Banca de DEFESA: FRANCENILCE SILVA DE PAULA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCENILCE SILVA DE PAULA
DATA: 24/09/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 319, Unidade Amazônia
TÍTULO: CENÁRIOS CULTURAIS DO BAIXO AMAZONAS NA OBRA “O CORONEL SANGRADO” DE INGLEZ DE SOUZA: UMA LEITURA EPISTEMÓLOGICA DO ROMANCE
PALAVRAS-CHAVES: Epistemologia. Romance. Literatura. Amazônia. Cultura.
PÁGINAS: 108
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO: A presente dissertação evoca percepções e debates conceituais de cultura dentro dos aspectos da matutice e da civilidade do povo Amazônida, a partir do imaginário popular Obidense, no oeste paraense, e do discurso literário de Inglez de Souza, na Obra “O Coronel Sangrado”, escrita no século XIX. O texto romanesco de Souza foi analisado à luz da epistemologia do romance tendo como eixo epistêmico “a cultura”, uma vez que o autor nessa obra utiliza-se de seus personagens por meio de prosa ficcional para enveredar no escopo da vida e do jeito de ser do povo da Amazônia, e sua relação tão peculiar com a floresta, forjando assim uma possível condição humana amazônida de ser, entrelaçada de culturas. A abordagem de natureza teórica de investigação documental e bibliográfica nos levou a apresentar por meio de decomposição textual da obra romanesca – serio ludere – traços que permitem o entendimento de qual ou quais os conceitos de cultura utilizados direta ou indiretamente por Inglez de Souza em O Coronel Sangrado, bem como a forma de Souza evidenciar hábitos de cultura amazônica quanto a relações de poder em disputas por terras, entre fazendeiros cacaulistas e o povo que mora na floresta durante o século XIX, relações conflituosas de amor, fatores sociais e outros pontos que sem a percepção do conceito de cultura que Inglez de Souza propõe seria dificultoso o entendimento da obra. O aprofundamento da pesquisa feita por meio da epistemologia do romance e da leitura estética do texto apresentou resultados bastante válidos. Neste sentido, a epistemologia e a estética utilizadas como instrumentos de investigação se mostraram eficazes. Sem elas, a imersão nos cenários culturais do Baixo Amazonas descritos em “O Coronel Sangrado” não alcançaria o objetivo maior deste estudo, apresentar a matutice como categoria social de cultura na e da Amazônia.
MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1216516 - EDIVALDO DA SILVA BERNARDO
Presidente - 1794508 - ITAMAR RODRIGUES PAULINO
Externo à Instituição - MARIA VERALICE BARROSO - UnB
Externo ao Programa - 1182093 - TEREZINHA DE JESUS DIAS PACHECO
Notícia cadastrada em: 19/09/2018 15:49
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1