como professora-pesquisadora no ambiente de ensino – as dificuldades apresentadas pelos alunos para expressar de forma fundamentada, por meio dos gêneros discursivos escritos e/ou orais públicos. Com intuito de contribuir para o fortalecimento do ensino de língua portuguesa e a aprendizagem significativa dos alunos tem-se como objeto desse estudo, a proposta de ensino Atividades Didáticas Integradas (ADIs) elaborada por Moura (2017), que integra os espaços de linguagem oralidade, leitura, escrita e reflexão linguística contidos nos gêneros discursivos. No aporte teórico apoio-me nos postulados de Bakhtin (2011, 2016, 2017); Volóchinov (2017); Vygotsky (2008, 2018) para a compreensão de linguagem, gênero discursivo, enunciado e dialogismo como elementos de interação entre sujeito-aluno, sujeito-professor e o objeto do conhecimento. Seguindo, considero os estudos de Moura (2016, 2017, 2018); Brait (2018); Faraco (2009); Rego (2012); Kleiman (1999,1995, 2008); Fiorin (2011); Marcuschi (1997, 2007, 2008) e Antunes (2016). O resultado desta pesquisa encontra-se compilado neste trabalho: no 1º capítulo, discuto a compreensão de linguagem, gênero discursivo e dialogismo entre sujeito-aluno, sujeito-professor e o objeto do conhecimento que gera aprendizagem com base no postulado dos referidos autores. No 2º capítulo, apresento uma reflexão sobre as ADIs, as suas características e perspectivas para a prática de ensino. No 3º capítulo, apresento a metodologia da pesquisa. Apoiada nos estudos de Thiollent (1986), a pesquisa-ação norteia a prática interventiva nas turmas de 6º ano de uma escola estadual, no interior do Amazonas. No 4º capítulo descrevo as atividades de intervenção pedagógica, assim como a análise e a interpretação dos resultados. Os dados analisados demonstram que ao integrar os espaços de linguagem aos temas que emergem dos gêneros discursivos, os alunos passam a interagir mais nas discussões. A reflexão linguística, a partir da produção escrita do aluno, reflete sobre o contexto de uso da língua. Nas considerações finais, apresento as principais situações detectadas no ambiente pesquisado e algumas proposições e indagações.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1190492 - HELIUD LUIS MAIA MOURA
Interno - 1776813 - LUIZ PERCIVAL LEME BRITTO
Externa à Instituição - ELIANE PEREIRA MACHADO SOARES - UNIFESSPA
Notícia cadastrada em: 11/11/2019 17:24
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2