Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFOPA

2019
Dissertações
1
  • THIAGO CÉSAR DE SOUSA BORGES
  • A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO PARÁ: UMA ANÁLISE DO USO MÚLTIPLO DA ÁGUA NA REGIÃO de santarém e suas implicações

  • Orientador : RUBENS ELIAS DA SILVA
  • Data: 30/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente os ecossistemas aquáticos estão cada vez mais vulneráveis as ações humanas e aos grandes impactos resultantes das mesmas, e isso pode ser observado em escala global, principalmente pelo fortalecimento das grandes indústrias e o aumento na diversificação dos meios/modos de produção, onde praticamente todos utilizam da água como matéria principal para a sua realização. O aumento da população mundial e junto com ele o aumento do consumo de água, também pode ser visto como uma das problemáticas envolvendo a água na atualidade. O aumento acelerado da demanda de recursos hídricos cria, inicialmente, o problema da escassez quantitativa do recurso, sendo que, concomitantemente, diminui a qualidade das águas pelo aumento da população. Este aumento produz um incremento na industrialização, no uso de agrotóxicos na agricultura e no uso inadequado do solo e da água. As águas poluídas pelas atividades antropogênicas retornam com qualidade inferior aos corpos d’água1 de que foram retirados. (BICUDO, TUNDISI, SCHEUENSTUHL, 2010, pág. 16). Na Amazônia são inúmeros os problemas envolvendo a água, dentre eles podemos citar, a criação de novas hidrelétricas, o lixo que é jogado nos rios, o desrespeito ao período de reprodução dos peixes, a grande exploração dos recursos naturais, a falta de manejo tanto na agricultura quanto na pesca, o assoreamento dos rios que acabam por ocasionar grandes enchentes, e até mesmo o despejo dos esgotos de algumas cidades, como exemplo o munícipio de Santarém, situado na região oeste do Estado do Pará. Em Santarém, o aumento populacional levou a construção de núcleos habitacionais desordenados e sem saneamento básico. Esgotos sem nenhuma espécie de tratamento são lançados indiscriminadamente no rio e comprometem a saúde da população que utiliza a água para diversos fins. (MIRANDA, PEREIRA, OLIVEIRA, 2009, pág. 77) Atualmente a região do Oeste do Pará está sendo palco de grandes investimentos privados e governamentais, e o principal deles é o projeto de construção das hidrelétricas do Tapajós, projeto esse que afetará várias localidades da região e que demanda um grande estudo dos impactos ambientais e sociais. As construções de Estações de Transbordo de Cargas também fazem parte desses projetos voltados para a região e que futuramente serão instalados. Quando se trata do uso e a exploração do recurso água, o poder público é quem deve ser o principal mediador nessa questão, e isso deve ser feito por meio da criação de políticas públicas e dos comitês de bacias hidrográficas, tendo a população usuária da água um forte papel decisivo e crítico nessas construções. No entanto, a questão social também deve ser levada em consideração, pois são inúmeras as famílias afetadas pela exploração da água, e a maioria delas são ribeirinhas, os impactos causados pelos novos empreendimentos que estão acontecendo e ainda acontecerão na região amazônica são incontáveis. Uma série de fatores também devem ser levados em consideração, por exemplo de que forma vem sendo feita a utilização da água na região, seja para acumulação de riquezas, pra agricultura ou até mesmo para o meio urbano ou ribeirinho.

2
  • THIAGO CÉSAR DE SOUSA BORGES
  • A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO PARÁ: UMA ANÁLISE DO USO MÚLTIPLO DA ÁGUA NA REGIÃO de santarém e suas implicações

  • Orientador : RUBENS ELIAS DA SILVA
  • Data: 30/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente os ecossistemas aquáticos estão cada vez mais vulneráveis as ações humanas e aos grandes impactos resultantes das mesmas, e isso pode ser observado em escala global, principalmente pelo fortalecimento das grandes indústrias e o aumento na diversificação dos meios/modos de produção, onde praticamente todos utilizam da água como matéria principal para a sua realização. O aumento da população mundial e junto com ele o aumento do consumo de água, também pode ser visto como uma das problemáticas envolvendo a água na atualidade. O aumento acelerado da demanda de recursos hídricos cria, inicialmente, o problema da escassez quantitativa do recurso, sendo que, concomitantemente, diminui a qualidade das águas pelo aumento da população. Este aumento produz um incremento na industrialização, no uso de agrotóxicos na agricultura e no uso inadequado do solo e da água. As águas poluídas pelas atividades antropogênicas retornam com qualidade inferior aos corpos d’água1 de que foram retirados. (BICUDO, TUNDISI, SCHEUENSTUHL, 2010, pág. 16). Na Amazônia são inúmeros os problemas envolvendo a água, dentre eles podemos citar, a criação de novas hidrelétricas, o lixo que é jogado nos rios, o desrespeito ao período de reprodução dos peixes, a grande exploração dos recursos naturais, a falta de manejo tanto na agricultura quanto na pesca, o assoreamento dos rios que acabam por ocasionar grandes enchentes, e até mesmo o despejo dos esgotos de algumas cidades, como exemplo o munícipio de Santarém, situado na região oeste do Estado do Pará. Em Santarém, o aumento populacional levou a construção de núcleos habitacionais desordenados e sem saneamento básico. Esgotos sem nenhuma espécie de tratamento são lançados indiscriminadamente no rio e comprometem a saúde da população que utiliza a água para diversos fins. (MIRANDA, PEREIRA, OLIVEIRA, 2009, pág. 77) Atualmente a região do Oeste do Pará está sendo palco de grandes investimentos privados e governamentais, e o principal deles é o projeto de construção das hidrelétricas do Tapajós, projeto esse que afetará várias localidades da região e que demanda um grande estudo dos impactos ambientais e sociais. As construções de Estações de Transbordo de Cargas também fazem parte desses projetos voltados para a região e que futuramente serão instalados. Quando se trata do uso e a exploração do recurso água, o poder público é quem deve ser o principal mediador nessa questão, e isso deve ser feito por meio da criação de políticas públicas e dos comitês de bacias hidrográficas, tendo a população usuária da água um forte papel decisivo e crítico nessas construções. No entanto, a questão social também deve ser levada em consideração, pois são inúmeras as famílias afetadas pela exploração da água, e a maioria delas são ribeirinhas, os impactos causados pelos novos empreendimentos que estão acontecendo e ainda acontecerão na região amazônica são incontáveis. Uma série de fatores também devem ser levados em consideração, por exemplo de que forma vem sendo feita a utilização da água na região, seja para acumulação de riquezas, pra agricultura ou até mesmo para o meio urbano ou ribeirinho.

3
  • VALDECY DOS ANJOS DA SILVA
  • PROJETO DE ASSENTAMENTO AGROEXTRATIVISTA EIXO FORTE EM SANTARÉM-PA:  Cenários Dinâmicos de um Assentamento Diferenciado

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 30/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) foi criado pelo INCRA para ser destinado às populações tradicionais para exploração de riquezas extrativas, por meio de atividades economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis, cujas bases visam consolidar a sustentabilidade, por meio do uso dos recursos naturais com racionalidade aliado a conservação do meio ambiente. Tem como principal objetivo analisar a caracterização das dinâmicas produtivas e sustentáveis do PAE Eixo Forte sob a ótica das famílias assentadas, especificamente a partir da apresentação da evolução dos aspectos histórico-conceitual da reforma agrária em âmbito nacional regional e local, apresentando uma retrospectiva da evolução do processo com destaque aos marcos regulatórios legais, desde o descobrimento do Brasil até os dias atuais, traçando um panorama da questão agrária na Amazônia a partir do incentivo da ocupação da Amazônia pelos projetos de colonização governamental e, em seguida destaca-se a presença do PAE no Oeste Paraense, perpassando pelas legislações relativas a essa modalidade bem como explica como se deu a criação do assentamento diferenciado contextualizando-o sob os aspectos jurídicos e territoriais que fundamentam sua criação com destaque a função socioambiental do imóvel rural e as relações com a modalidade sustentável PAE no que concernem as bases teóricas que se relacionam com o assentamento, além de analisar as características básicas de conhecimento do perfil dos assentados e das práticas e sistemas produtivos que envolvem a agricultura familiar e o extrativismo e a inter-relação com a proposta do assentamento agroextrativista. A metodologia se fundamentou em um primeiro momento na pesquisa bibliográfica e em seguida pesquisa documental apoiados em materiais sobre a reforma agrária, documentos sobre a implantação de projeto de assentamento agroextrativista na região e o método usado para melhor compreensão é o analítico combinado com o explicativo com bases descritivas. Para a análise qualiquantitativa  utilizou-se a interpretação dos dados obtidos por meio da pesquisa de campo com aplicação de questionários semiestruturados, com perguntas abertas e fechadas numa amostragem de cinco comunidades (30%) de um total de 16 e 90 questionários aplicados a cerca de 25% dos chefes de famílias. Espera-se que os resultados da pesquisa contribuam para o melhorentendimento da sobre a história da evolução da reforma agrária da região do Oeste do Pará em Santarém-Pará e da própria criação e construção legal do assentamento, quecontribua nas discussões sobre as melhorias de políticas publicas voltadas, em especial, para valorizar as características principais do assentamento, com ampliação de práticas sustentáveis e atividades produtivas, para que a gestão do assentamento possa ser mais justa e adequada às necessidades e à qualidade de vida das famílias assentadas.

4
  • VALDECY DOS ANJOS DA SILVA
  • PROJETO DE ASSENTAMENTO AGROEXTRATIVISTA EIXO FORTE EM SANTARÉM-PA:  Cenários Dinâmicos de um Assentamento Diferenciado

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 30/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) foi criado pelo INCRA para ser destinado às populações tradicionais para exploração de riquezas extrativas, por meio de atividades economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis, cujas bases visam consolidar a sustentabilidade, por meio do uso dos recursos naturais com racionalidade aliado a conservação do meio ambiente. Tem como principal objetivo analisar a caracterização das dinâmicas produtivas e sustentáveis do PAE Eixo Forte sob a ótica das famílias assentadas, especificamente a partir da apresentação da evolução dos aspectos histórico-conceitual da reforma agrária em âmbito nacional regional e local, apresentando uma retrospectiva da evolução do processo com destaque aos marcos regulatórios legais, desde o descobrimento do Brasil até os dias atuais, traçando um panorama da questão agrária na Amazônia a partir do incentivo da ocupação da Amazônia pelos projetos de colonização governamental e, em seguida destaca-se a presença do PAE no Oeste Paraense, perpassando pelas legislações relativas a essa modalidade bem como explica como se deu a criação do assentamento diferenciado contextualizando-o sob os aspectos jurídicos e territoriais que fundamentam sua criação com destaque a função socioambiental do imóvel rural e as relações com a modalidade sustentável PAE no que concernem as bases teóricas que se relacionam com o assentamento, além de analisar as características básicas de conhecimento do perfil dos assentados e das práticas e sistemas produtivos que envolvem a agricultura familiar e o extrativismo e a inter-relação com a proposta do assentamento agroextrativista. A metodologia se fundamentou em um primeiro momento na pesquisa bibliográfica e em seguida pesquisa documental apoiados em materiais sobre a reforma agrária, documentos sobre a implantação de projeto de assentamento agroextrativista na região e o método usado para melhor compreensão é o analítico combinado com o explicativo com bases descritivas. Para a análise qualiquantitativa  utilizou-se a interpretação dos dados obtidos por meio da pesquisa de campo com aplicação de questionários semiestruturados, com perguntas abertas e fechadas numa amostragem de cinco comunidades (30%) de um total de 16 e 90 questionários aplicados a cerca de 25% dos chefes de famílias. Espera-se que os resultados da pesquisa contribuam para o melhorentendimento da sobre a história da evolução da reforma agrária da região do Oeste do Pará em Santarém-Pará e da própria criação e construção legal do assentamento, quecontribua nas discussões sobre as melhorias de políticas publicas voltadas, em especial, para valorizar as características principais do assentamento, com ampliação de práticas sustentáveis e atividades produtivas, para que a gestão do assentamento possa ser mais justa e adequada às necessidades e à qualidade de vida das famílias assentadas.

5
  • MÁRCIA SABRINA LIMA DE AGUIAR
  • Aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos, no período de 2005 a 2014, no município de Santarém, Pará, Brasil

  • Orientador : SIRIA LISANDRA DE BARCELOS RIBEIRO
  • Data: 31/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os acidentes ofídicos foram incluídos pela Organização Mundial da Saúde, na lista das doenças tropicais negligenciadas que acometem, na maioria dos casos, populações pobres que vivem em áreas fora da zona urbana. Esta dissertação teve como objetivo caracterizar os aspectos epidemiológicos de acidentes ofídicos ocorridos no município de Santarém, Pará, no período de 2005 a 2014Para tal, foi realizado um estudo descritivo, de caráter exploratório e quantitativo. As informações epidemiológicas foram obtidas através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, disponíveis no banco de dados do Departamento de Informática e Informação do Sistema Único de Saúde para acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, Brasil. Foram consideradas as seguintes variáveis: sazonalidade, faixa etária, sexo, escolaridade, raça, tipo de serpente, evolução do caso, classificação final e tempo de picada. O perfil epidemiológico dos acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, ao longo dos dez anos estudados revelou que os indivíduos mais atingidos são do sexo masculino (n = 2.067, 80%), com faixa etária entre 20 a 39 anos (n=2.067, 38%). Predominaram acidentes provocados por serpentes do gênero Bothrops, correspondendo a 61% (n= 2.067) dos registros. A maior freqüência dos acidentes (n= 2067, 52%) corresponde ao período chuvoso no município. Verificou-se que a maioria resultou em cura, correspondendo a 2.021 (n= 2.067, 98%) dos casos e seis (n= 2.067, 0,29%) obtiveram cura com sequela. Foi possível concluir que o perfil epidemiológico dos acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, demonstrou as mesmas casuísticas nacionais encontradas na literatura para as variáveis faixa etária, escolaridade, sexo, gênero da serpente e evolução do caso.

6
  • MÁRCIA SABRINA LIMA DE AGUIAR
  • Aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos, no período de 2005 a 2014, no município de Santarém, Pará, Brasil

  • Orientador : SIRIA LISANDRA DE BARCELOS RIBEIRO
  • Data: 31/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os acidentes ofídicos foram incluídos pela Organização Mundial da Saúde, na lista das doenças tropicais negligenciadas que acometem, na maioria dos casos, populações pobres que vivem em áreas fora da zona urbana. Esta dissertação teve como objetivo caracterizar os aspectos epidemiológicos de acidentes ofídicos ocorridos no município de Santarém, Pará, no período de 2005 a 2014Para tal, foi realizado um estudo descritivo, de caráter exploratório e quantitativo. As informações epidemiológicas foram obtidas através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, disponíveis no banco de dados do Departamento de Informática e Informação do Sistema Único de Saúde para acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, Brasil. Foram consideradas as seguintes variáveis: sazonalidade, faixa etária, sexo, escolaridade, raça, tipo de serpente, evolução do caso, classificação final e tempo de picada. O perfil epidemiológico dos acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, ao longo dos dez anos estudados revelou que os indivíduos mais atingidos são do sexo masculino (n = 2.067, 80%), com faixa etária entre 20 a 39 anos (n=2.067, 38%). Predominaram acidentes provocados por serpentes do gênero Bothrops, correspondendo a 61% (n= 2.067) dos registros. A maior freqüência dos acidentes (n= 2067, 52%) corresponde ao período chuvoso no município. Verificou-se que a maioria resultou em cura, correspondendo a 2.021 (n= 2.067, 98%) dos casos e seis (n= 2.067, 0,29%) obtiveram cura com sequela. Foi possível concluir que o perfil epidemiológico dos acidentes ofídicos no município de Santarém, Pará, demonstrou as mesmas casuísticas nacionais encontradas na literatura para as variáveis faixa etária, escolaridade, sexo, gênero da serpente e evolução do caso.

7
  • SUELANY SOUSA DA SILVA
  • DA FLORESTA NACIONAL DO TAPAJÓS À EXCLUSÃO: um estudo de caso da comunidade São Jorge, Belterra - Pará

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 31/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho objetiva apresentar como os moradores da comunidade São Jorge, localizada no oeste paraense, se organizaram para a saída da Floresta Nacional do Tapajós. Tal estudo propõe-se a apresentar os desafios, bem como as causas e consequências deste processo por meio de uma abordagem histórica, social, econômica e ambiental. Assim, far-se-á o levantamento das informações como dados históricos, dados da situação atual e da evolução socioeconômica e dos sistemas de produção antes e após a saída da Flona, pois com a evolução histórica busca-se explicar as transformações econômicas, sociais e ambientais ocorridas ao longo do tempo e que ocasionaram a conformação atual do objeto de estudo. Os critérios metodológicos foram assim organizados: pesquisa documental de materiais impressos e documentos relacionados ao processo de emancipação da comunidade; reunião; rodada de conversa; realização de entrevistas semi-estruturadas com os moradores mais antigos, representantes da Associação Comunitária e moradores acima de 18 anos, tendo por base a técnica da “bola de neve” (snowball), abrangendo cinco eixos temáticos: os aspectos históricos, ambientais, sociais, econômicos e institucionais da Comunidade São Jorge. Trata-se de um estudo de caso, apresentando uma abordagem sistêmica, baseada na percepção dos moradores. Com base nos relatos dos moradores entrevistados, enquanto São Jorge fazia parte da Flona havia maior amparo do IBAMA, existia um controle maior do uso da floresta, da caça. No entanto, esta ação de fiscalização causava desconfiança, medo. Os moradores sentiam-se presos, sem liberdade para criar seus roçados e plantar, sem direito para retirar madeira da floresta e fazer suas casas, havia restrições para a caça e por conta de tais proibições achavam-se oprimidos, perseguidos. Para a maioria dos entrevistados, a agricultura continua sendo o principal tipo de produção da área (lote), tendo a inserção da mecanização em algumas propriedades. As principais representações organizacionais da comunidade são a delegacia sindical e o conselho comunitário, sendo que a não participação nas organizações sociais da comunidade dá-se, principalmente, pela falta de interesse dos comunitários; as organizações têm atuação regular na comunidade, funcionando bem em sua gestão. A natureza passou a ser vista pura e somente como uma mercadoria, da qual se tira tudo e não se tem a preocupação em conservar.

8
  • SUELANY SOUSA DA SILVA
  • DA FLORESTA NACIONAL DO TAPAJÓS À EXCLUSÃO: um estudo de caso da comunidade São Jorge, Belterra - Pará

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 31/01/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho objetiva apresentar como os moradores da comunidade São Jorge, localizada no oeste paraense, se organizaram para a saída da Floresta Nacional do Tapajós. Tal estudo propõe-se a apresentar os desafios, bem como as causas e consequências deste processo por meio de uma abordagem histórica, social, econômica e ambiental. Assim, far-se-á o levantamento das informações como dados históricos, dados da situação atual e da evolução socioeconômica e dos sistemas de produção antes e após a saída da Flona, pois com a evolução histórica busca-se explicar as transformações econômicas, sociais e ambientais ocorridas ao longo do tempo e que ocasionaram a conformação atual do objeto de estudo. Os critérios metodológicos foram assim organizados: pesquisa documental de materiais impressos e documentos relacionados ao processo de emancipação da comunidade; reunião; rodada de conversa; realização de entrevistas semi-estruturadas com os moradores mais antigos, representantes da Associação Comunitária e moradores acima de 18 anos, tendo por base a técnica da “bola de neve” (snowball), abrangendo cinco eixos temáticos: os aspectos históricos, ambientais, sociais, econômicos e institucionais da Comunidade São Jorge. Trata-se de um estudo de caso, apresentando uma abordagem sistêmica, baseada na percepção dos moradores. Com base nos relatos dos moradores entrevistados, enquanto São Jorge fazia parte da Flona havia maior amparo do IBAMA, existia um controle maior do uso da floresta, da caça. No entanto, esta ação de fiscalização causava desconfiança, medo. Os moradores sentiam-se presos, sem liberdade para criar seus roçados e plantar, sem direito para retirar madeira da floresta e fazer suas casas, havia restrições para a caça e por conta de tais proibições achavam-se oprimidos, perseguidos. Para a maioria dos entrevistados, a agricultura continua sendo o principal tipo de produção da área (lote), tendo a inserção da mecanização em algumas propriedades. As principais representações organizacionais da comunidade são a delegacia sindical e o conselho comunitário, sendo que a não participação nas organizações sociais da comunidade dá-se, principalmente, pela falta de interesse dos comunitários; as organizações têm atuação regular na comunidade, funcionando bem em sua gestão. A natureza passou a ser vista pura e somente como uma mercadoria, da qual se tira tudo e não se tem a preocupação em conservar.

9
  • JOÃO PAULO PANTOJA BRAGA
  • Projeto Felicidade: Bem-estar Subjetivo para Crianças de 8 a 12 anos em uma Escola Pública Municipal em Santarém, Pará

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 14/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo geral analisar a adequabilidade de dois instrumentos que avaliam o bem-estar subjetivo de crianças, para a realidade do norte do Brasil. Para se alcançar esse objetivo geral definiu-se por objetivos específicos: a) Realizar um diagnóstico inicial das médias de bem-estar subjetivo de crianças na cidade de Santarém; b) Verificar a aplicabilidade de instrumentos já validados para a realidade de crianças da região norte. O estudo envolveu 101 crianças com idade entre 8 e 12 anos incompletos devidamente matriculadas em uma Escola da rede Estadual de Santarém. Os instrumentos a utilizar foram: a) Escala Multidimensional de Satisfação de Vida infantil (ESMVI); b) O método do Desenho da Figura Humana onde as crianças são levadas a responder a seguinte pergunta: “Como é uma pessoa feliz” e responde-las através de um desenho. A análise dos dados da EMSVI foi realizada mediante os softwares Excel e PSPP. Os resultados relativos ao DFH foram analisados utilizando-se os critérios validados por Viapiana, Bandeira e Giacomoni (2016). Quanto aos resultados do EMSVI, não foi possível teste de revalidação. Utilizou-se, portanto, os fatores validados em estudo anterior. As crianças apresentaram os seguintes índices de bem-estar relativo aos fatores: Escola (m=4,07), Família (m=3,94), self (m=3,71), self comparado (m=2,42) e não violência (m=1,57). Quanto ao DFH as maiores médias foram nos critérios 3 (Integração da figura) (m=4,75), 12 (boca expressando sorriso) (m=4,72) e 14 (roupa) (m=4,62). Por outro lado, as menores médias foram nos critérios 10 (símbolos afetivos) (m=1,59), 18 (objetos inanimados) (m=1,62) e 8 (pano de fundo) (m=3,00). Surgiram ainda outros elementos não evidenciados no estudo de validação inicial dessa técnica, como a presença de desenhos do tipo minecraft e a lembrança trazida pelas crianças, de familiares que são felizes, exteriorizados nos desenhos. Não foi encontrada correlação entre os fatores do EMSVI e os critérios do DFI. Com base nesse último resultado, são sugeridas medidas que visam refinar o desenho de pesquisa, para averiguar a existência dessa correlação com amostra de crianças da região norte do país.

     

10
  • JOÃO PAULO PANTOJA BRAGA
  • Projeto Felicidade: Bem-estar Subjetivo para Crianças de 8 a 12 anos em uma Escola Pública Municipal em Santarém, Pará

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 14/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo geral analisar a adequabilidade de dois instrumentos que avaliam o bem-estar subjetivo de crianças, para a realidade do norte do Brasil. Para se alcançar esse objetivo geral definiu-se por objetivos específicos: a) Realizar um diagnóstico inicial das médias de bem-estar subjetivo de crianças na cidade de Santarém; b) Verificar a aplicabilidade de instrumentos já validados para a realidade de crianças da região norte. O estudo envolveu 101 crianças com idade entre 8 e 12 anos incompletos devidamente matriculadas em uma Escola da rede Estadual de Santarém. Os instrumentos a utilizar foram: a) Escala Multidimensional de Satisfação de Vida infantil (ESMVI); b) O método do Desenho da Figura Humana onde as crianças são levadas a responder a seguinte pergunta: “Como é uma pessoa feliz” e responde-las através de um desenho. A análise dos dados da EMSVI foi realizada mediante os softwares Excel e PSPP. Os resultados relativos ao DFH foram analisados utilizando-se os critérios validados por Viapiana, Bandeira e Giacomoni (2016). Quanto aos resultados do EMSVI, não foi possível teste de revalidação. Utilizou-se, portanto, os fatores validados em estudo anterior. As crianças apresentaram os seguintes índices de bem-estar relativo aos fatores: Escola (m=4,07), Família (m=3,94), self (m=3,71), self comparado (m=2,42) e não violência (m=1,57). Quanto ao DFH as maiores médias foram nos critérios 3 (Integração da figura) (m=4,75), 12 (boca expressando sorriso) (m=4,72) e 14 (roupa) (m=4,62). Por outro lado, as menores médias foram nos critérios 10 (símbolos afetivos) (m=1,59), 18 (objetos inanimados) (m=1,62) e 8 (pano de fundo) (m=3,00). Surgiram ainda outros elementos não evidenciados no estudo de validação inicial dessa técnica, como a presença de desenhos do tipo minecraft e a lembrança trazida pelas crianças, de familiares que são felizes, exteriorizados nos desenhos. Não foi encontrada correlação entre os fatores do EMSVI e os critérios do DFI. Com base nesse último resultado, são sugeridas medidas que visam refinar o desenho de pesquisa, para averiguar a existência dessa correlação com amostra de crianças da região norte do país.

     

11
  • RAFAELA DOS SANTOS REIS
  • Brincar, crescer e desenvolver: a brincadeira nos contextos familiar, escolar e terapêutico de crianças autistas

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 14/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Ao se pensar em desenvolvimento infantil, deve-se considerar que as crianças desde o nascimento estão imersas em diversos contextos e que estes têm arraigados vários elementos que vão influenciar seus processos desenvolvimentais. Dessa forma, os ambientes, as pessoas e as interações que ocorrem em torno delas podem ser agentes promotores ou limitantes ao desenvolvimento. Isso, por sua vez, poderá ser ainda mais determinante em casos de crianças que tem por natureza dificuldades nos processos interacionais, como as autistas. Além disso, a expressão comportamental e social que se destaca por refletir a influência desses elementos na infância é a brincadeira. Por isso, a importância de envolvê-la em pesquisas que buscam elucidar questões relacionadas ao desenvolvimento infantil. Partindo dessa perspectiva, este estudo teve como objetivo: analisar as percepções e práticas sobre o brincar, a brincadeira e a relação com o desenvolvimento de crianças autistas na perspectiva dos atores sociais presentes na família, escola e instituição terapêutica. Participaram desta pesquisa 13 atores sociais do ambiente familiar, escolar e terapêutico de 3 crianças autistas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas sobre o brincar, a brincadeira e o desenvolvimento da criança autista para averiguar as concepções dos pais, professores e mediadores, e, também, de aspectos sociodemográficos. Além disso, foram registradas no diário de campo (materno e da pesquisadora), respectivamente, as observações realizadas no contexto familiar, e nos contextos escolar e terapêutico, para coletar informações sobre o ambiente e as práticas presentes no dia a dia dessas crianças. As concepções foram analisadas por meio do método qualitativo DSC (Discurso do Sujeito Coletivo) e as observações através da análise descritiva. Os dados foram interpretados à luz da Teoria do Nicho de Desenvolvimento. Resultados: Em se tratando do ambiente físico e social, foram observados fatores facilitadores e fatores limitantes quanto à vivência de experiências lúdicas. A afetividade surgiu como promotora da socialização e de experiências relacionadas à brincadeira. Quanto àspráticas, observou-se nas práticas parentais a preocupação em propiciar a interação, mediante o brincar, mesmo não sendo explícito nas falas. Foram encontradas aparentes contradições entre a concepção e a prática de alguns atores sociais do contexto escolar, na qual apareceu a importância da brincadeira como agente socializador na fala, contudo, na prática não foi observada à promoção desta. Foi visto, ainda, nas concepções dos atores sociais uma vinculação do brincar como instrumento para a aquisição de conhecimentos e aprendizado. Quanto à psicologia dos cuidadores, foram encontrados 5 concepções que permearam o discurso de pais, professores e mediadores entrevistados: a) A brincadeira promove a socialização, b) a brincadeira propicia aprendizagem, c) a brincadeira está relacionada ao prazer e à diversão e d) a brincadeira pertence à infância. Por fim, constatou-se que o modelo teórico utilizado como subsídio para se investigar essa temática, possibilitou averiguar os principais elementos relacionados ao desenvolvimento da criança e como a brincadeira é parte do processo desenvolvimental das crianças autistas pesquisadas.

12
  • RAFAELA DOS SANTOS REIS
  • Brincar, crescer e desenvolver: a brincadeira nos contextos familiar, escolar e terapêutico de crianças autistas

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 14/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Ao se pensar em desenvolvimento infantil, deve-se considerar que as crianças desde o nascimento estão imersas em diversos contextos e que estes têm arraigados vários elementos que vão influenciar seus processos desenvolvimentais. Dessa forma, os ambientes, as pessoas e as interações que ocorrem em torno delas podem ser agentes promotores ou limitantes ao desenvolvimento. Isso, por sua vez, poderá ser ainda mais determinante em casos de crianças que tem por natureza dificuldades nos processos interacionais, como as autistas. Além disso, a expressão comportamental e social que se destaca por refletir a influência desses elementos na infância é a brincadeira. Por isso, a importância de envolvê-la em pesquisas que buscam elucidar questões relacionadas ao desenvolvimento infantil. Partindo dessa perspectiva, este estudo teve como objetivo: analisar as percepções e práticas sobre o brincar, a brincadeira e a relação com o desenvolvimento de crianças autistas na perspectiva dos atores sociais presentes na família, escola e instituição terapêutica. Participaram desta pesquisa 13 atores sociais do ambiente familiar, escolar e terapêutico de 3 crianças autistas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas sobre o brincar, a brincadeira e o desenvolvimento da criança autista para averiguar as concepções dos pais, professores e mediadores, e, também, de aspectos sociodemográficos. Além disso, foram registradas no diário de campo (materno e da pesquisadora), respectivamente, as observações realizadas no contexto familiar, e nos contextos escolar e terapêutico, para coletar informações sobre o ambiente e as práticas presentes no dia a dia dessas crianças. As concepções foram analisadas por meio do método qualitativo DSC (Discurso do Sujeito Coletivo) e as observações através da análise descritiva. Os dados foram interpretados à luz da Teoria do Nicho de Desenvolvimento. Resultados: Em se tratando do ambiente físico e social, foram observados fatores facilitadores e fatores limitantes quanto à vivência de experiências lúdicas. A afetividade surgiu como promotora da socialização e de experiências relacionadas à brincadeira. Quanto àspráticas, observou-se nas práticas parentais a preocupação em propiciar a interação, mediante o brincar, mesmo não sendo explícito nas falas. Foram encontradas aparentes contradições entre a concepção e a prática de alguns atores sociais do contexto escolar, na qual apareceu a importância da brincadeira como agente socializador na fala, contudo, na prática não foi observada à promoção desta. Foi visto, ainda, nas concepções dos atores sociais uma vinculação do brincar como instrumento para a aquisição de conhecimentos e aprendizado. Quanto à psicologia dos cuidadores, foram encontrados 5 concepções que permearam o discurso de pais, professores e mediadores entrevistados: a) A brincadeira promove a socialização, b) a brincadeira propicia aprendizagem, c) a brincadeira está relacionada ao prazer e à diversão e d) a brincadeira pertence à infância. Por fim, constatou-se que o modelo teórico utilizado como subsídio para se investigar essa temática, possibilitou averiguar os principais elementos relacionados ao desenvolvimento da criança e como a brincadeira é parte do processo desenvolvimental das crianças autistas pesquisadas.

13
  • MÁRCIA SABRINA LIMA DE AGUIAR
  • Aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos, no período de 2005 a 2017, no município de Santarém, Pará, Brasil

  • Orientador : SIRIA LISANDRA DE BARCELOS RIBEIRO
  • Data: 29/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Apesar de ser considerado um grave problema de saúde pública, poucas são as pesquisas que buscam analisar o perfil epidemiológico sobre os acidentes ofídicos no Brasil. Diante deste contexto e da relevância de trabalhos sobre este tema, o presente estudo realizou o levantamento de aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos ocorridos no município de Santarém, Pará, Brasil, no período de 2005 a 2017. Este trabalho consistiu em uma pesquisa retrospectiva, descritiva-analítica, de todos os casos de acidentes ofídicos ocorridos no referido município, e notificados pelo Sistema de Informações de Agravos e Notificação. Foram analisados os seguintes aspectos dos acidentes: faixa etária, sexo, escolaridade e raça do acidentado; mês de ocorrência;  tipo de serpente; evolução do caso; classificação final; e tempo de picada. Dos 2.467 acidentes ofídicos notificados no período investigado, a maioria corresponde a agressões por serpentes do gênero Bothrops (64,3%), seguido de Lachesis (20,8%), Crotalus (2,1%) e Micrurus (0,3%). A maioria dos acidentes envolveu indivíduos adultos do sexo masculino (79,9%), prevalecendo a faixa etária de 20 a 39 anos (37,0%). O tempo decorrido entre a picada e o atendimento predominou de 12 a 24 horas (28,5%), sendo a maioria dos casos considerados moderados (43,5%), os quais obtiveram como desfecho mais comum a evolução para a cura (97,5%). Os casos ocorreram mais frequentemente nos meses de janeiro a maio (52,4%), coincidindo com os maiores níveis pluviométricos.

14
  • MÁRCIA SABRINA LIMA DE AGUIAR
  • Aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos, no período de 2005 a 2017, no município de Santarém, Pará, Brasil

  • Orientador : SIRIA LISANDRA DE BARCELOS RIBEIRO
  • Data: 29/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Apesar de ser considerado um grave problema de saúde pública, poucas são as pesquisas que buscam analisar o perfil epidemiológico sobre os acidentes ofídicos no Brasil. Diante deste contexto e da relevância de trabalhos sobre este tema, o presente estudo realizou o levantamento de aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos ocorridos no município de Santarém, Pará, Brasil, no período de 2005 a 2017. Este trabalho consistiu em uma pesquisa retrospectiva, descritiva-analítica, de todos os casos de acidentes ofídicos ocorridos no referido município, e notificados pelo Sistema de Informações de Agravos e Notificação. Foram analisados os seguintes aspectos dos acidentes: faixa etária, sexo, escolaridade e raça do acidentado; mês de ocorrência;  tipo de serpente; evolução do caso; classificação final; e tempo de picada. Dos 2.467 acidentes ofídicos notificados no período investigado, a maioria corresponde a agressões por serpentes do gênero Bothrops (64,3%), seguido de Lachesis (20,8%), Crotalus (2,1%) e Micrurus (0,3%). A maioria dos acidentes envolveu indivíduos adultos do sexo masculino (79,9%), prevalecendo a faixa etária de 20 a 39 anos (37,0%). O tempo decorrido entre a picada e o atendimento predominou de 12 a 24 horas (28,5%), sendo a maioria dos casos considerados moderados (43,5%), os quais obtiveram como desfecho mais comum a evolução para a cura (97,5%). Os casos ocorreram mais frequentemente nos meses de janeiro a maio (52,4%), coincidindo com os maiores níveis pluviométricos.

15
  • VÂNIA VIEIRA VIDAL
  • PERCEPÇÃO DOS MORADORES, QUANTO A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE EMPRESAS PORTUÁRIAS DE MIRITITUBA, MUNICÍPIO DE ITAITUBA (PA)

  • Orientador : MARIA MIRTES CORTINHAS DOS SANTOS
  • Data: 12/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Na região amazônica brasileira houve investimentos de novos projetos de logística portuária nas últimas décadas, o que vêm consolidando importantes alternativas para o agronegócio do país. A instalação e operação de diversos portos graneleiros no Distrito de Miritituba, região de Itaituba (PA), modificaram o meio social e ambiental, o que motivou a questão central desta pesquisa em buscar responder qual o compromisso socioambiental das empresas portuárias de Miritituba com a comunidade em que está inserida, sob a percepção dos moradores locais. O objetivo geral foi analisar a visão dos moradores da comunidade do entorno dos portos, acerca das mudanças sociais e ambientais ocorridas e dos programas socioambientais desenvolvidos pelas empresas. A metodologia do estudo seguiu com uma pesquisa de campo, utilizando como instrumentos a aplicação de questionários a 359 moradores e pesquisa documental em relatórios fornecidos pela Associação dos Terminais Portuários e Estações de Transbordo de Cargas da Bacia Amazônica em Miritituba, a análise de dados deu-se pela análise de conteúdo, segundo Bardin. Osresultados obtidos através da percepção dos moradores e corroborados pelos estudos ambientais apontaram como principal impacto positivo o aumento de empregos e a melhoria da economia local e como impacto negativo, o crescimento populacional que agravou os problemas de saneamento básico e infraestrutura da localidade, causando uma pressão sobre os serviços já oferecidos à comunidade, a precariedade em infraestrutura, fragilidades na segurança pública e na área da saúde. As considerações finais deste trabalho destacam que a instalação e operação dos empreendimentos portuários acarretaram significativas mudanças positivas e negativas para a população local, aponta-se ainda que as empresas vêm buscando cumprir com a agenda mínima estabelecida pelo governo mas que torna-se necessário que além das empresas portuárias em Miritituba, o poder público também possa assumir o papel de melhorar os serviços básicos à população. Por fim, destaca-se a importância da prática da responsabilidade social empresarial no sentido de se manter e promover ainda mais ações, projetos e até mesmo intervenções na infraestrutura local, que possam auxiliar cada vez mais na melhoria das condições de qualidade de vida da população local

16
  • VÂNIA VIEIRA VIDAL
  • PERCEPÇÃO DOS MORADORES, QUANTO A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE EMPRESAS PORTUÁRIAS DE MIRITITUBA, MUNICÍPIO DE ITAITUBA (PA)

  • Orientador : MARIA MIRTES CORTINHAS DOS SANTOS
  • Data: 12/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Na região amazônica brasileira houve investimentos de novos projetos de logística portuária nas últimas décadas, o que vêm consolidando importantes alternativas para o agronegócio do país. A instalação e operação de diversos portos graneleiros no Distrito de Miritituba, região de Itaituba (PA), modificaram o meio social e ambiental, o que motivou a questão central desta pesquisa em buscar responder qual o compromisso socioambiental das empresas portuárias de Miritituba com a comunidade em que está inserida, sob a percepção dos moradores locais. O objetivo geral foi analisar a visão dos moradores da comunidade do entorno dos portos, acerca das mudanças sociais e ambientais ocorridas e dos programas socioambientais desenvolvidos pelas empresas. A metodologia do estudo seguiu com uma pesquisa de campo, utilizando como instrumentos a aplicação de questionários a 359 moradores e pesquisa documental em relatórios fornecidos pela Associação dos Terminais Portuários e Estações de Transbordo de Cargas da Bacia Amazônica em Miritituba, a análise de dados deu-se pela análise de conteúdo, segundo Bardin. Osresultados obtidos através da percepção dos moradores e corroborados pelos estudos ambientais apontaram como principal impacto positivo o aumento de empregos e a melhoria da economia local e como impacto negativo, o crescimento populacional que agravou os problemas de saneamento básico e infraestrutura da localidade, causando uma pressão sobre os serviços já oferecidos à comunidade, a precariedade em infraestrutura, fragilidades na segurança pública e na área da saúde. As considerações finais deste trabalho destacam que a instalação e operação dos empreendimentos portuários acarretaram significativas mudanças positivas e negativas para a população local, aponta-se ainda que as empresas vêm buscando cumprir com a agenda mínima estabelecida pelo governo mas que torna-se necessário que além das empresas portuárias em Miritituba, o poder público também possa assumir o papel de melhorar os serviços básicos à população. Por fim, destaca-se a importância da prática da responsabilidade social empresarial no sentido de se manter e promover ainda mais ações, projetos e até mesmo intervenções na infraestrutura local, que possam auxiliar cada vez mais na melhoria das condições de qualidade de vida da população local

17
  • ÁUREA SIQUEIRA DE CASTRO AZEVÊDO
  • Infrações Ambientais contra a Flora nas Regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, Pará, no Período de 2009 a 2018.

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 26/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Das categorias de crimes previstas na Lei nº 9.605/1998 - Lei de Crimes Ambientais - e no Decreto Federal nº 6.514/2008, as infrações contra a flora nos estados brasileiros apresentam médias superiores às demais categorias, o que demanda maior investigação acerca das tipologias infracionais registradas pela fiscalização ambiental. O presente estudo tem como objetivo diagnosticar e analisar as infrações ambientais cometidas contra a flora nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, no estado do Pará, registradas no período de 2009 a 2018, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS). Foram realizadas pesquisas bibliográfica e documental em 767 autos de infração lavrados contra a flora no período de 2009 a 2018, em 19 municípios das regiões em estudo. Os resultados apontaram que Santarém e Novo Progresso foram os municípios com maior autuação ambiental contra a flora na região do Baixo Amazonas e Tapajós, respectivamente. A tipologia infracional de maior ocorrência foi o desmatamento/destruição da vegetação, correspondendo a 71% (n=548) das infrações totais. Áreas de Reserva Legal e Áreas de Preservação Permanente foram as mais afetadas pelo desmatamento ilegal. Aproximadamente 59% (n=270) dos autos de infração aplicados incidiram sobre polígonos de desmatamento de tamanho menor que 5 ha. Além disso, cerca de 50% (n= 339) das infrações ocorreram em propriedades privadas e as pessoas físicas despontaram como as principais infratoras contra a flora. Neste sentido, o estudo reforça que as florestas, um dos principais recursos amazônicos, perfaz um ambiente severamente ameaçado. Para tanto, a presença do estado deve ser intensa em dois sentidos: de incentivar e garantir a sustentabilidade ambiental a de realizar maior fiscalização ostensiva nas áreas pesquisadas.            

18
  • ÁUREA SIQUEIRA DE CASTRO AZEVÊDO
  • Infrações Ambientais contra a Flora nas Regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, Pará, no Período de 2009 a 2018.

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 26/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Das categorias de crimes previstas na Lei nº 9.605/1998 - Lei de Crimes Ambientais - e no Decreto Federal nº 6.514/2008, as infrações contra a flora nos estados brasileiros apresentam médias superiores às demais categorias, o que demanda maior investigação acerca das tipologias infracionais registradas pela fiscalização ambiental. O presente estudo tem como objetivo diagnosticar e analisar as infrações ambientais cometidas contra a flora nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, no estado do Pará, registradas no período de 2009 a 2018, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS). Foram realizadas pesquisas bibliográfica e documental em 767 autos de infração lavrados contra a flora no período de 2009 a 2018, em 19 municípios das regiões em estudo. Os resultados apontaram que Santarém e Novo Progresso foram os municípios com maior autuação ambiental contra a flora na região do Baixo Amazonas e Tapajós, respectivamente. A tipologia infracional de maior ocorrência foi o desmatamento/destruição da vegetação, correspondendo a 71% (n=548) das infrações totais. Áreas de Reserva Legal e Áreas de Preservação Permanente foram as mais afetadas pelo desmatamento ilegal. Aproximadamente 59% (n=270) dos autos de infração aplicados incidiram sobre polígonos de desmatamento de tamanho menor que 5 ha. Além disso, cerca de 50% (n= 339) das infrações ocorreram em propriedades privadas e as pessoas físicas despontaram como as principais infratoras contra a flora. Neste sentido, o estudo reforça que as florestas, um dos principais recursos amazônicos, perfaz um ambiente severamente ameaçado. Para tanto, a presença do estado deve ser intensa em dois sentidos: de incentivar e garantir a sustentabilidade ambiental a de realizar maior fiscalização ostensiva nas áreas pesquisadas.            

19
  • ELOÍSA AMORIM DE BARROS
  • BENZEDEIRAS, BENZEDORES QUILOMBOLAS: A RESISTÊNCIA AO MODELO COLONIZADOR DE SAÚDE E O FORTALECIMENTO DE UMA COMUNIDADE AFRODESCENDENTE DE ÓBIDOS-PARÁ

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 09/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • O presente texto tem por finalidade apresentar os resultados da pesquisa que sobre hábitos culturais e saúde coletiva no Baixo Amazonas, em comunidades de remanescentes de quilombos. Com a finalidade de responder à questão científica, a saber, como a figura da benzedeira e do benzedor atua na resistência ao modelo colonizador de saúde, Interferindo na maneira como uma comunidade remanescente de quilombos do Baixo Amazonas lida com a saúde coletiva, influenciando na qualidade da vida das pessoas e fortalecendo os hábitos culturais saudáveis?, foram desenvolvidos os seguintes objetivos, investigar a figura da benzedeira, do benzedor e de produtores de garrafadas em um contexto de possível resistência ao modelo colonizador de saúde na região do Baixo Amazonas. Além disso, especificamente, busca-se identificar e analisar possíveis elementos caracterizadores das práticas populares de saúde, considerando possíveis adequações das matrizes africanas à lógica da floresta amazônica; Investigar o trabalho das benzedeiras e dos benzedores nos dias atuais nas comunidades quilombolas Silêncio e São José, em Óbidos- Pará e; Perquirir sobre o processo de produção e formas de recomendação de garrafadas para cada enfermidade, por meio de pesquisa qualitativa com entrevistas semi-estruturadas, para apresentar um olhar de reconhecimento da prática de saúde feita por comunitários especializados em benzeção.

20
  • ELOÍSA AMORIM DE BARROS
  • BENZEDEIRAS, BENZEDORES QUILOMBOLAS: A RESISTÊNCIA AO MODELO COLONIZADOR DE SAÚDE E O FORTALECIMENTO DE UMA COMUNIDADE AFRODESCENDENTE DE ÓBIDOS-PARÁ

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 09/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • O presente texto tem por finalidade apresentar os resultados da pesquisa que sobre hábitos culturais e saúde coletiva no Baixo Amazonas, em comunidades de remanescentes de quilombos. Com a finalidade de responder à questão científica, a saber, como a figura da benzedeira e do benzedor atua na resistência ao modelo colonizador de saúde, Interferindo na maneira como uma comunidade remanescente de quilombos do Baixo Amazonas lida com a saúde coletiva, influenciando na qualidade da vida das pessoas e fortalecendo os hábitos culturais saudáveis?, foram desenvolvidos os seguintes objetivos, investigar a figura da benzedeira, do benzedor e de produtores de garrafadas em um contexto de possível resistência ao modelo colonizador de saúde na região do Baixo Amazonas. Além disso, especificamente, busca-se identificar e analisar possíveis elementos caracterizadores das práticas populares de saúde, considerando possíveis adequações das matrizes africanas à lógica da floresta amazônica; Investigar o trabalho das benzedeiras e dos benzedores nos dias atuais nas comunidades quilombolas Silêncio e São José, em Óbidos- Pará e; Perquirir sobre o processo de produção e formas de recomendação de garrafadas para cada enfermidade, por meio de pesquisa qualitativa com entrevistas semi-estruturadas, para apresentar um olhar de reconhecimento da prática de saúde feita por comunitários especializados em benzeção.

21
  • RENATA DE SOUSA NASCIMENTO
  • TRANSFORMAÇÃO DE REJEITOS DE LAVAGEM DE BAUXITA DA AMAZÔNIA EM ARGILAS ANIÔNICAS   

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 27/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Após os desastres ambientais gerados por causa das barragens de rejeitos da indústria mineral de ferro em Mariana (2015) e Brumadinho (2019) em Minas Gerais, ficou notória a urgência de estudos para o conhecimento de suas propriedades química e mineral, assim como de sua conversão em produtos de valor agregado de baixo custo, reduzindo desta forma seu descarte e poluição do meio ambiente. Assim como em Minas Gerais, o estado do Pará possui diversas barragens de rejeitos (ferrro, manganês, cobre, alumínio, caulim, níquel, ouro, silício) ao longo do seu território, que em sua maioria não se tem nenhum conhecimento de suas propriedades químico-mineral. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo de caracterização de rejeitos de lavagem de bauxita (alumínio) da Amazônia (Região Oeste do Pará) para a produção de argilas aniônicas, também chamadas de hidróxidos duplo lamelar (HDLs). Estes materiais são conhecidos por sua importância tecnológica para despoluição do meio ambiente, liberação lenta e controlada de fertilizantes e agroquímicos, adsorventes, trocadores iônicos, catalisadores e nanomedicina. Um estudo cenciométrico foi realizado com o intuito de mapear o panorama da produção e aplicação de HDLs no Brasil, bem como identificar os centros de pesquisa e pesquisadores que se destacam em número de publicação a respeito dessa tématica e o periódico mais utilizado para publicação. Os resultados de revisão cenciométrica revelaram um aumento crescente nos últimos 30 anos de trabalhos envolvendo os HDLs com destaque a grandes grupos e centros de pesquisa no Sul e Sudeste. Em relação aos rejeitos de minério de alumínio (bauxita), eles foram transformados com sucesso em nanomateriais de HDLs com estrutura piroaurita e hidrocalumita, assim como Katoita, mostrando dessa forma que um produto indesejado na indústria mineral pode ser utilizado como uma interessante matéria prima de baixo custo para a produção de materiais de grande relevância tecnológica, com uma possivel vantagem na redução de seus impactos ambientais na Amazônia.

22
  • RENATA DE SOUSA NASCIMENTO
  • TRANSFORMAÇÃO DE REJEITOS DE LAVAGEM DE BAUXITA DA AMAZÔNIA EM ARGILAS ANIÔNICAS   

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 27/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Após os desastres ambientais gerados por causa das barragens de rejeitos da indústria mineral de ferro em Mariana (2015) e Brumadinho (2019) em Minas Gerais, ficou notória a urgência de estudos para o conhecimento de suas propriedades química e mineral, assim como de sua conversão em produtos de valor agregado de baixo custo, reduzindo desta forma seu descarte e poluição do meio ambiente. Assim como em Minas Gerais, o estado do Pará possui diversas barragens de rejeitos (ferrro, manganês, cobre, alumínio, caulim, níquel, ouro, silício) ao longo do seu território, que em sua maioria não se tem nenhum conhecimento de suas propriedades químico-mineral. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo de caracterização de rejeitos de lavagem de bauxita (alumínio) da Amazônia (Região Oeste do Pará) para a produção de argilas aniônicas, também chamadas de hidróxidos duplo lamelar (HDLs). Estes materiais são conhecidos por sua importância tecnológica para despoluição do meio ambiente, liberação lenta e controlada de fertilizantes e agroquímicos, adsorventes, trocadores iônicos, catalisadores e nanomedicina. Um estudo cenciométrico foi realizado com o intuito de mapear o panorama da produção e aplicação de HDLs no Brasil, bem como identificar os centros de pesquisa e pesquisadores que se destacam em número de publicação a respeito dessa tématica e o periódico mais utilizado para publicação. Os resultados de revisão cenciométrica revelaram um aumento crescente nos últimos 30 anos de trabalhos envolvendo os HDLs com destaque a grandes grupos e centros de pesquisa no Sul e Sudeste. Em relação aos rejeitos de minério de alumínio (bauxita), eles foram transformados com sucesso em nanomateriais de HDLs com estrutura piroaurita e hidrocalumita, assim como Katoita, mostrando dessa forma que um produto indesejado na indústria mineral pode ser utilizado como uma interessante matéria prima de baixo custo para a produção de materiais de grande relevância tecnológica, com uma possivel vantagem na redução de seus impactos ambientais na Amazônia.

23
  • RENATO SILVA SANTIAGO
  • PERTURBAÇÕES ANTROPOGÊNICAS NAS ÚLTIMAS DÉCADAS NO IGARAPÉ DO URUMARI, SANTARÉM, PARÁ

  • Data: 30/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • O surgimento de ocupações espontâneas e o uso indevido do solo, bem como o manejo inadequado dos recursos hídricos, trazem como consequência inúmeros problemas ao meio ambiente e às pessoas que convivem e dependem deste meio. A pesquisa teve como local de estudo a microbacia do igarapé do Urumari, localizado na cidade de Santarém, Pará, e objetivou identificar e analisar as dinâmicas espacial e temporal das mudanças de uso e cobertura do solo na microbacia do igarapé entre 1987 e 2018, valendo-se de técnicas de processamento digital de imagens e sensoriamento remoto. Além disso, buscou investigar a percepção de moradores mais antigos que residem ao longo do igarapé sobre os possíveis processos locais de degradação ambiental, respeitando a linha temporal e fazendo um comparativo de tal percepção com os dados adquiridos por meio das geotecnologias. O método para sensoriamento remoto incluiu visita in loco a pontos estratégicos do curso principal do igarapé do Urumari, classificação supervisionada pelo algoritmo Máxima Verossimilhança, imagens dos satélites Landsat 5 TM, Landsat 8 OLI e entrevista com comunitários. A análise dos dados de sensoriamento remoto foi elaborada com o uso do software QGIS e seus complementos. Os resultados mostram a perda da vegetação densa e o aumento considerável das áreas edificadas ou com solo exposto. Com isso, conclui-se que o ambiente estudado sofreu profunda intervenção humana nos últimos 31 anos, sem qualquer tipo de reparação da vegetação nativa. Já o método para a coleta de dados qualitativos incluiu a técnica de Entrevista Centrada no Problema aplicada a 31 pessoas e, para analisar as entrevistas, foi utilizada a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC).

24
  • VERENA CIBELE SOARES MOURA
  • Impactos Ambientais da Urbanização: Esforços da Pesquisa Brasileira e Mapeamento e Percepção de Moradores na Cidade de Santarém, Pará

  • Orientador : JOSE MAX BARBOSA DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 06/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • Nos dias atuais o mundo está se tornando cada vez mais urbano, sendo um dos processos mais marcantes na sociedade contemporânea. Essa crescente urbanização têm desencadeado impactos que afetam toda a relação entre a sociedade e o ambiente em que está inserida. Com vistas a analisar essa relação, o presente trabalho divide-se em dois capítulos, onde o primeiro trata de uma análise cienciométrica dos estudos sobre impactos ambientais resultantes da urbanização no Brasil, já possuindo resultados concretos. O segundo busca realizar diagnóstico e avaliar a percepção da população local sobre impactos ambientais presentes na área urbana de Santarém-Pa. Ambos estruturados em forma de artigo. O levantamento cienciométrico foi realizado nas bases de dados Scielo (Scientific Electronic Library Online), Scopus Database (Elsevier) e Web of Science, onde foi realizada a busca por artigos publicados de 1967 a 2017. O trabalho verificou a existência de uma evolução espacial e temporal das publicações científicas, onde foram encontrados 319 artigos, estes começaram a ser publicados somente a partir de 1971, constatou-se que houve uma relação forte positiva entre o número de trabalhos e o ano de publicação (r= 0,751; p < 0,001). A área de atuação dos pesquisadores com maior frequência de ocorrência foi a de ciências sociais aplicadas (n= 88; 28 %), diretamente ligada ao componente impactado saúde, que foi a que obteve o maior quantitativo de artigos (n= 63; 20%), naturalmente, as revistas que mais publicaram também estiveram relacionadas com essa temática. A região sudeste foi a maior detentora de artigos (n= 107; 33%), bem como, a Mata Atlântica (n= 125; 39%), como seu bioma predominante, resultados que reforçam a ideia de que as pesquisas precisam ser descentralizadas dos grandes centros urbanos e expandidas para as demais regiões. Já o segundo capítulo terá como estratégia a espacialização dos impactos, com elaboração de uma base de dados georreferenciados a partir de visitas em campo, enfocando os principais impactos ambientais urbanos. Também será realizada pesquisa documental com posterior realização de mapeamentos temáticos; bem como, serão aplicados questionários aos moradores locais, a fim de averiguar a sua percepção ambiental. Atualmente há um crescente interesse pelas questões ambientais no sentido da preservação, com a imposição de estratégias sustentáveis, torna-se claro que os aspectos ambientais não podem ser isolados dos aspectos sociais. Portanto abordar cientificamente estes assuntos se torna imprescindível para a melhoria da qualidade ambiental e consequentemente das condições de vida da população.

25
  • VERENA CIBELE SOARES MOURA
  • Impactos Ambientais da Urbanização: Esforços da Pesquisa Brasileira e Mapeamento e Percepção de Moradores na Cidade de Santarém, Pará

  • Orientador : JOSE MAX BARBOSA DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 06/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • Nos dias atuais o mundo está se tornando cada vez mais urbano, sendo um dos processos mais marcantes na sociedade contemporânea. Essa crescente urbanização têm desencadeado impactos que afetam toda a relação entre a sociedade e o ambiente em que está inserida. Com vistas a analisar essa relação, o presente trabalho divide-se em dois capítulos, onde o primeiro trata de uma análise cienciométrica dos estudos sobre impactos ambientais resultantes da urbanização no Brasil, já possuindo resultados concretos. O segundo busca realizar diagnóstico e avaliar a percepção da população local sobre impactos ambientais presentes na área urbana de Santarém-Pa. Ambos estruturados em forma de artigo. O levantamento cienciométrico foi realizado nas bases de dados Scielo (Scientific Electronic Library Online), Scopus Database (Elsevier) e Web of Science, onde foi realizada a busca por artigos publicados de 1967 a 2017. O trabalho verificou a existência de uma evolução espacial e temporal das publicações científicas, onde foram encontrados 319 artigos, estes começaram a ser publicados somente a partir de 1971, constatou-se que houve uma relação forte positiva entre o número de trabalhos e o ano de publicação (r= 0,751; p < 0,001). A área de atuação dos pesquisadores com maior frequência de ocorrência foi a de ciências sociais aplicadas (n= 88; 28 %), diretamente ligada ao componente impactado saúde, que foi a que obteve o maior quantitativo de artigos (n= 63; 20%), naturalmente, as revistas que mais publicaram também estiveram relacionadas com essa temática. A região sudeste foi a maior detentora de artigos (n= 107; 33%), bem como, a Mata Atlântica (n= 125; 39%), como seu bioma predominante, resultados que reforçam a ideia de que as pesquisas precisam ser descentralizadas dos grandes centros urbanos e expandidas para as demais regiões. Já o segundo capítulo terá como estratégia a espacialização dos impactos, com elaboração de uma base de dados georreferenciados a partir de visitas em campo, enfocando os principais impactos ambientais urbanos. Também será realizada pesquisa documental com posterior realização de mapeamentos temáticos; bem como, serão aplicados questionários aos moradores locais, a fim de averiguar a sua percepção ambiental. Atualmente há um crescente interesse pelas questões ambientais no sentido da preservação, com a imposição de estratégias sustentáveis, torna-se claro que os aspectos ambientais não podem ser isolados dos aspectos sociais. Portanto abordar cientificamente estes assuntos se torna imprescindível para a melhoria da qualidade ambiental e consequentemente das condições de vida da população.

26
  • HELOISE MICHELLE NUNES MEDEIROS
  • TURISMO ALTERNATIVO: ESFORÇOS DAS PESQUISAS NAS AMÉRICAS E PERCEPÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM UMA RESERVA EXTRATIVISTA (RESEX) DO OESTE PARAENSE, BRASIL

  • Orientador : JOSE MAX BARBOSA DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 18/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O turismo é altamente dependente dos recursos naturais e culturais, porém, em consequência da atratividade dos ambientes pode gerar impactos positivos e/ou negativos, no âmbito natural, cultural ou social. Em virtude das relações supracitadas, as atividades turísticas se especializam em segmentos como é o caso do turismo alternativo, mais consciente e responsável com os recursos naturais e a cultura de sua população local. Neste contexto, o objetivo geral desse trabalho foi realizar uma análise cienciométrica dos estudos com turismo alternativo no continente americano, bem como analisar a percepção local de possíveis impactos ambientais em comunidades localizadas em uma Reserva Extrativista (RESEX) no Oeste paraense, Brasil. Para responder a esses objetivos a dissertação foi dividida em dois capítulos, que estão no formato de artigos. Capítulo 1: O objetivo deste trabalho foi avaliar a produção científica dos estudos publicados sobre turismo alternativo e impactos ambientais no período de 1973 a 2017 no Continente Americano, através de uma análise cienciométrica. O estudo foi desenvolvido através de busca de trabalhos nas bases de dados ISI Web of Knowledge, Scopus Database e Scielo. Foram tabulados 4.137 trabalhos. Existe uma correlação forte positiva entre o número de trabalhos e ano de publicação (r= 0,864; p < 0,001). América do Norte foi a região com o maior número de publicações (N= 2.225; 47,48%). Foi encontrada uma alta diversidade de periódicos que publicam trabalhos sobre turismo alternativo no continente americano (H’= 4.653), sendo Estudios y Perspectivas en Turismo (N=186; 15%) o periódico com maior número de publicações. O maior número de publicações aborda o segmento Ecoturismo (N=1.257; 30,12%). O maior número de trabalhos foi desenvolvido em ambientes terrestres (N=3156; 76%). Do total de publicações, apenas 19% (N=768) foram realizadas em áreas protegidas. As principais abordagens dos estudos foram impactos (N=595; 14,4%). Dentre os meios ambientais, o meio antrópico foi o mais estudado (N=2.826; 40%). Alteração na qualidade da água (17%) foi o componente impactado mais estudado. Existe diferença significativa entre o caráter dos impactos abordados nos trabalhos (F(3, 119) = 2.985; p= 0.034). Mesmo com tantos subconceitos é necessário desenvolver o turismo alternativo de maneira a respeitar o que a essência do segmento preceitua, como o desenvolvimento sustentável, com envolvimento e valorização das comunidades e tradições locais, incorporando-as ao setor econômico e promovendo a educação ambiental. Capítulo 2: O presente capítulo teve como objetivo identificar, considerando a percepção dos moradores, os possíveis impactos ambientais decorrentes do turismo alternativo em comunidades da RESEX Tapajós-Arapiuns, Pará, Brasil. A verificação dos impactos ambientais foi efetuada através de entrevistas estruturadas, com perguntas abertas e fechadas com 122 moradores de três comunidades da RESEX. A maioria (91,8%) dos informantes não sabe explicar o conceito de turismo alternativo (TA), no entanto, para 87,7% deles o TA não gera impactos negativos. Renda (53%) é a expressão mais frequente utilizada pelos moradores da RESEX para desmonstrarem o que o turismo alternativo traz de impactos positivos. Para maioria dos entrevistados os turistas não influenciam na mudança de costumes local (74,6%), bem como, não identificam violência (94,3%) relacionada ao turismo. Por fim, 89,3% dos moradores afirmam que os turistas não poluem os ambientes. A pesquisa realizada nesta importante Unidade de Conservação merece a atenção de técnicos e pesquisadores acadêmicos, podendo dessa forma, fornecer subsídios a programas de gestão, no sentido de proporcionar um conjunto de bases reais para análise, interpretação e planejamento de espaços turísticos.

27
  • HELOISE MICHELLE NUNES MEDEIROS
  • TURISMO ALTERNATIVO: ESFORÇOS DAS PESQUISAS NAS AMÉRICAS E PERCEPÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM UMA RESERVA EXTRATIVISTA (RESEX) DO OESTE PARAENSE, BRASIL

  • Orientador : JOSE MAX BARBOSA DE OLIVEIRA JUNIOR
  • Data: 18/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O turismo é altamente dependente dos recursos naturais e culturais, porém, em consequência da atratividade dos ambientes pode gerar impactos positivos e/ou negativos, no âmbito natural, cultural ou social. Em virtude das relações supracitadas, as atividades turísticas se especializam em segmentos como é o caso do turismo alternativo, mais consciente e responsável com os recursos naturais e a cultura de sua população local. Neste contexto, o objetivo geral desse trabalho foi realizar uma análise cienciométrica dos estudos com turismo alternativo no continente americano, bem como analisar a percepção local de possíveis impactos ambientais em comunidades localizadas em uma Reserva Extrativista (RESEX) no Oeste paraense, Brasil. Para responder a esses objetivos a dissertação foi dividida em dois capítulos, que estão no formato de artigos. Capítulo 1: O objetivo deste trabalho foi avaliar a produção científica dos estudos publicados sobre turismo alternativo e impactos ambientais no período de 1973 a 2017 no Continente Americano, através de uma análise cienciométrica. O estudo foi desenvolvido através de busca de trabalhos nas bases de dados ISI Web of Knowledge, Scopus Database e Scielo. Foram tabulados 4.137 trabalhos. Existe uma correlação forte positiva entre o número de trabalhos e ano de publicação (r= 0,864; p < 0,001). América do Norte foi a região com o maior número de publicações (N= 2.225; 47,48%). Foi encontrada uma alta diversidade de periódicos que publicam trabalhos sobre turismo alternativo no continente americano (H’= 4.653), sendo Estudios y Perspectivas en Turismo (N=186; 15%) o periódico com maior número de publicações. O maior número de publicações aborda o segmento Ecoturismo (N=1.257; 30,12%). O maior número de trabalhos foi desenvolvido em ambientes terrestres (N=3156; 76%). Do total de publicações, apenas 19% (N=768) foram realizadas em áreas protegidas. As principais abordagens dos estudos foram impactos (N=595; 14,4%). Dentre os meios ambientais, o meio antrópico foi o mais estudado (N=2.826; 40%). Alteração na qualidade da água (17%) foi o componente impactado mais estudado. Existe diferença significativa entre o caráter dos impactos abordados nos trabalhos (F(3, 119) = 2.985; p= 0.034). Mesmo com tantos subconceitos é necessário desenvolver o turismo alternativo de maneira a respeitar o que a essência do segmento preceitua, como o desenvolvimento sustentável, com envolvimento e valorização das comunidades e tradições locais, incorporando-as ao setor econômico e promovendo a educação ambiental. Capítulo 2: O presente capítulo teve como objetivo identificar, considerando a percepção dos moradores, os possíveis impactos ambientais decorrentes do turismo alternativo em comunidades da RESEX Tapajós-Arapiuns, Pará, Brasil. A verificação dos impactos ambientais foi efetuada através de entrevistas estruturadas, com perguntas abertas e fechadas com 122 moradores de três comunidades da RESEX. A maioria (91,8%) dos informantes não sabe explicar o conceito de turismo alternativo (TA), no entanto, para 87,7% deles o TA não gera impactos negativos. Renda (53%) é a expressão mais frequente utilizada pelos moradores da RESEX para desmonstrarem o que o turismo alternativo traz de impactos positivos. Para maioria dos entrevistados os turistas não influenciam na mudança de costumes local (74,6%), bem como, não identificam violência (94,3%) relacionada ao turismo. Por fim, 89,3% dos moradores afirmam que os turistas não poluem os ambientes. A pesquisa realizada nesta importante Unidade de Conservação merece a atenção de técnicos e pesquisadores acadêmicos, podendo dessa forma, fornecer subsídios a programas de gestão, no sentido de proporcionar um conjunto de bases reais para análise, interpretação e planejamento de espaços turísticos.

28
  • PAULA DE SOUZA FERREIRA
  • POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: a realidade das escolas municipais do Parque e da Floresta, em Santarém (PA), Brasil

     

  • Orientador : MARIA MIRTES CORTINHAS DOS SANTOS
  • Data: 29/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • A Política Nacional de Educação Ambiental - PNEA foi instituída através da Lei nº 9.795/99, que estabeleceu a obrigatoriedade em disseminar Educação Ambiental (EA) nas escolas em função da melhoria do meio ambiente, concretizando o direito adquirido na Constituição Federal de 1988, Art. 225, inciso VI. No município de Santarém – PA, a criação da Coordenação de Educação Ambiental em 2006, através da Secretaria Municipal de Educação, consistia na implementação da PNEA no município, sendo assim, foram fundados dois polos disseminadores de Educação Ambiental - EA: Escola Municipal da Floresta (2008) e Escola Municipal do Parque (2010). Considerando que as escolas são referência em EA no município de Santarém – PA, este estudo buscou responder a seguinte questão: De que forma a Política Nacional de Educação Ambiental vem sendo desenvolvida nas escolas do Parque e da Floresta? Neste sentido, a pesquisa tem como objetivo principal analisar o desenvolvimento da PNEA, Lei 9.795/99, através do trabalho das escolas da Floresta e do Parque, polos disseminadores de Educação Ambiental na rede municipal de ensino, no município de Santarém (PA). A pesquisa foi desenvolvida através do estudo qualitativo, apoiada na pesquisa bibliográfica: levantamento da literatura sobre meio ambiente, educação ambiental e políticas de Educação Ambiental - EA; documental: PNEA e Planos Municipais de Educação de Santarém – PA (2004 – 2013 e 2015 – 2025); e de campo: entrevistas semiestruturadas com os seguintes participantes: 01 Gestor/coordenador, 01 gestor, 03 professores e 02 educadores. A análise dos dados deu-se através da Análise de Conteúdo. Os dados revelaram a ausência de articulação entre a proposta da Política Nacional de EA nos Planos Municipais de Educação - PME’s analisados, o que demonstrou a fragilidade nas discussões travadas no processo de construção dos referidos PME’s. Observamos os esforços das escolas polos em levar proposta do trabalho para as demais escolas da rede municipal de ensino, no entanto constatou-se que após o ano de 2013 a proposta das escolas sofreu mudanças que passaram a interferir nos objetivos de trabalho das escolas. Dessa forma cabe reflexão e apontar alguns caminhos ao poder público responsável pelo desenvolvimento de EA na rede de ensino, neste caso, a SEMED, para a necessidade de ampliação de atividades de EA em consonância com a PNEA.

29
  • PAULA DE SOUZA FERREIRA
  • POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: a realidade das escolas municipais do Parque e da Floresta, em Santarém (PA), Brasil

     

  • Orientador : MARIA MIRTES CORTINHAS DOS SANTOS
  • Data: 29/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • A Política Nacional de Educação Ambiental - PNEA foi instituída através da Lei nº 9.795/99, que estabeleceu a obrigatoriedade em disseminar Educação Ambiental (EA) nas escolas em função da melhoria do meio ambiente, concretizando o direito adquirido na Constituição Federal de 1988, Art. 225, inciso VI. No município de Santarém – PA, a criação da Coordenação de Educação Ambiental em 2006, através da Secretaria Municipal de Educação, consistia na implementação da PNEA no município, sendo assim, foram fundados dois polos disseminadores de Educação Ambiental - EA: Escola Municipal da Floresta (2008) e Escola Municipal do Parque (2010). Considerando que as escolas são referência em EA no município de Santarém – PA, este estudo buscou responder a seguinte questão: De que forma a Política Nacional de Educação Ambiental vem sendo desenvolvida nas escolas do Parque e da Floresta? Neste sentido, a pesquisa tem como objetivo principal analisar o desenvolvimento da PNEA, Lei 9.795/99, através do trabalho das escolas da Floresta e do Parque, polos disseminadores de Educação Ambiental na rede municipal de ensino, no município de Santarém (PA). A pesquisa foi desenvolvida através do estudo qualitativo, apoiada na pesquisa bibliográfica: levantamento da literatura sobre meio ambiente, educação ambiental e políticas de Educação Ambiental - EA; documental: PNEA e Planos Municipais de Educação de Santarém – PA (2004 – 2013 e 2015 – 2025); e de campo: entrevistas semiestruturadas com os seguintes participantes: 01 Gestor/coordenador, 01 gestor, 03 professores e 02 educadores. A análise dos dados deu-se através da Análise de Conteúdo. Os dados revelaram a ausência de articulação entre a proposta da Política Nacional de EA nos Planos Municipais de Educação - PME’s analisados, o que demonstrou a fragilidade nas discussões travadas no processo de construção dos referidos PME’s. Observamos os esforços das escolas polos em levar proposta do trabalho para as demais escolas da rede municipal de ensino, no entanto constatou-se que após o ano de 2013 a proposta das escolas sofreu mudanças que passaram a interferir nos objetivos de trabalho das escolas. Dessa forma cabe reflexão e apontar alguns caminhos ao poder público responsável pelo desenvolvimento de EA na rede de ensino, neste caso, a SEMED, para a necessidade de ampliação de atividades de EA em consonância com a PNEA.

30
  • TONY GLEYDSON DA SILVA BARROS
  • A PARTICIPAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALTAMIRA NA REDE DE ENFRENTAMENTO DA VIOLENCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

  • Data: 29/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • Dentre os mais diversos problemas sociais, o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes vem demandando uma série de reflexões teóricas e conceituais, transformando de forma paradigmática o seu enfrentamento nas últimas duas décadas, surgindo com isso novas exigências em relação a atuação da escola e dos educadores que não poderiam ficar alheios a essas transformações. Nessa perspectiva, a problemática que nos propomos investigar nessa dissertação de pesquisa teve como questão central: Como as Escolas Municipais e Estaduais de Altamira - Pará tem enfrentamento às Violações Sexuais de crianças e Adolescentes? Como questões secundárias: como a escola pode contribuir no enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes? A pesquisa tem por objetivo geral: Analisar como as escolas municipais e estaduais do município de Altamira – Pará vem atuando no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes. Por objetivos específicos: verificar como as escolas de nível médio e fundamental do município de Altamira-PA, atuam para prevenir e combater a violência sexual de crianças e adolescentes; investigar a importância da articulação entre as práticas pedagógicas desenvolvidas nas escolas e a mobilização social, mediante as atividades das escolas relacionadas a planos de ação ao enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes no Município de Altamira; levantar os índices de violência sexual de crianças e adolescentes no município de Altamira e apurar sua correlação com as questões de vulnerabilidade socioeconômicas das vítimas (crianças e adolescentes), etapas da Construção da Usina Hidroelétrica de Belo Monte, idade e grau de escolaridade. A pesquisa ainda encontra em fase de elaboração, por tanto, o texto aqui apresentado no exame de qualificação trás apenas os resultados parciais. Temos na primeira conceitos e definições de violência sexual infanto juvenir e na segunda seção fazemos uma análise das legislações, buscando identificar como a Constituição Federal de 1988, ECA, LDB 9394/96, entre outros, tratam a questão.

31
  • TONY GLEYDSON DA SILVA BARROS
  • A PARTICIPAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALTAMIRA NA REDE DE ENFRENTAMENTO DA VIOLENCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

  • Data: 29/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • Dentre os mais diversos problemas sociais, o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes vem demandando uma série de reflexões teóricas e conceituais, transformando de forma paradigmática o seu enfrentamento nas últimas duas décadas, surgindo com isso novas exigências em relação a atuação da escola e dos educadores que não poderiam ficar alheios a essas transformações. Nessa perspectiva, a problemática que nos propomos investigar nessa dissertação de pesquisa teve como questão central: Como as Escolas Municipais e Estaduais de Altamira - Pará tem enfrentamento às Violações Sexuais de crianças e Adolescentes? Como questões secundárias: como a escola pode contribuir no enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes? A pesquisa tem por objetivo geral: Analisar como as escolas municipais e estaduais do município de Altamira – Pará vem atuando no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes. Por objetivos específicos: verificar como as escolas de nível médio e fundamental do município de Altamira-PA, atuam para prevenir e combater a violência sexual de crianças e adolescentes; investigar a importância da articulação entre as práticas pedagógicas desenvolvidas nas escolas e a mobilização social, mediante as atividades das escolas relacionadas a planos de ação ao enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes no Município de Altamira; levantar os índices de violência sexual de crianças e adolescentes no município de Altamira e apurar sua correlação com as questões de vulnerabilidade socioeconômicas das vítimas (crianças e adolescentes), etapas da Construção da Usina Hidroelétrica de Belo Monte, idade e grau de escolaridade. A pesquisa ainda encontra em fase de elaboração, por tanto, o texto aqui apresentado no exame de qualificação trás apenas os resultados parciais. Temos na primeira conceitos e definições de violência sexual infanto juvenir e na segunda seção fazemos uma análise das legislações, buscando identificar como a Constituição Federal de 1988, ECA, LDB 9394/96, entre outros, tratam a questão.

32
  • ELINES DOS SANTOS BATISTA
  • DIAGNÓSTICO DA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DOS PORTOS EM MIRITITUBA, ITAITUBA-PARÁ

  • Orientador : RUBENS ELIAS DA SILVA
  • Data: 30/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como título: Diagnóstico da geração de emprego e renda a partir da implantação dos portos em Miritituba, Itaituba-Pará, tem por objetivo geral analisar a contribuição dos portos graneleiros na geração de emprego e renda a partir da implantação destes em Miritituba, e como objetivos específicos averiguar o compromisso assumido pelas empresas na geração de emprego e renda para os moradores da comunidade e o que realmente está sendo cumprido; conhecer o perfil de qualificação profissional dos trabalhadores que atuam direta e indiretamente nas empresas instaladas; verificar a participação da mão de obra local nos empregos gerados pelas empresas de forma direta e indireta; e analisar o papel da economia informal no Porto de Miritituba. A metodologia usada para o desenvolvimento do estudo teve como base a pesquisa bibliográfica para construção teórica do trabalho, utilizando uma abordagem quanti-qualitativa, pesquisa exploratória e descritiva, com pesquisa de campo e pesquisa documental, sendo utilizado como instrumento de coleta de dados o questionário e análise de conteúdo para triangulação por fontes com análise documental a partir de documentos públicos fornecidos pela câmara municipal de Itaituba e prefeitura municipal de Itaituba, assim como relatórios fornecidos pela AMPORT sobre a participação da população local contratada para atuar nas empresas envolvidas no processo de instalação e ainda buscará verificar a percepção de moradores da comunidade.

     

     

     

33
  • ANA QUELOENE IMBIRIBA CORRÊA
  • PERFIL DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS, ECONÔMICAS E AMBIENTAIS DAS CASAS DE FARINHAS DE MANDIOCA LOCALIZADAS NO PLANALTO SANTARENO/PA

  • Orientador : ISRAEL NUNES HENRIQUE
  • Data: 06/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • As casas de farinha são estruturas produtivas que realizam o beneficiamento da mandioca para a produção da farinha e outros derivados, e com exceção de alguns estabelecimentos a maioria utilizam método tradicional de produção e mão-de-obra familiar no Brasil. Este trabalho teve como objetivo avaliar as condições sanitárias e a percepção dos trabalhadores em relação aos impactos socioeconômicos e ambientais das casas de farinha de mandioca localizadas no Distrito de Boa Esperança, Município de Santarém (PA). Para tanto a metodologia contemplou as seguintes etapas: levantamento bibliográficos, caracterização da área de estudo, registro fotográfico, coleta de coordenada geográficas, aplicação de uma ficha de inspeção RDC 216/2004, e entrevista através de aplicação de formulários da qual teve como público alvo os agricultores de cada casa de farinha. trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa e quantitativa, onde foram caracterizadas seis casas de farinha distribuídas em três comunidades diferentes e entrevistados 22 trabalhadores. A análise de dados ocorreu por meio de análise estatística descritiva dos dados, através de frequências absolutas (n) e relativas (%). O estudo revela que as casas de farinha no Distrito de Boa Esperança são de pequeno porte, com caráter familiar, com avanço no aparato tecnológico, sendo essas classificadas como mecanizada e semi-mecanizadas e a qualidade sanitária ainda não contempla todos os itens mínimos exigidos pela RDC 216/2004.  Quanto a percepção dos trabalhadores sobre os principais impactos socioeconômicos, destaca-se que a maioria são do sexo masculino (64%) e a venda dos derivados da mandioca é a principal fonte de renda dos entrevistados. E a percepção ambientais demostrou que os mesmos são conhecedores dos problemas ambientais causados pela atividade mandioqueira. Referente aos casos estudados conclui-se que é necessário a implementação de medidas corretivas e preventivas afim de garantir a qualidade dos alimentos produzidos nesses locais, bem como para melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores.

34
  • ANA QUELOENE IMBIRIBA CORRÊA
  • PERFIL DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS, ECONÔMICAS E AMBIENTAIS DAS CASAS DE FARINHAS DE MANDIOCA LOCALIZADAS NO PLANALTO SANTARENO/PA

  • Orientador : ISRAEL NUNES HENRIQUE
  • Data: 06/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • As casas de farinha são estruturas produtivas que realizam o beneficiamento da mandioca para a produção da farinha e outros derivados, e com exceção de alguns estabelecimentos a maioria utilizam método tradicional de produção e mão-de-obra familiar no Brasil. Este trabalho teve como objetivo avaliar as condições sanitárias e a percepção dos trabalhadores em relação aos impactos socioeconômicos e ambientais das casas de farinha de mandioca localizadas no Distrito de Boa Esperança, Município de Santarém (PA). Para tanto a metodologia contemplou as seguintes etapas: levantamento bibliográficos, caracterização da área de estudo, registro fotográfico, coleta de coordenada geográficas, aplicação de uma ficha de inspeção RDC 216/2004, e entrevista através de aplicação de formulários da qual teve como público alvo os agricultores de cada casa de farinha. trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa e quantitativa, onde foram caracterizadas seis casas de farinha distribuídas em três comunidades diferentes e entrevistados 22 trabalhadores. A análise de dados ocorreu por meio de análise estatística descritiva dos dados, através de frequências absolutas (n) e relativas (%). O estudo revela que as casas de farinha no Distrito de Boa Esperança são de pequeno porte, com caráter familiar, com avanço no aparato tecnológico, sendo essas classificadas como mecanizada e semi-mecanizadas e a qualidade sanitária ainda não contempla todos os itens mínimos exigidos pela RDC 216/2004.  Quanto a percepção dos trabalhadores sobre os principais impactos socioeconômicos, destaca-se que a maioria são do sexo masculino (64%) e a venda dos derivados da mandioca é a principal fonte de renda dos entrevistados. E a percepção ambientais demostrou que os mesmos são conhecedores dos problemas ambientais causados pela atividade mandioqueira. Referente aos casos estudados conclui-se que é necessário a implementação de medidas corretivas e preventivas afim de garantir a qualidade dos alimentos produzidos nesses locais, bem como para melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores.

35
  • PATRÍCIA SANTOS SILVA
  • TRATAMENTO BIOLÓGICO DE EFLUENTES DO PROCESSAMENTO DA MANDIOCA: INCENTIVO SUSTENTÁVEL AS UNIDADES PRODUTORAS DE FARINHA

  • Orientador : ISRAEL NUNES HENRIQUE
  • Data: 06/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A mandioca é um cultivo de destaque no Brasil, com elevada produção e consumo. Do seu beneficiamento surgem a farinha ou fécula como produtos finais, a partir de diferentes tipos de processamento. Nesse contexto são gerados resíduos sem destino adequado, a exemplo da manipueira e da água residual de puba. Esses efluentes são ricos em matéria orgânica, com baixo pH e presença de cianeto. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência de tratamento biológico dos efluentes, como forma de incentivo sustentável as unidades produtoras de farinha. O experimento consistiu de três sistemas, sendo utilizados lagoas facultativas (L1, L2 e L3) e reatores UASB (U1, U2 e U3) onde cada um tratou afluente com as seguintes proporções: (A1) esgoto bruto e água de puba (6:4); (A2) esgoto bruto e manipueira (9:1) e (A3) esgoto bruto, água de puba e manipueira (6:3:1). Todos foram monitorados e avaliados através de análises físicas e químicas, os quais foram diluídos a 150 litros/por semana de preparação. A caracterização da manipueira apresentou os seguintes resultados: pH (28,7 °C) 4,51; cianeto total de 297 mg. L-1 e DQOt de 42101 mg. L-1. Enquanto aos resultados de água de puba foram encontrados: pH (27,2 °C) 3,85; cianeto total de 27,6 mg. L-1 e DQOt de 11124 mg. L-1. A estabilização do pH das lagoas em relação ao afluente apresentou em todos os cinco ciclos de partida de tratamento dentro do recomendado para a capacidade tampão dos reatores UASB. Com relação a CN, as lagoas (L1, L2 e L3) removeram respectivamente 79%, 70% e 69%. Para remoção de DQO foram obtidos em torno de 60% para o sistema 1 (L1 – U1), 59% para o sistema 2 (L2 - U2) e 55% de remoção no sistema 3 (L3 – U3). Os efluentes tratados dos reatores UASB demonstraram teores importantes de NTK, NH4+, Pt e PO43- para o reuso na fertirrigação. Portanto os sistemas de tratamento apresentaram viabilidade técnica e econômica na utilização de processos biológicos na elevação do pH e na remoção de cianeto, bem como, na qualidade ambiental com a retirada de grande parte da matéria orgânica biodegradada.

36
  • PATRÍCIA SANTOS SILVA
  • TRATAMENTO BIOLÓGICO DE EFLUENTES DO PROCESSAMENTO DA MANDIOCA: INCENTIVO SUSTENTÁVEL AS UNIDADES PRODUTORAS DE FARINHA

  • Orientador : ISRAEL NUNES HENRIQUE
  • Data: 06/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A mandioca é um cultivo de destaque no Brasil, com elevada produção e consumo. Do seu beneficiamento surgem a farinha ou fécula como produtos finais, a partir de diferentes tipos de processamento. Nesse contexto são gerados resíduos sem destino adequado, a exemplo da manipueira e da água residual de puba. Esses efluentes são ricos em matéria orgânica, com baixo pH e presença de cianeto. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência de tratamento biológico dos efluentes, como forma de incentivo sustentável as unidades produtoras de farinha. O experimento consistiu de três sistemas, sendo utilizados lagoas facultativas (L1, L2 e L3) e reatores UASB (U1, U2 e U3) onde cada um tratou afluente com as seguintes proporções: (A1) esgoto bruto e água de puba (6:4); (A2) esgoto bruto e manipueira (9:1) e (A3) esgoto bruto, água de puba e manipueira (6:3:1). Todos foram monitorados e avaliados através de análises físicas e químicas, os quais foram diluídos a 150 litros/por semana de preparação. A caracterização da manipueira apresentou os seguintes resultados: pH (28,7 °C) 4,51; cianeto total de 297 mg. L-1 e DQOt de 42101 mg. L-1. Enquanto aos resultados de água de puba foram encontrados: pH (27,2 °C) 3,85; cianeto total de 27,6 mg. L-1 e DQOt de 11124 mg. L-1. A estabilização do pH das lagoas em relação ao afluente apresentou em todos os cinco ciclos de partida de tratamento dentro do recomendado para a capacidade tampão dos reatores UASB. Com relação a CN, as lagoas (L1, L2 e L3) removeram respectivamente 79%, 70% e 69%. Para remoção de DQO foram obtidos em torno de 60% para o sistema 1 (L1 – U1), 59% para o sistema 2 (L2 - U2) e 55% de remoção no sistema 3 (L3 – U3). Os efluentes tratados dos reatores UASB demonstraram teores importantes de NTK, NH4+, Pt e PO43- para o reuso na fertirrigação. Portanto os sistemas de tratamento apresentaram viabilidade técnica e econômica na utilização de processos biológicos na elevação do pH e na remoção de cianeto, bem como, na qualidade ambiental com a retirada de grande parte da matéria orgânica biodegradada.

37
  • MILTON RENATO DA SILVA MELO
  • APA Paytuna em Monte Alegre - PA: Desenvolvimento Socioeconômico nas Comunidades de Santana, Lages e Paytuna

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 12/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A criação de áreas protegidas, pode ser considerada uma estratégia efetiva de proteção da biodiversidade e de seus recursos naturais, uma vez que estabelece o controle de territórios, definindo limites e especificando dinâmicas em seu uso e ocupação. O Estado do Pará avançou bastante quanto à criação de Unidades de Conservação - UCs, tendo atualmente 25 UCs estaduais. No tocante, a criação de unidades de conservação por si só, não garante a preservação, e/ou conservação da natureza, bem como, o efetivo uso racional dos recursos naturais de uma determinada área. A criação de UCs em muitas vezes, reflete um antagonismo entre a lógica das comunidades tradicionais e as perspectivas preservacionistas e conservacionistas, provocando conflitos de diversas naturezas, entre eles, o não reconhecimento das práticas e costumes das populações locais. A criação da Área de Proteção Ambiental - APA Paytuna no município de Monte Alegre, por meio da Lei Estadual nº. 6.426, de 17 de dezembro de 2001, dispondo de uma área 58.251 hectares é reflexo do avanço do estado do Pará quanto ao uso dessa estratégia de proteção dos recursos naturais. Nesse sentido a pesquisa tem como objetivo principal analisar os efeitos da criação da APA Paytuna quanto ao desenvolvimento socioeconômico das comunidades de Santana, Lages e Paytuna. A pesquisa consiste numa pesquisa de campo e documental, incluindo uma abordagem quanti-qualitaviva dos dados, utilizando as técnicas de entrevista semiestruturada com predominância de questões abertas, e a pesquisa documental. A análise dos dados se dará por meio da análise de conteúdo. Assim, espera-se que esta pesquisa possibilite compreender as relações ambientais estabelecidas entre os indivíduos que residem nas comunidades participantes da pesquisa na APA e instituições que atuam de forma direta ou indireta com a mesma, e como estas influenciam em suas ações. Espera-se também, que ao analisar o desenvolvimento socioeconômico dos moradores das comunidades pesquisadas, seja possível subsidiar possíveis demandas dessas populações acerca de recursos para o seu desenvolvimento social e econômico, e/ou, contribuir de forma relevante para as esferas públicas Municipais, Estaduais e Federais, no que tange o planejamento, criação e implementação de políticas públicas inerentes às UCs.

38
  • MILTON RENATO DA SILVA MELO
  • APA Paytuna em Monte Alegre - PA: Desenvolvimento Socioeconômico nas Comunidades de Santana, Lages e Paytuna

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 12/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A criação de áreas protegidas, pode ser considerada uma estratégia efetiva de proteção da biodiversidade e de seus recursos naturais, uma vez que estabelece o controle de territórios, definindo limites e especificando dinâmicas em seu uso e ocupação. O Estado do Pará avançou bastante quanto à criação de Unidades de Conservação - UCs, tendo atualmente 25 UCs estaduais. No tocante, a criação de unidades de conservação por si só, não garante a preservação, e/ou conservação da natureza, bem como, o efetivo uso racional dos recursos naturais de uma determinada área. A criação de UCs em muitas vezes, reflete um antagonismo entre a lógica das comunidades tradicionais e as perspectivas preservacionistas e conservacionistas, provocando conflitos de diversas naturezas, entre eles, o não reconhecimento das práticas e costumes das populações locais. A criação da Área de Proteção Ambiental - APA Paytuna no município de Monte Alegre, por meio da Lei Estadual nº. 6.426, de 17 de dezembro de 2001, dispondo de uma área 58.251 hectares é reflexo do avanço do estado do Pará quanto ao uso dessa estratégia de proteção dos recursos naturais. Nesse sentido a pesquisa tem como objetivo principal analisar os efeitos da criação da APA Paytuna quanto ao desenvolvimento socioeconômico das comunidades de Santana, Lages e Paytuna. A pesquisa consiste numa pesquisa de campo e documental, incluindo uma abordagem quanti-qualitaviva dos dados, utilizando as técnicas de entrevista semiestruturada com predominância de questões abertas, e a pesquisa documental. A análise dos dados se dará por meio da análise de conteúdo. Assim, espera-se que esta pesquisa possibilite compreender as relações ambientais estabelecidas entre os indivíduos que residem nas comunidades participantes da pesquisa na APA e instituições que atuam de forma direta ou indireta com a mesma, e como estas influenciam em suas ações. Espera-se também, que ao analisar o desenvolvimento socioeconômico dos moradores das comunidades pesquisadas, seja possível subsidiar possíveis demandas dessas populações acerca de recursos para o seu desenvolvimento social e econômico, e/ou, contribuir de forma relevante para as esferas públicas Municipais, Estaduais e Federais, no que tange o planejamento, criação e implementação de políticas públicas inerentes às UCs.

39
  • MARIA ZILOMAR DE SOUSA UCHOA
  • ACESSO ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS DE MULHERES DO CAMPO: UMA ANÁLISE DA ATUAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE MULHERES TRABALHADORAS RURAIS DO MUNICÍPIO DE BELTERRA-PARÁ 

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 14/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil,as primeiras políticas públicas para as mulheres foram fruto do fortalecimento dos movimentos sociais, e que também corroboraram para participação das mulheres na elaboração do texto constitucional de 1988, o qual contempla direitos sociais voltados para as mulheres. Este estudo promove um debate sobre direitos sociais e políticas públicas direcionadas para as mulheres rurais no contexto de uma associação rural na Amazônia. A pesquisa debruçou-se sobre a seguinte problemática: que políticas públicas a Associação de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Município de Belterra-Pará (Amabela) têm acesso? Teve como objetivo geral, analisar as políticas públicas que as mulheres da Amabela têm acesso. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com o levantamento bibliográfico (estudo teórico) e aplicação de entrevistas semiestruturadas (pesquisa de campo), com a abordagem qualitativa, sendo os dados analisados por meio da técnica análise de conteúdo. Foram entrevistadas 20 associadas, as quais mostraram que as mulheres da Amabela têm acesso à políticas públicas gerais, voltadas para a educação, trabalho e previdência social, não sendo relatada política pública específica para as associadas. Concluiu-se que a associação torna o movimento das mulheres mais forte, apesar de terem acesso as políticas públicas de forma insuficiente. O fato de estarem associadas, possibilita que essas mulheres tenham o conhecimento sobre os seus direitos e orientações de como reivindicá-los.

40
  • DEIZE FREITAS PONTES
  • CONDIÇÕES DE VIDA E HÁBITOS CULTURAIS EM SAÚDE EM COMUNIDADE TRADICIONAL DO BAIXO AMAZONAS: O CASO DO QUILOMBO/MOCAMBO MURATUBINHA.

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 25/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação está centrada no modo de viver e nos hábitos culturais em saúde da população do interior da Amazônia, destacando-se a Comunidade Remanescente de Quilombos Muratubinha, no oeste paraense. A comunidade está caracterizada pela sua diversidade ambiental, por suas complexidades socioculturais e condições geográficas singulares. A questão científica que norteou a pesquisa é: as práticas sociais cotidianas e os hábitos culturais em saúde influenciam a qualidade de vida de moradores de uma comunidade quilombola da Amazônia? A pesquisa teve por objetivo investigar as condições sociais vividas e as práticas culturais de quilombolas no processo saúde – doença. Buscou evidenciar, ou não, pontos que vinculem as culturas dos moradores da comunidade investigada ao meio ambiente em que vivem e como é promovida a saúde coletiva pela e junto à população, além dos aspectos associados que interferem na saúde e os recursos utilizados pelos quilombolas, de forma preventiva e curativa. A pesquisa de abordagem qualitativa com elementos do método etnográfico focou uma comunidade de remanescentes de quilombos, Muratubinha, caracterizada como de várzea, em Óbidos-PA. Por meio da aplicação de questionário utilizando entrevista semiestruturada com narradores-chave, observação participante, transcrição e análise das informações que validaram os resultados, possibilitando um posicionamento científico e de cidadania das condições de vida e saúde dos comunitários, identificando e empoderando, para isso, aspectos imprescindíveis da cultura quilombola na manutenção de sua identidade e de seus saberes.

41
  • DEIZE FREITAS PONTES
  • CONDIÇÕES DE VIDA E HÁBITOS CULTURAIS EM SAÚDE EM COMUNIDADE TRADICIONAL DO BAIXO AMAZONAS: O CASO DO QUILOMBO/MOCAMBO MURATUBINHA.

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 25/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação está centrada no modo de viver e nos hábitos culturais em saúde da população do interior da Amazônia, destacando-se a Comunidade Remanescente de Quilombos Muratubinha, no oeste paraense. A comunidade está caracterizada pela sua diversidade ambiental, por suas complexidades socioculturais e condições geográficas singulares. A questão científica que norteou a pesquisa é: as práticas sociais cotidianas e os hábitos culturais em saúde influenciam a qualidade de vida de moradores de uma comunidade quilombola da Amazônia? A pesquisa teve por objetivo investigar as condições sociais vividas e as práticas culturais de quilombolas no processo saúde – doença. Buscou evidenciar, ou não, pontos que vinculem as culturas dos moradores da comunidade investigada ao meio ambiente em que vivem e como é promovida a saúde coletiva pela e junto à população, além dos aspectos associados que interferem na saúde e os recursos utilizados pelos quilombolas, de forma preventiva e curativa. A pesquisa de abordagem qualitativa com elementos do método etnográfico focou uma comunidade de remanescentes de quilombos, Muratubinha, caracterizada como de várzea, em Óbidos-PA. Por meio da aplicação de questionário utilizando entrevista semiestruturada com narradores-chave, observação participante, transcrição e análise das informações que validaram os resultados, possibilitando um posicionamento científico e de cidadania das condições de vida e saúde dos comunitários, identificando e empoderando, para isso, aspectos imprescindíveis da cultura quilombola na manutenção de sua identidade e de seus saberes.

42
  • MONICA PATRICIA DE SOUSA REGO
  • Avaliação do comportamento e Bem-Estar do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) juvenil em cativeiro


  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 25/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo observar e descrever o comportamento do peixe-boi-da-Amazônia juvenil no cativeiro, foram enfatizados os comportamentos agonistas e estereotipia em cativeiro verificar o grau de Bem-estar Animal pela primeira vez na espécie. Com intuito de aumentar o conhecimento comportamental da espécie e produzir dados quanto aos comportamentos indesejáveis, ajudando a mensuração do Bem-estar Animal. O estudo divide-se em 3 capítulos: (1) introdução, (2) Comportamento do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) em idade juvenil mantido em cativeiro e (3) Diagnóstico e Bem-estar Animal do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) mantidos em cativeiro: uma tentativa de quantificar e qualificar o BEA. O estudo ocorreu entre Maio a Julho de 2019, no zoológico da Universidade da Amazônia (UNAMA) localizado na cidade de Santarém-PA, utilizando 9 animais juvenil. Quanto a metodologia para os comportamentos registrou-se o método de amostragem “Ad libitum” para a confecção do etograma. Para os registros etológicos foi utilizada a técnica usada “scan” com auxilio de gravações com câmera e anotações em planilhas diferenciadas pelas categorias: afiliativa, agonista, alimentar, estereotipia, interespecífica e individual. Foram obtidos registros de maior frequência o comportamento individual (36%,) quanto aos comportamentos indesejáveis agonistas (5%) e estereotipados (3%). Quanto a mensuração do BEA foram adaptados protocolos analisando: indicador de sanidades, indicador nutricionais, indicador comportamental e indicador ambiental, considerando as seguintes categorias: Inadequada (1), Adequada (3) e Regular (2). Foram obtidos a mediana, mínima e máxima sendo obtida: nutricional 2 (2,2), sanidade 2 (2,1), ambiental 1 (1,1) e comportamental 2 (3,1). O protocolo mostrou-se importante ferramenta para o diagnóstico do BEA, auxiliando as equipes que reabilitam esses animais, sinalizando também os pontos críticos evidenciando o cenário quantitativa e qualitativamente.

43
  • MONICA PATRICIA DE SOUSA REGO
  • Avaliação do comportamento e Bem-Estar do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) juvenil em cativeiro


  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 25/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo observar e descrever o comportamento do peixe-boi-da-Amazônia juvenil no cativeiro, foram enfatizados os comportamentos agonistas e estereotipia em cativeiro verificar o grau de Bem-estar Animal pela primeira vez na espécie. Com intuito de aumentar o conhecimento comportamental da espécie e produzir dados quanto aos comportamentos indesejáveis, ajudando a mensuração do Bem-estar Animal. O estudo divide-se em 3 capítulos: (1) introdução, (2) Comportamento do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) em idade juvenil mantido em cativeiro e (3) Diagnóstico e Bem-estar Animal do peixe-boi-da-Amazônia (Trichechus inunguis NATTERER, 1883) mantidos em cativeiro: uma tentativa de quantificar e qualificar o BEA. O estudo ocorreu entre Maio a Julho de 2019, no zoológico da Universidade da Amazônia (UNAMA) localizado na cidade de Santarém-PA, utilizando 9 animais juvenil. Quanto a metodologia para os comportamentos registrou-se o método de amostragem “Ad libitum” para a confecção do etograma. Para os registros etológicos foi utilizada a técnica usada “scan” com auxilio de gravações com câmera e anotações em planilhas diferenciadas pelas categorias: afiliativa, agonista, alimentar, estereotipia, interespecífica e individual. Foram obtidos registros de maior frequência o comportamento individual (36%,) quanto aos comportamentos indesejáveis agonistas (5%) e estereotipados (3%). Quanto a mensuração do BEA foram adaptados protocolos analisando: indicador de sanidades, indicador nutricionais, indicador comportamental e indicador ambiental, considerando as seguintes categorias: Inadequada (1), Adequada (3) e Regular (2). Foram obtidos a mediana, mínima e máxima sendo obtida: nutricional 2 (2,2), sanidade 2 (2,1), ambiental 1 (1,1) e comportamental 2 (3,1). O protocolo mostrou-se importante ferramenta para o diagnóstico do BEA, auxiliando as equipes que reabilitam esses animais, sinalizando também os pontos críticos evidenciando o cenário quantitativa e qualitativamente.

44
  • CAMILA DA COSTA LOPES
  • INVESTIGAÇÕES CULTURAIS E GEOARQUEOLÓGICAS DA ETNIA KONDURI A PARTIR DE REGISTROS CERÂMICOS.

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 26/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação apresenta resultado de investigações culturais, georqueológicas e antropológicas da extinta etnia Konduri, no período de contato entre europeus e povos originários na região do Baixo Amazonas no período da colonização. Relatos apontaram que ela viveu nos séculos V ao XVII, na região onde se localizam as cidades de Nhamundá, Oriximiná, Faro e Óbidos. Os objetivos de nossa pesquisa são o de investigar a formação cultural e identitária dos Konduris a partir de registros e análises geoarqueológicas de objetos cerâmicos da região do Baixo Amazonas. A pesquisa foi dividida em três momentos. O primeiro diz respeito ao estado da arte, caráter bibliográfico, sobre relatos de cronistas que navegaram o rio Amazonas, na região pesquisada, entre os séculos XVI e XVII, como Orellana e Acunã. No segundo momento, foram feitas análises quanti-qualitativas, com descrição de 20 fragmentos cerâmicos sob a salvaguarda do Museu Integrado de Óbidos, encontrados na comunidade de Arapucu, seguindo referências reconhecidas do estilo Konduri, além de balanço estatístico sobre características pertencentes ao estilo Konduri. No terceiro momento, foi realizada a análise geoarqueológica-arqueométrica, por meio de técnicas de difração de raio X – DRX, para identificar fases mineralógicas dos materiais componentes das cerâmicas, e a Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), para caracterizar morfologicamente argila e o tempero de resistência de cerâmicas. Os resultados permitiram afirmar que as peças investigadas são características do estilo Konduri, e evidenciam incisões retilíneos, curvilíneos e aleatórios, aplicação e ponteamento das peças, além da presença apêndices zoomórficos e antropomórficos, bem como presença cauxi. Isto confirma referências arqueológicas da região e possibilitam sugerir preocupação da etnia em melhorar a resistência mecânica das peças cerâmicas.

     

45
  • CAMILA DA COSTA LOPES
  • INVESTIGAÇÕES CULTURAIS E GEOARQUEOLÓGICAS DA ETNIA KONDURI A PARTIR DE REGISTROS CERÂMICOS.

  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 26/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação apresenta resultado de investigações culturais, georqueológicas e antropológicas da extinta etnia Konduri, no período de contato entre europeus e povos originários na região do Baixo Amazonas no período da colonização. Relatos apontaram que ela viveu nos séculos V ao XVII, na região onde se localizam as cidades de Nhamundá, Oriximiná, Faro e Óbidos. Os objetivos de nossa pesquisa são o de investigar a formação cultural e identitária dos Konduris a partir de registros e análises geoarqueológicas de objetos cerâmicos da região do Baixo Amazonas. A pesquisa foi dividida em três momentos. O primeiro diz respeito ao estado da arte, caráter bibliográfico, sobre relatos de cronistas que navegaram o rio Amazonas, na região pesquisada, entre os séculos XVI e XVII, como Orellana e Acunã. No segundo momento, foram feitas análises quanti-qualitativas, com descrição de 20 fragmentos cerâmicos sob a salvaguarda do Museu Integrado de Óbidos, encontrados na comunidade de Arapucu, seguindo referências reconhecidas do estilo Konduri, além de balanço estatístico sobre características pertencentes ao estilo Konduri. No terceiro momento, foi realizada a análise geoarqueológica-arqueométrica, por meio de técnicas de difração de raio X – DRX, para identificar fases mineralógicas dos materiais componentes das cerâmicas, e a Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), para caracterizar morfologicamente argila e o tempero de resistência de cerâmicas. Os resultados permitiram afirmar que as peças investigadas são características do estilo Konduri, e evidenciam incisões retilíneos, curvilíneos e aleatórios, aplicação e ponteamento das peças, além da presença apêndices zoomórficos e antropomórficos, bem como presença cauxi. Isto confirma referências arqueológicas da região e possibilitam sugerir preocupação da etnia em melhorar a resistência mecânica das peças cerâmicas.

     

46
  • DANIELY LEAL DA COSTA
  • FUNCIONALIDADE PÉLVICA E QUALIDADE DE VIDA DE AGRICULTORAS DO INTERIOR DA AMAZÔNIA

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 28/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • Observa-se uma crescente valorização e empoderamento feminino em vários espaços da sociedade contemporânea, inclusive na área rural. As agricultoras acabam somando diversas tarefas o que pode impactarde maneira negativa em sua saúde e qualidade de vida. O presente estudo teve como objetivo analisar as relações entre as práticas laborais, funcionalidade pélvica e qualidade de vida das agricultoras de uma comunidade na região Oeste do Pará, no interior da Amazônia. Para tanto, o trabalho foi organizado no formato de 3 artigos. O primeiro artigo traz uma análise das autopercepções quanto àqualidade de vida das mulheres participantes, realizada por meio de uma entrevista e uma aplicação de questionário trazendo perguntas abertas e fechadas respectivamente. Observou-se que as agricultoras relatam aspectos positivos e negativos de viver e trabalhar no interior da Amazônia, estando sua qualidade de vida em uma escala regular, segundo as mesmas. O segundo artigo objetiva analisar as condições de saúde geral das agricultoras. Analisou-se os movimentos mais repetidos na pratica laboral e foi realizado um exame físico nas mesmas, com obtenção de fotografias em visão anterior, lateral, posterior e de flexão de tronco. Observou-se que 100% da amostra possui quadros álgicos, a grande maioria possui distúrbios posturais e as maiores queixas estão relacionadas ao sistema osteomioarticular, sofrendo influência das práticas realizadas por elas. O 3° capítulo avaliou a funcionalidade pélvica das agricultoras. Foi realizado um exame do assoalho pélvico em local adequado, quantificado a força muscular através de um perineômetro e avaliado a ativação do assoalho pélvico e musculatura abdominal nos movimentos mais realizados durante o trabalho das mesmas. Evidenciou-se que 53% da amostra possuem prolapsos, 53% possui dor pélvica e 38% apresenta incontinência urinária de esforço. Através da eletromiografia dinâmica foi possível inferir a relação da musculatura do assolho pélvico com a prática da agricultura no interior da Amazônia. Entende-se que se faz necessário ações de promoção a saúde e melhorias nos domínios de responsabilidade governamentais a fim de promover melhor qualidade de vida para este público.

47
  • DANIELY LEAL DA COSTA
  • FUNCIONALIDADE PÉLVICA E QUALIDADE DE VIDA DE AGRICULTORAS DO INTERIOR DA AMAZÔNIA

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 28/11/2019
  • Mostrar Resumo
  • Observa-se uma crescente valorização e empoderamento feminino em vários espaços da sociedade contemporânea, inclusive na área rural. As agricultoras acabam somando diversas tarefas o que pode impactarde maneira negativa em sua saúde e qualidade de vida. O presente estudo teve como objetivo analisar as relações entre as práticas laborais, funcionalidade pélvica e qualidade de vida das agricultoras de uma comunidade na região Oeste do Pará, no interior da Amazônia. Para tanto, o trabalho foi organizado no formato de 3 artigos. O primeiro artigo traz uma análise das autopercepções quanto àqualidade de vida das mulheres participantes, realizada por meio de uma entrevista e uma aplicação de questionário trazendo perguntas abertas e fechadas respectivamente. Observou-se que as agricultoras relatam aspectos positivos e negativos de viver e trabalhar no interior da Amazônia, estando sua qualidade de vida em uma escala regular, segundo as mesmas. O segundo artigo objetiva analisar as condições de saúde geral das agricultoras. Analisou-se os movimentos mais repetidos na pratica laboral e foi realizado um exame físico nas mesmas, com obtenção de fotografias em visão anterior, lateral, posterior e de flexão de tronco. Observou-se que 100% da amostra possui quadros álgicos, a grande maioria possui distúrbios posturais e as maiores queixas estão relacionadas ao sistema osteomioarticular, sofrendo influência das práticas realizadas por elas. O 3° capítulo avaliou a funcionalidade pélvica das agricultoras. Foi realizado um exame do assoalho pélvico em local adequado, quantificado a força muscular através de um perineômetro e avaliado a ativação do assoalho pélvico e musculatura abdominal nos movimentos mais realizados durante o trabalho das mesmas. Evidenciou-se que 53% da amostra possuem prolapsos, 53% possui dor pélvica e 38% apresenta incontinência urinária de esforço. Através da eletromiografia dinâmica foi possível inferir a relação da musculatura do assolho pélvico com a prática da agricultura no interior da Amazônia. Entende-se que se faz necessário ações de promoção a saúde e melhorias nos domínios de responsabilidade governamentais a fim de promover melhor qualidade de vida para este público.

48
  • ASSIS JUNIOR CARDOSO PANTOJA
  • O BRINCAR DE CRIANÇAS QUILOMBOLAS NA COMUNIDADE DE TININGÚ, SANTARÉM NO PARÁ: CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO MOTOR INFANTIL

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 29/11/2019
  • Mostrar Resumo
  •  

    A criança é um sujeito histórico que produz cultura e possui direitos, assim como constrói sua identidade pessoal e coletiva, nas interações e práticas cotidianas que vivencia, brinca, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e estabelece sentidos sobre a natureza e a sociedade, independentemente do contexto onde ela está inserida. O brincar é uma característica universal que varia de acordo com cada cultura e quando a criança brinca livremente, explora tudo o que está em sua volta, raciocina, faz descobertas, persiste, aprende e expressa suas sensações relacionando o real e o imaginário. Os comportamentos infantis como as brincadeiras e suas relações com o desenvolvimento motor, em contextos específicos, como os de comunidades quilombolas, constitui em um promissor campo de pesquisa devido a influência de variáveis ambientais e socioculturais. O objetivo geral dessa pesquisa foi analisar as contribuições do brincar de crianças na terceira infância para o desenvolvimento motor infantil em uma comunidade remanescente de quilombos no município de Santarém-PA. A pesquisa em questão foi realizada na comunidade quilombola Tiningú, próximo à cidade de Santarém no Pará, localizada na região rural do Oeste do Pará, às margens do rio Maicá, a 47 Km da área Urbana de Santarém. Participaram 18 crianças, sendo 11 meninas e 7 meninos que se encaixavam na terceira infância com idades entre 7 e 11 anos. Os dados foram coletados de diferentes maneiras: para os dados relativos ao brincar, utilizou-se a técnica do desenho, seguido de duas perguntas ligadas aos espaços do brincar e os tipos de brincadeira;para a avaliação do desempenho motor foi utilizada a Escala de Desenvolvimento Motor de Rosa Neto (2002). Como instrumento adicional de coleta de dados foi utilizado o diário de campo,pelo pesquisador. Os dados oriundos dos desenhos e das respostas às questões foram transcritos e quantificados. Os dados referentes ao desenvolvimento motor foram analisados de forma qualitativa e quantitativa. As falas das crianças, no decorrer da aplicação das técnicas de coleta de dados, foram gravadas e transcritas para o diário de campo. Quanto aos espaços, os dados indicaram que as crianças pesquisadas preferem brincar ao ar livre, em meio a natureza, sendo essa a classificação: Lado de casa (33,33%), Igarapé (22,22%), campo de futebol (22,22%). Quanto aos tipos de brincadeira, os resultados mais prevalentes foram: brincar de bola (31,03%). Foram identificadas diferenças de gênero quanto aos espaços do brincar: meninos preferiram lugares mais distantes de suas casas e meninas optaram por espaços mais próximos. A segregação por gênero foi identificada também nos tipos de brincadeira: meninos mostraram predileção por brincar de bola enquanto meninas indicaram preferir brincar de casinha. Quanto ao perfil motor, as classificações revelaram resultados satisfatórios (média = 96,92 meses), dentro da normalidade, porém, ao analisar esses resultados de forma mais específica, percebeu-se que há variações da média dessa normalidade para baixo e para acima. Os fatores influenciadores para as médias subirem foram os resultados das áreas motoras da Motricidade fina, global e equilíbrio, enquanto que para a baixa foram as de Esquema corporal, Organização Espacial e Temporal. Em se tratando das contribuições do brincar para o desenvolvimento motor, identificou-se que os espaços do brincar, a frequência da brincadeira nesses espaços e os tipos de brincadeiras podem ser fatores que contribuem para os resultados alcançados no desenvolvimento. A pesquisa agregou aos estudos sobre o brincar, trazendo dados de um contexto específico e gerou informações que poderão ser utilizadas para promover qualidade de vida às crianças da comunidade pesquisada.

     

49
  • ASSIS JUNIOR CARDOSO PANTOJA
  • O BRINCAR DE CRIANÇAS QUILOMBOLAS NA COMUNIDADE DE TININGÚ, SANTARÉM NO PARÁ: CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO MOTOR INFANTIL

  • Orientador : IANI DIAS LAUER LEITE
  • Data: 29/11/2019
  • Mostrar Resumo
  •  

    A criança é um sujeito histórico que produz cultura e possui direitos, assim como constrói sua identidade pessoal e coletiva, nas interações e práticas cotidianas que vivencia, brinca, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e estabelece sentidos sobre a natureza e a sociedade, independentemente do contexto onde ela está inserida. O brincar é uma característica universal que varia de acordo com cada cultura e quando a criança brinca livremente, explora tudo o que está em sua volta, raciocina, faz descobertas, persiste, aprende e expressa suas sensações relacionando o real e o imaginário. Os comportamentos infantis como as brincadeiras e suas relações com o desenvolvimento motor, em contextos específicos, como os de comunidades quilombolas, constitui em um promissor campo de pesquisa devido a influência de variáveis ambientais e socioculturais. O objetivo geral dessa pesquisa foi analisar as contribuições do brincar de crianças na terceira infância para o desenvolvimento motor infantil em uma comunidade remanescente de quilombos no município de Santarém-PA. A pesquisa em questão foi realizada na comunidade quilombola Tiningú, próximo à cidade de Santarém no Pará, localizada na região rural do Oeste do Pará, às margens do rio Maicá, a 47 Km da área Urbana de Santarém. Participaram 18 crianças, sendo 11 meninas e 7 meninos que se encaixavam na terceira infância com idades entre 7 e 11 anos. Os dados foram coletados de diferentes maneiras: para os dados relativos ao brincar, utilizou-se a técnica do desenho, seguido de duas perguntas ligadas aos espaços do brincar e os tipos de brincadeira;para a avaliação do desempenho motor foi utilizada a Escala de Desenvolvimento Motor de Rosa Neto (2002). Como instrumento adicional de coleta de dados foi utilizado o diário de campo,pelo pesquisador. Os dados oriundos dos desenhos e das respostas às questões foram transcritos e quantificados. Os dados referentes ao desenvolvimento motor foram analisados de forma qualitativa e quantitativa. As falas das crianças, no decorrer da aplicação das técnicas de coleta de dados, foram gravadas e transcritas para o diário de campo. Quanto aos espaços, os dados indicaram que as crianças pesquisadas preferem brincar ao ar livre, em meio a natureza, sendo essa a classificação: Lado de casa (33,33%), Igarapé (22,22%), campo de futebol (22,22%). Quanto aos tipos de brincadeira, os resultados mais prevalentes foram: brincar de bola (31,03%). Foram identificadas diferenças de gênero quanto aos espaços do brincar: meninos preferiram lugares mais distantes de suas casas e meninas optaram por espaços mais próximos. A segregação por gênero foi identificada também nos tipos de brincadeira: meninos mostraram predileção por brincar de bola enquanto meninas indicaram preferir brincar de casinha. Quanto ao perfil motor, as classificações revelaram resultados satisfatórios (média = 96,92 meses), dentro da normalidade, porém, ao analisar esses resultados de forma mais específica, percebeu-se que há variações da média dessa normalidade para baixo e para acima. Os fatores influenciadores para as médias subirem foram os resultados das áreas motoras da Motricidade fina, global e equilíbrio, enquanto que para a baixa foram as de Esquema corporal, Organização Espacial e Temporal. Em se tratando das contribuições do brincar para o desenvolvimento motor, identificou-se que os espaços do brincar, a frequência da brincadeira nesses espaços e os tipos de brincadeiras podem ser fatores que contribuem para os resultados alcançados no desenvolvimento. A pesquisa agregou aos estudos sobre o brincar, trazendo dados de um contexto específico e gerou informações que poderão ser utilizadas para promover qualidade de vida às crianças da comunidade pesquisada.

     

50
  • TAMIRES SHEYENNE PEREIRA DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DO PANORAMA EPIDEMIOLÓGICO DA DOENÇA DE CHAGAS AGUDA E SEU MECANISMO DE TRANSMISSÃO ORAL NO MUNICÍPIO DE ITAITUBA, PARÁ, AMAZÔNIA BRASILEIRA

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 02/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A região amazônica brasileira, apresenta singularidade no seu processo saúde-doença, concentrando a maioria dos casos de doenças infecciosas e parasitárias, entre elas a doença de Chagas a aguda (DCA), causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, configurando-se como relevante problema de saúde pública. No período de 2000 a 2010, foram registrados no Brasil cerca de 1.087 casos, destes, aproximadamente 70% corresponderam a notificações por transmissão oral e 7% por transmissão vetorial, sendo o estado do Pará líder nos diagnósticos e transmissão pelo consumo de açaí. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo descrever a epidemiologia e o mecanismo de transmissão da Doença de Chagas Aguda no Município de Itaituba-PA, onde se utilizou como instrumentos de coleta, dados epidemiológicos contidos no Sistema Nacional de Agravos e Notificação (SINAN) e fichas de notificação individual (FNI) da doença, armazenadas da base de dados DATA-SUS, além de questionário semiestruturado e formulário observacional, aplicados em 09 pontos de venda e manipulação de polpa de açaí (batedores) da área central do município estudado. Trata-se de uma pesquisa de campo, transversal, delimitada por inquérito retrospectivo, com abordagens metodológicas qualitativa, quantitativa, descritiva e exploratória. Dessa forma, essa dissertação está dividida em quatro capítulos, sendo que o primeiro discorre a respeito literatura publicada, através de um estado da arte da última década (2007 a 2017). O segundo descreve sobre a epidemiologia da doença de Chagas Aguda no estado do Pará. O terceiro capítulo trata sua epidemiologia no município de Itaituba-PA em10 anos de pesquisa. O quarto e último capítulo, avalia o risco de transmissão oral, pelo consumo de açaí, sendo que cada capitulo buscou responder a um objetivo especifico pré-estabelecido. Os resultados obtidos demonstraram 92 publicações a respeito do tema, com abordagem a características especificas da doença com ênfase em sua dinâmica heterogénea, no que tange suas vias de transmissão. A respeito do perfil epidemiológico no estado do Pará, se demonstrou a ocorrência de 1.693 casos, caracterizando também a heterogeneidade da doença, prevalente em humanos do sexo masculino, na faixa de 19 a 59 anos, predominante em zona urbana, com destaque para a via oral de transmissão, local provável de contaminação o domicílio e média estadual de 169,3/100.000 habitantes. No município de Itaituba-PA se registraram apenas 22 casos da doença, demonstrando singularidades, comparada a outros estudos desenvolvidos na Amazônia, destacando uma predominância no sexo masculino, em faixa etária se encaminhando para 60 anos, em indivíduos de raça parda, lavradores e/ou caminhoneiros, residentes de zona rural, destacando também a via oral de infecção e média municipal de 2,2/100.000 habitantes. Em relação ao risco de transmissão, Itaituba se caracterizou pela simplicidade na estrutura física de seus pontos de venda, bem como a forma artesanal de produção, porém com as condições de higiene, segurança e proteção individual satisfatórias, apresentando assim, baixo risco para a transmissão oral da doença de chagas. Enfatiza-se que a prevenção da endemia na região Amazônia, necessita de estratégias que visem a coleta do máximo possível de informações, bem como treinamento das equipes ESF, PACS, clínicas e hospitais, para detecção e preenchimento adequado da ficha de notificação individual. Recomenda-se, estratégias de investigação de vetores, higiene e segurança na produção de alimentos, investigação microbiológica de açaí e a inserção de informações por meio de rótulos e selo de qualidade nas polpas comercializadas.

51
  • TAMIRES SHEYENNE PEREIRA DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DO PANORAMA EPIDEMIOLÓGICO DA DOENÇA DE CHAGAS AGUDA E SEU MECANISMO DE TRANSMISSÃO ORAL NO MUNICÍPIO DE ITAITUBA, PARÁ, AMAZÔNIA BRASILEIRA

  • Orientador : ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
  • Data: 02/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A região amazônica brasileira, apresenta singularidade no seu processo saúde-doença, concentrando a maioria dos casos de doenças infecciosas e parasitárias, entre elas a doença de Chagas a aguda (DCA), causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, configurando-se como relevante problema de saúde pública. No período de 2000 a 2010, foram registrados no Brasil cerca de 1.087 casos, destes, aproximadamente 70% corresponderam a notificações por transmissão oral e 7% por transmissão vetorial, sendo o estado do Pará líder nos diagnósticos e transmissão pelo consumo de açaí. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo descrever a epidemiologia e o mecanismo de transmissão da Doença de Chagas Aguda no Município de Itaituba-PA, onde se utilizou como instrumentos de coleta, dados epidemiológicos contidos no Sistema Nacional de Agravos e Notificação (SINAN) e fichas de notificação individual (FNI) da doença, armazenadas da base de dados DATA-SUS, além de questionário semiestruturado e formulário observacional, aplicados em 09 pontos de venda e manipulação de polpa de açaí (batedores) da área central do município estudado. Trata-se de uma pesquisa de campo, transversal, delimitada por inquérito retrospectivo, com abordagens metodológicas qualitativa, quantitativa, descritiva e exploratória. Dessa forma, essa dissertação está dividida em quatro capítulos, sendo que o primeiro discorre a respeito literatura publicada, através de um estado da arte da última década (2007 a 2017). O segundo descreve sobre a epidemiologia da doença de Chagas Aguda no estado do Pará. O terceiro capítulo trata sua epidemiologia no município de Itaituba-PA em10 anos de pesquisa. O quarto e último capítulo, avalia o risco de transmissão oral, pelo consumo de açaí, sendo que cada capitulo buscou responder a um objetivo especifico pré-estabelecido. Os resultados obtidos demonstraram 92 publicações a respeito do tema, com abordagem a características especificas da doença com ênfase em sua dinâmica heterogénea, no que tange suas vias de transmissão. A respeito do perfil epidemiológico no estado do Pará, se demonstrou a ocorrência de 1.693 casos, caracterizando também a heterogeneidade da doença, prevalente em humanos do sexo masculino, na faixa de 19 a 59 anos, predominante em zona urbana, com destaque para a via oral de transmissão, local provável de contaminação o domicílio e média estadual de 169,3/100.000 habitantes. No município de Itaituba-PA se registraram apenas 22 casos da doença, demonstrando singularidades, comparada a outros estudos desenvolvidos na Amazônia, destacando uma predominância no sexo masculino, em faixa etária se encaminhando para 60 anos, em indivíduos de raça parda, lavradores e/ou caminhoneiros, residentes de zona rural, destacando também a via oral de infecção e média municipal de 2,2/100.000 habitantes. Em relação ao risco de transmissão, Itaituba se caracterizou pela simplicidade na estrutura física de seus pontos de venda, bem como a forma artesanal de produção, porém com as condições de higiene, segurança e proteção individual satisfatórias, apresentando assim, baixo risco para a transmissão oral da doença de chagas. Enfatiza-se que a prevenção da endemia na região Amazônia, necessita de estratégias que visem a coleta do máximo possível de informações, bem como treinamento das equipes ESF, PACS, clínicas e hospitais, para detecção e preenchimento adequado da ficha de notificação individual. Recomenda-se, estratégias de investigação de vetores, higiene e segurança na produção de alimentos, investigação microbiológica de açaí e a inserção de informações por meio de rótulos e selo de qualidade nas polpas comercializadas.

52
  • JOÃO DAVID BATISTA LISBÔA
  • Avaliação dos efeitos toxicológicos da associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram em peixes da espécie Colossoma macropomum (Cuvier, 1818)

  • Orientador : MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os agrotóxicos são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade comprovada, podendo causar alterações morfofisiológicas até mortalidade de organismos. Há estudos evidenciando os seus prejuízos em água, solo, insetos, crustáceos, anfíbios e peixes, devido à exposição direta, no momento da aplicação dos tóxicos, ou indireta, pelos resíduos que permanecem no meio ambiente. Os herbicidas são os principais agrotóxicos detectados em águas superficiais e subterrâneas. O Picloram e 2,4-D são exemplos desses herbicidas que podem permanecer por anos no meio ambiente. Sua formulação comercial é de fácil acesso e baixo custo a população, podendo ser adquirida individualmente ou de forma associada. Apesar de muitos estudos sobre esses ingredientes ativos, ainda não foi possível esclarecer seus mecanismos de ação nos organismos, exceto em plantas. Dessa forma, não se sabe a proporção dos riscos ambientais e no homem. Esse estudo divide-se em 3 capítulos: o primeiro aborda uma revisão descritiva da literatura sobre ecotoxicologia, agrotóxicos e biomarcadores e uma análise cienciométrica da utilização do Colossoma macropomum em estudos toxicológicos; O segundo artigo avalia a toxicidade aguda da associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram em Colossoma macropomum. E o terceiro avalia as alterações comportamentais e histológicas em peixes da espécie Colossoma macropomum expostos a associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram. Todos os experimentos realizados neste estudo foram aprovados pelo CEUA/UFOPA, sob o número de protocolo nº. 0120190053, e seguiram diretrizes internacionais para avaliação de sensibilidade e toxicidade aguda da USEPA nº 850.1075/2006 e OECD nº 203/1992. Os peixes da espécie Colossoma macropomum demonstraram ser organismos-teste emergentes em estudos toxicológicos principalmente no Brasil, como observado através da análise cienciométrica. Através dos ensaios de sensibilidade, a espécie confirmou sua usabilidade para teste de toxicidade e biomonitoramento ambiental. Dessa forma, avaliou-se o Colossoma macropomum em cinco concentrações distintas (3,5; 5 ;6; 7; 8 mg/L) da formulação comercial do 2,4-D e Picloram, em um sistema estático, estimando a CL50-96h em 5,54 mg/L através método de Trimmed Spearman Karber. Em paralelo a exposição aguda, foi avaliado os parâmetros comportamentais, através de registros em vídeo nos tempos 0, 2, 4, 6, 8, 12, 24, 48, 72 e 96 horas após a exposição. A análise histológicos foi realizada nas brânquias e fígados dos peixes coradas em hematoxilina e eosina. As alterações comportamentais avaliadas foram nado excitatório, permanência na zona superior, respiração na superfície, perda de equilíbrio, nado errático, espasmo e paralisia. As alterações histológicas nas brânquias foram hiperplasia e degeneração das lamelas, e no fígado, a vacuolização intercelular. Portanto, os resultados demonstraram que no Colossoma macropomum é um organismo em potencial para estudos toxicológicos de biomonitoramento. A sua exposição aos herbicidas Picloram e 2,4-D demonstraram várias alterações comportamentais e histológicas, comprovando seus riscos ao meio ambiente, inclusive aos humanos que residem próximo às plantações que fazem uso desse agrotóxico

53
  • JOÃO DAVID BATISTA LISBÔA
  • Avaliação dos efeitos toxicológicos da associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram em peixes da espécie Colossoma macropomum (Cuvier, 1818)

  • Orientador : MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os agrotóxicos são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade comprovada, podendo causar alterações morfofisiológicas até mortalidade de organismos. Há estudos evidenciando os seus prejuízos em água, solo, insetos, crustáceos, anfíbios e peixes, devido à exposição direta, no momento da aplicação dos tóxicos, ou indireta, pelos resíduos que permanecem no meio ambiente. Os herbicidas são os principais agrotóxicos detectados em águas superficiais e subterrâneas. O Picloram e 2,4-D são exemplos desses herbicidas que podem permanecer por anos no meio ambiente. Sua formulação comercial é de fácil acesso e baixo custo a população, podendo ser adquirida individualmente ou de forma associada. Apesar de muitos estudos sobre esses ingredientes ativos, ainda não foi possível esclarecer seus mecanismos de ação nos organismos, exceto em plantas. Dessa forma, não se sabe a proporção dos riscos ambientais e no homem. Esse estudo divide-se em 3 capítulos: o primeiro aborda uma revisão descritiva da literatura sobre ecotoxicologia, agrotóxicos e biomarcadores e uma análise cienciométrica da utilização do Colossoma macropomum em estudos toxicológicos; O segundo artigo avalia a toxicidade aguda da associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram em Colossoma macropomum. E o terceiro avalia as alterações comportamentais e histológicas em peixes da espécie Colossoma macropomum expostos a associação dos herbicidas 2,4-D e Picloram. Todos os experimentos realizados neste estudo foram aprovados pelo CEUA/UFOPA, sob o número de protocolo nº. 0120190053, e seguiram diretrizes internacionais para avaliação de sensibilidade e toxicidade aguda da USEPA nº 850.1075/2006 e OECD nº 203/1992. Os peixes da espécie Colossoma macropomum demonstraram ser organismos-teste emergentes em estudos toxicológicos principalmente no Brasil, como observado através da análise cienciométrica. Através dos ensaios de sensibilidade, a espécie confirmou sua usabilidade para teste de toxicidade e biomonitoramento ambiental. Dessa forma, avaliou-se o Colossoma macropomum em cinco concentrações distintas (3,5; 5 ;6; 7; 8 mg/L) da formulação comercial do 2,4-D e Picloram, em um sistema estático, estimando a CL50-96h em 5,54 mg/L através método de Trimmed Spearman Karber. Em paralelo a exposição aguda, foi avaliado os parâmetros comportamentais, através de registros em vídeo nos tempos 0, 2, 4, 6, 8, 12, 24, 48, 72 e 96 horas após a exposição. A análise histológicos foi realizada nas brânquias e fígados dos peixes coradas em hematoxilina e eosina. As alterações comportamentais avaliadas foram nado excitatório, permanência na zona superior, respiração na superfície, perda de equilíbrio, nado errático, espasmo e paralisia. As alterações histológicas nas brânquias foram hiperplasia e degeneração das lamelas, e no fígado, a vacuolização intercelular. Portanto, os resultados demonstraram que no Colossoma macropomum é um organismo em potencial para estudos toxicológicos de biomonitoramento. A sua exposição aos herbicidas Picloram e 2,4-D demonstraram várias alterações comportamentais e histológicas, comprovando seus riscos ao meio ambiente, inclusive aos humanos que residem próximo às plantações que fazem uso desse agrotóxico

54
  • MAIARA SILVANA SALGADO BATISTA
  • Exposição ao Mercúrio em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo no município de Santarém, Pará.

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 14/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) configura-se como uma alteração neurológica presente desde o início da infância, acarretando déficits nas áreas de interação social, comunicação e linguagem. Apresenta etiologia ainda desconhecida, porém várias linhas de pesquisas já indicam que fatores genéticos, ambientais e imunológicos podem desempenhar um papel importante na patogênese do TEA, sugerindo uma forte correlação entre a exposição ao mercúrio (Hg) e o autismo. O Hg é um metal pesado altamente neurotóxico, sendo sua forma orgânica, o Metilmercúrio (MeHg), o mais tóxico e mais comum encontrado no meio ambiente e na cadeia alimentar aquática, sendo incorporado ao organismo humano através do consumo do peixe contaminado. As sequelas causadas pela exposição ao Hg se assemelham as disfunções neurológicas encontradas no TEA. Sabe-se que na Amazônia, por seu histórico de garimpagem e desmatamento, a exposição ao Hg é considerada crônica, tornando-se importantes as pesquisas que investigam a relação entre exposição ao mercúrio e o transtorno do espectro do autismo nessa região. Portanto, esse estudo teve como objetivo investigar a relação entre a exposição ao Hg e o Transtorno do Espectro do Autismo no município de Santarém, Pará. Participaram do estudo 23 mães e 25 crianças com diagnóstico clínico de TEA assistidas pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais APAE e Casa azul. A análise do Hg total foi realizada através do sangue dessas crianças bem como das mães, para se investigar as possíveis fontes de exposição e acúmulo do Hg, além de outros tópicos relacionados ao período pré, peri e pós-natal capazes de interferir no diagnóstico do TEA. Foi aplicada uma entrevista semiestruturada as mães. Para a avaliação do perfil e grau de autismo (leve ou moderado e severo) foi aplicada a Escala de Avaliação do Autismo - Childhood Autism Rating Scale (CARS). As variáveis desse estudo foram avaliadas através da estatística descritiva e inferencial. Na análise descritiva, observou-se que 95% das crianças eram do gênero masculino, 56% delas encaixaram-se na faixa de “não-autista” segundo a classificação da CARS, 68% apresentaram baixo consumo de peixe e 52% foram classificadas como expostas, ou seja, com níveis de Hg acima de 10 µg/L. Na análise inferencial, primeiramente verificou-se a normalidade através do teste Shapiro-Wilk. Para análise de distribuição de frequências e associação foram utilizados os testes de Qui-quadrado de aderência e contingêcia (linhas x colunas), onde se observou diferença estatisticamente significativa entre a classificação entre mães expostas e não expostas (p=0,0371), gênero das crianças (p< 0,0001) e a classificação em relação ao grau do TEA (p=0,0424). Para comparação entre as medianas, foi utilizado o teste Mann-Whitney. Para avaliar a relação das variáveis idades e frequência do consumo de peixe com os níveis de Hg foi aplicado o teste de Correlação de Spearman. Em ambos os testes, utilizou-se nível de significância de 5%. Os testes foram realizados no programa BioEstat. Observou-se que não houve associação e nem correlação positiva entre as variáveis: dade, gênero, frequência de consumo de peixe e uso de medicamentos das crianças com o nível de Hg no sangue, mostrando que mesmo com a baixa frequência do consumo de peixe as crianças apresentavam níveis de Hg elevados e que esses níveis elevados não exercem uma correlação linear e positiva com o grau do TEA. Assim, conclui-se que há necessidade de mais estudos envolvendo essa temática a fim de esclarecer melhor a relação entre o Hg e o TEA, principalmente o que diz respeito à ação nos sistemas nervoso e imunológico da criança e a sua relação os mecanismos genéticos. Deve-se também levar em consideração as dificuldades encontradas durante a coleta e adesão das mães para o estudo, o que não permitiu um tamanho amostral maior para pesquisa.

55
  • MAIARA SILVANA SALGADO BATISTA
  • Exposição ao Mercúrio em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo no município de Santarém, Pará.

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 14/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) configura-se como uma alteração neurológica presente desde o início da infância, acarretando déficits nas áreas de interação social, comunicação e linguagem. Apresenta etiologia ainda desconhecida, porém várias linhas de pesquisas já indicam que fatores genéticos, ambientais e imunológicos podem desempenhar um papel importante na patogênese do TEA, sugerindo uma forte correlação entre a exposição ao mercúrio (Hg) e o autismo. O Hg é um metal pesado altamente neurotóxico, sendo sua forma orgânica, o Metilmercúrio (MeHg), o mais tóxico e mais comum encontrado no meio ambiente e na cadeia alimentar aquática, sendo incorporado ao organismo humano através do consumo do peixe contaminado. As sequelas causadas pela exposição ao Hg se assemelham as disfunções neurológicas encontradas no TEA. Sabe-se que na Amazônia, por seu histórico de garimpagem e desmatamento, a exposição ao Hg é considerada crônica, tornando-se importantes as pesquisas que investigam a relação entre exposição ao mercúrio e o transtorno do espectro do autismo nessa região. Portanto, esse estudo teve como objetivo investigar a relação entre a exposição ao Hg e o Transtorno do Espectro do Autismo no município de Santarém, Pará. Participaram do estudo 23 mães e 25 crianças com diagnóstico clínico de TEA assistidas pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais APAE e Casa azul. A análise do Hg total foi realizada através do sangue dessas crianças bem como das mães, para se investigar as possíveis fontes de exposição e acúmulo do Hg, além de outros tópicos relacionados ao período pré, peri e pós-natal capazes de interferir no diagnóstico do TEA. Foi aplicada uma entrevista semiestruturada as mães. Para a avaliação do perfil e grau de autismo (leve ou moderado e severo) foi aplicada a Escala de Avaliação do Autismo - Childhood Autism Rating Scale (CARS). As variáveis desse estudo foram avaliadas através da estatística descritiva e inferencial. Na análise descritiva, observou-se que 95% das crianças eram do gênero masculino, 56% delas encaixaram-se na faixa de “não-autista” segundo a classificação da CARS, 68% apresentaram baixo consumo de peixe e 52% foram classificadas como expostas, ou seja, com níveis de Hg acima de 10 µg/L. Na análise inferencial, primeiramente verificou-se a normalidade através do teste Shapiro-Wilk. Para análise de distribuição de frequências e associação foram utilizados os testes de Qui-quadrado de aderência e contingêcia (linhas x colunas), onde se observou diferença estatisticamente significativa entre a classificação entre mães expostas e não expostas (p=0,0371), gênero das crianças (p< 0,0001) e a classificação em relação ao grau do TEA (p=0,0424). Para comparação entre as medianas, foi utilizado o teste Mann-Whitney. Para avaliar a relação das variáveis idades e frequência do consumo de peixe com os níveis de Hg foi aplicado o teste de Correlação de Spearman. Em ambos os testes, utilizou-se nível de significância de 5%. Os testes foram realizados no programa BioEstat. Observou-se que não houve associação e nem correlação positiva entre as variáveis: dade, gênero, frequência de consumo de peixe e uso de medicamentos das crianças com o nível de Hg no sangue, mostrando que mesmo com a baixa frequência do consumo de peixe as crianças apresentavam níveis de Hg elevados e que esses níveis elevados não exercem uma correlação linear e positiva com o grau do TEA. Assim, conclui-se que há necessidade de mais estudos envolvendo essa temática a fim de esclarecer melhor a relação entre o Hg e o TEA, principalmente o que diz respeito à ação nos sistemas nervoso e imunológico da criança e a sua relação os mecanismos genéticos. Deve-se também levar em consideração as dificuldades encontradas durante a coleta e adesão das mães para o estudo, o que não permitiu um tamanho amostral maior para pesquisa.

56
  • LARISSA DA SILVA SOARES
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES DE TRABALHO GRAVES NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, PARÁ.

     

  • Orientador : MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os acidentes de trabalho representam um dos principais desafios para a saúde pública no Brasil. Deles podem ocorrer lesões e sequelas que restringem a capacidade laborativa do trabalhador, além de afetar a produção da empresa e a economia devido aos altos gastos previdenciários. Apesar de possuir uma legislação acidentária robusta, o Brasil é um dos recordistas mundiais no que diz respeito a acidentes do trabalho. A notificação dos acidentes permite estimar a relação deste agravo sobre a saúde da população em um determinado território e, assim, planejar ações e estratégias voltadas para promoção e proteção da saúde dos trabalhadores. Com isso, o objetivo da pesquisa consistiu em caracterizar o perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves notificados no município de Santarém (PA).  Trata-se de um estudo descritivo, transversal de abordagem quantitativa realizado com dados secundários provenientes dos registros de acidentes de trabalho graves notificados no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN NET) no período de 2011 a 2018. Os resultados foram sistematizados em planilhas, analisados através de estatística descritiva por meio de medidas de frequências absolutas e relativas e apresentados em forma de tabelas. A pesquisa evidenciou que no período estudado foram notificados 670 acidentes de trabalhos graves no município de Santarém (PA), sendo registrado o maior número no ano de 2015 (21%) com incidência 11,3 acidentes por 10 mil pessoas. Quanto ao perfil dos trabalhadores acidentados, constatou-se que 29,7 % possuíam idade entre 20 e 29 anos, 89,7 % eram do sexo masculino e 30% possuíam ensino fundamental incompleto. Cerca de 38,3% eram autônomos e as principais ocupações acometidas foram a de pedreiros (11,2%) e motociclistas (7,6%). Em relação aos acidentes de trabalho graves, 40,1% ocorreram em vias públicas, sendo que 67% foram classificados como típicos. Os acidentes foram causados principalmente por impacto decorrente de objeto lançado, projetado ou em queda (10,9%). As partes do corpo mais atingidas foram membros inferiores com 31,8% e a lesão mais frequente foi a fratura de dedos (6,6%). A evolução do caso mais recorrente foi a incapacitados temporariamente (54%). A comunicação de acidente de trabalho (CAT) foi realizada somente em 17,2% dos casos e os acidentes fatais representaram 5,2%. De acordo com os achados, conclui-se que a identificação do perfil acidentário do município poderá subsidiar e orientar políticas públicas voltadas para a promoção da saúde dos trabalhadores, prevenção de acidentes e, consequentemente, melhorias nas condições de trabalho e controle dos riscos ocupacionais.

57
  • ARLEM DALVANY MAIA DE SOUSA
  • PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ORGÂNICA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SANTARÉM, PARÁ

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 20/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A produção orgânica de alimentos vem se tornando cada vez mais importante para a economia mundial. No Brasil o processo de certificação de produtos orgânicos abrange diversas modalidades e garantem a venda destes produtos tanto no mercado nacional como no internacional. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é analisar como se desenvolve a produção de alimentos orgânicos na Região Metropolitana de Santarém e quais os impactos da certificação orgânica para a consolidação e expansão deste tipo de agricultura a nível regional. A pesquisa será realizada na Região Metropolitana de Santarém, sendo os atores desta pesquisa, os agricultores orgânicos da associação tapajós orgânicos, técnicos da fiscalização e orientação técnica e Comissão dos Orgânicos do Baixo Amazonas. Para coleta de dados serão realizadas entrevistas semi-estruturadas abrangendo questões relevantes ao tema estudado, assim como, participação de reuniões. Os dados coletados serão estruturados em uma planilha eletrônica pelo software Microsoft Office Excel e posteriormente será realizada uma análise multivariada, com a técnica de análise de componentes principais e análise qualitativa, através da técnica de análise de conteúdo. Espera-se que com os resultados obtidos neste estudo haja melhor compreensão a cerca da produção orgânica, bem como o processo de certificação, e seus principais impactos no processo produtivo. Podendo auxiliar na construção de medidas que venham a fortalecer a produção orgânica na Região Metropolitana de Santarém, bem como, contribuir com o meio cientifico através de artigos abrangendo o tema da produção orgânica e o processo de certificação.

58
  • ARLEM DALVANY MAIA DE SOUSA
  • PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ORGÂNICA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SANTARÉM, PARÁ

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 20/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A produção orgânica de alimentos vem se tornando cada vez mais importante para a economia mundial. No Brasil o processo de certificação de produtos orgânicos abrange diversas modalidades e garantem a venda destes produtos tanto no mercado nacional como no internacional. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é analisar como se desenvolve a produção de alimentos orgânicos na Região Metropolitana de Santarém e quais os impactos da certificação orgânica para a consolidação e expansão deste tipo de agricultura a nível regional. A pesquisa será realizada na Região Metropolitana de Santarém, sendo os atores desta pesquisa, os agricultores orgânicos da associação tapajós orgânicos, técnicos da fiscalização e orientação técnica e Comissão dos Orgânicos do Baixo Amazonas. Para coleta de dados serão realizadas entrevistas semi-estruturadas abrangendo questões relevantes ao tema estudado, assim como, participação de reuniões. Os dados coletados serão estruturados em uma planilha eletrônica pelo software Microsoft Office Excel e posteriormente será realizada uma análise multivariada, com a técnica de análise de componentes principais e análise qualitativa, através da técnica de análise de conteúdo. Espera-se que com os resultados obtidos neste estudo haja melhor compreensão a cerca da produção orgânica, bem como o processo de certificação, e seus principais impactos no processo produtivo. Podendo auxiliar na construção de medidas que venham a fortalecer a produção orgânica na Região Metropolitana de Santarém, bem como, contribuir com o meio cientifico através de artigos abrangendo o tema da produção orgânica e o processo de certificação.

2018
Dissertações
1
  • GEILA SANTOS DE SOUSA
  • Meio Ambiente e Educação Socioambiental: a Concepção de Educadores nas Escolas Públicas em Santarém Pará
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como finalidade principal Analisar a Concepção de Meio Ambiente e Educação Socioambiental dos Educadores e seus Reflexos nas Práticas Pedagógicas de Educação Ambiental Desenvolvidas na Escola Pública do Município de Santarém - Pará. A abordagem metodológica constitui-se de cunho quantitativo e qualitativo, compreendida como um estudo de caso, e apresenta, como instrumentos de coleta de dados, a entrevista semiaberta e o questionário fechado com professores, gestores e especialistas em educação de duas escolas estaduais de Santarém-Pará, denominadas nesta pesquisa como “escola A” e “escola B”, considerando as seguintes categorias de análise: 1 Conhecimento em relação à Educação Socioambiental; 2 Contribuição da escola na Educação Socioambiental. Para a tabulação de dados e plotagem utiliza-se o programa Google Forms que é uma ferramenta de coleta e análise estatística. As atividades iniciais foram realizadas através de distintas etapas, sendo elas: definição do lócus da pesquisa; visita às escolas para conhecimento da realidade escolar e exposição dos objetivos; e aplicação de pré-teste para verificar a viabilidade e o entendimento do questionário junto a educadores para em seguida aplicá-los. A partir do estudo das concepções teóricas sobre Meio Ambiente e Educação Ambiental, bem como o Projeto Político Pedagógico, as legislações educacionais e, diante da pesquisa empírica, os resultados revelam a concepção, pelos educadores, da educação socioambiental como mecanismo de compreensão da vida natural associada à vida social, como forma de preservar o meio ambiente para as gerações atuais e futuras. No entanto, ainda a concebem como tema dissociado às demais áreas do conhecimento, demonstrando não o compreender e nem aplicar na transversalidade. Avalia-se que, em linhas gerais, as instituições de ensino na implantação de práticas pedagógicas socioambientais são deficitárias, pois os pesquisados demonstraram pouco conhecimento das ações voltadas para a temática. Assim, foi possível constatar um nível baixo de compreensão quanto à concepção de Educação Socioambiental pelos profissionais, resultado que expressa a necessidade de melhor organização pedagógica na qual se deve inserir a temática nos planos e projetos de forma interdisciplinar..
2
  • GEILA SANTOS DE SOUSA
  • Meio Ambiente e Educação Socioambiental: a Concepção de Educadores nas Escolas Públicas em Santarém Pará
  • Data: 23/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como finalidade principal Analisar a Concepção de Meio Ambiente e Educação Socioambiental dos Educadores e seus Reflexos nas Práticas Pedagógicas de Educação Ambiental Desenvolvidas na Escola Pública do Município de Santarém - Pará. A abordagem metodológica constitui-se de cunho quantitativo e qualitativo, compreendida como um estudo de caso, e apresenta, como instrumentos de coleta de dados, a entrevista semiaberta e o questionário fechado com professores, gestores e especialistas em educação de duas escolas estaduais de Santarém-Pará, denominadas nesta pesquisa como “escola A” e “escola B”, considerando as seguintes categorias de análise: 1 Conhecimento em relação à Educação Socioambiental; 2 Contribuição da escola na Educação Socioambiental. Para a tabulação de dados e plotagem utiliza-se o programa Google Forms que é uma ferramenta de coleta e análise estatística. As atividades iniciais foram realizadas através de distintas etapas, sendo elas: definição do lócus da pesquisa; visita às escolas para conhecimento da realidade escolar e exposição dos objetivos; e aplicação de pré-teste para verificar a viabilidade e o entendimento do questionário junto a educadores para em seguida aplicá-los. A partir do estudo das concepções teóricas sobre Meio Ambiente e Educação Ambiental, bem como o Projeto Político Pedagógico, as legislações educacionais e, diante da pesquisa empírica, os resultados revelam a concepção, pelos educadores, da educação socioambiental como mecanismo de compreensão da vida natural associada à vida social, como forma de preservar o meio ambiente para as gerações atuais e futuras. No entanto, ainda a concebem como tema dissociado às demais áreas do conhecimento, demonstrando não o compreender e nem aplicar na transversalidade. Avalia-se que, em linhas gerais, as instituições de ensino na implantação de práticas pedagógicas socioambientais são deficitárias, pois os pesquisados demonstraram pouco conhecimento das ações voltadas para a temática. Assim, foi possível constatar um nível baixo de compreensão quanto à concepção de Educação Socioambiental pelos profissionais, resultado que expressa a necessidade de melhor organização pedagógica na qual se deve inserir a temática nos planos e projetos de forma interdisciplinar..
3
  • ANDRÉA RENI MENDES MARDOCK
  • Política de Humanização do SUS na formação Médica no interior da Amazônia
  • Orientador : TANIA SUELY AZEVEDO BRASILEIRO
  • Data: 29/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo aborda a Política de Humanização do SUS na formação médica no interior da Amazônia. Objetivou-se analisar como se manifesta a presença da Política de Humanização do SUS, a partir do módulo GIESC, na formação do futuro médico da UEPA Campus Santarém. Para isto, pretendeu-se compreender o processo de Humanização no Sistema Único de Saúde a partir da percepção de discentes, docentes e coordenadora do curso estudado; traçar o perfil profissional do graduado em medicina da UEPA com relação a Política de Humanização do SUS; mapear as alterações quanto ao objeto estudado, analisando o PPC-2015 em relação ao PPP-2005 do curso de medicina UEPA; identificar as contribuições da prática humanizada na formação do futuro médico da UEPA a partir da mudança do Módulo INC para o Módulo GIESC. A metodologia é de abordagem qualitativa, descritiva, com recorte temporal do estudo de caso micro etnográfico no período de 2014 a 2017, com proposta de instalação do Grupo de Formação Reflexiva (GFR) com os docentes do curso estudado. Na coleta dos dados empíricos utilizou-se a entrevista semiestruturada com a coordenadora e docentes e o questionário padrão PRAXIS aos discentes do referido curso. Compuseram a amostra do estudo 87 discentes, 09 docentes e 01 coordenadora do curso de medicina do Campus XII da Universidade do Estado do Pará, de Santarém-Pará, totalizando 97 participantes, e essa pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) desse Campus, bem como os dados coletados foram tratados com análise de conteúdo de Bardin (2011). Os resultados do estudo demonstram que, o curso de medicina analisado forma médicos éticos e humanistas, como preconizam as Diretrizes Curriculares Nacionais para a área, com consciência da sua importância no contexto da sociedade, o quanto eles podem mudar, o quanto podem contribuir, desde que tenham humanidade de apreender que a medicina é uma profissão eminentemente social. Verificou-se também que discentes, docentes e coordenadora do curso percebem dificuldades no processo de formação médica, dentre elas destacam a alta rotatividade de docentes, por falta de concurso público, bem como a necessidade em priorizar algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para aulas dos módulos analisados. No entanto, constatou-se que os módulos que mais contribuem para a formação humanizada do futuro médico desta IES são INC, GIESC e Humanidades Médicas, conduzidos por metodologias ativas, justificando ser neles onde vivenciam a medicina desde o início - a humanização do cuidado por meio de prática médica contínua e integrada com as demais ações e instâncias de saúde, condizentes com as demandas do Sistema Único de Saúde. Contudo, as práticas do processo ensino - aprendizagem, legitimadas pela integração da realidade imediata à própria formação inicial são um grande desafio, principalmente no interior da Amazônia. Afirma-se que Educação na Saúde é essencial para a edificação de um SUS para todos e com um atendimento humanizado e de qualidade.
4
  • ANDRÉA RENI MENDES MARDOCK
  • Política de Humanização do SUS na formação Médica no interior da Amazônia
  • Orientador : TANIA SUELY AZEVEDO BRASILEIRO
  • Data: 29/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo aborda a Política de Humanização do SUS na formação médica no interior da Amazônia. Objetivou-se analisar como se manifesta a presença da Política de Humanização do SUS, a partir do módulo GIESC, na formação do futuro médico da UEPA Campus Santarém. Para isto, pretendeu-se compreender o processo de Humanização no Sistema Único de Saúde a partir da percepção de discentes, docentes e coordenadora do curso estudado; traçar o perfil profissional do graduado em medicina da UEPA com relação a Política de Humanização do SUS; mapear as alterações quanto ao objeto estudado, analisando o PPC-2015 em relação ao PPP-2005 do curso de medicina UEPA; identificar as contribuições da prática humanizada na formação do futuro médico da UEPA a partir da mudança do Módulo INC para o Módulo GIESC. A metodologia é de abordagem qualitativa, descritiva, com recorte temporal do estudo de caso micro etnográfico no período de 2014 a 2017, com proposta de instalação do Grupo de Formação Reflexiva (GFR) com os docentes do curso estudado. Na coleta dos dados empíricos utilizou-se a entrevista semiestruturada com a coordenadora e docentes e o questionário padrão PRAXIS aos discentes do referido curso. Compuseram a amostra do estudo 87 discentes, 09 docentes e 01 coordenadora do curso de medicina do Campus XII da Universidade do Estado do Pará, de Santarém-Pará, totalizando 97 participantes, e essa pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) desse Campus, bem como os dados coletados foram tratados com análise de conteúdo de Bardin (2011). Os resultados do estudo demonstram que, o curso de medicina analisado forma médicos éticos e humanistas, como preconizam as Diretrizes Curriculares Nacionais para a área, com consciência da sua importância no contexto da sociedade, o quanto eles podem mudar, o quanto podem contribuir, desde que tenham humanidade de apreender que a medicina é uma profissão eminentemente social. Verificou-se também que discentes, docentes e coordenadora do curso percebem dificuldades no processo de formação médica, dentre elas destacam a alta rotatividade de docentes, por falta de concurso público, bem como a necessidade em priorizar algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para aulas dos módulos analisados. No entanto, constatou-se que os módulos que mais contribuem para a formação humanizada do futuro médico desta IES são INC, GIESC e Humanidades Médicas, conduzidos por metodologias ativas, justificando ser neles onde vivenciam a medicina desde o início - a humanização do cuidado por meio de prática médica contínua e integrada com as demais ações e instâncias de saúde, condizentes com as demandas do Sistema Único de Saúde. Contudo, as práticas do processo ensino - aprendizagem, legitimadas pela integração da realidade imediata à própria formação inicial são um grande desafio, principalmente no interior da Amazônia. Afirma-se que Educação na Saúde é essencial para a edificação de um SUS para todos e com um atendimento humanizado e de qualidade.
5
  • ROBERTH RODRIGUES FERREIRA
  • GESTÃO DA PESCA NA ILHA DE SÃO MIGUEL, SANTARÉM, PARÁ: MOBILIZAÇÃO POLÍTICA PARA ACESSO, USO E CONTROLE DOS RECURSOS PESQUEIROS LOCAIS
  • Orientador : RUBENS ELIAS DA SILVA
  • Data: 08/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender a gestão da pesca por meio do acordo de pesca de base comunitária e o manejo do pirarucu realizados pelos moradores da comunidade Ilha de São Miguel, localizada, no Município de Santarém, oeste do Estado do Pará, entendendo as estratégias construídas e estabelecidas a partir da mobilização política para uso racional dos recursos pesqueiros locais. Esta pesquisa possui uma abordagem qualitativa amparada na escrita etnográfica, uma vez que este método permite observar e analisar a cultura de determinada sociedade por meio do olhar, ouvir e escrever as práticas cotidianas percebidas durante o campo, além de criar laços de proximidade entre pesquisador e pesquisado. No trabalho de campo foram realizados os seguintes procedimentos: pesquisa documental na tentativa de conseguir nos documentos (atas de reuniões, estatuto da associação de moradores e o acordo de pesca) as regras e punições estabelecidas para uso e controle da pesca na Ilha; entrevistas e diálogos semiestruturados com as famílias objetivando levantar a caracterização sociodemográfica da comunidade e a atual situação da pesca a partir da percepção deles; diálogos e entrevistas semiestruturadas com os pescadores mais antigos, buscando perceber nas histórias orais as iniciativas criadas pelo grupo para construção da gestão da pesca atual; entrevistas semiestruturada com as lideranças atuais buscando perceber as estratégias e ações exercidas na atualidade para a manutenção da gestão da pesca local; e, registros fotográficos, visualizando as paisagens, processos e dinâmicas da cotidianidade no espaço vivido da comunidade. Atualmente, 44 famílias usam e controlam o território da Ilha de São Miguel tendo como principal fonte de renda a atividade da pesca. Ressalta-se que no passado os pescadores locais juntamente com os de fora realizaram uma grande pressão nos lagos em busca do pescado levando ao exaurimento do estoque pesqueiro local. Buscando conseguir a volta do recurso pesqueiro, os comunitários da Ilha passaram a construir e praticar ações que visam a preservação e manutenção do recurso em questão, bem como de seus territórios extrativos. Essas ações foram elaboradas no acordo de usufruto de 1974 e consolidadas no acordo de pesca de 1985 e no manejo do Pirarucu no ano de 1997, mantidas até os dias atuais, que por meio do cumprimento das regras locais evidenciam alicerçada na ação coletiva que deliberando regras para pescar nos lagos da comunidade proporciona uma sustentabilidade local, evidenciada no uso racional dos recursos pesqueiros, além de assegurar a qualidade de vida a todos os moradores da Ilha.
6
  • ROBERTH RODRIGUES FERREIRA
  • GESTÃO DA PESCA NA ILHA DE SÃO MIGUEL, SANTARÉM, PARÁ: MOBILIZAÇÃO POLÍTICA PARA ACESSO, USO E CONTROLE DOS RECURSOS PESQUEIROS LOCAIS
  • Orientador : RUBENS ELIAS DA SILVA
  • Data: 08/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca compreender a gestão da pesca por meio do acordo de pesca de base comunitária e o manejo do pirarucu realizados pelos moradores da comunidade Ilha de São Miguel, localizada, no Município de Santarém, oeste do Estado do Pará, entendendo as estratégias construídas e estabelecidas a partir da mobilização política para uso racional dos recursos pesqueiros locais. Esta pesquisa possui uma abordagem qualitativa amparada na escrita etnográfica, uma vez que este método permite observar e analisar a cultura de determinada sociedade por meio do olhar, ouvir e escrever as práticas cotidianas percebidas durante o campo, além de criar laços de proximidade entre pesquisador e pesquisado. No trabalho de campo foram realizados os seguintes procedimentos: pesquisa documental na tentativa de conseguir nos documentos (atas de reuniões, estatuto da associação de moradores e o acordo de pesca) as regras e punições estabelecidas para uso e controle da pesca na Ilha; entrevistas e diálogos semiestruturados com as famílias objetivando levantar a caracterização sociodemográfica da comunidade e a atual situação da pesca a partir da percepção deles; diálogos e entrevistas semiestruturadas com os pescadores mais antigos, buscando perceber nas histórias orais as iniciativas criadas pelo grupo para construção da gestão da pesca atual; entrevistas semiestruturada com as lideranças atuais buscando perceber as estratégias e ações exercidas na atualidade para a manutenção da gestão da pesca local; e, registros fotográficos, visualizando as paisagens, processos e dinâmicas da cotidianidade no espaço vivido da comunidade. Atualmente, 44 famílias usam e controlam o território da Ilha de São Miguel tendo como principal fonte de renda a atividade da pesca. Ressalta-se que no passado os pescadores locais juntamente com os de fora realizaram uma grande pressão nos lagos em busca do pescado levando ao exaurimento do estoque pesqueiro local. Buscando conseguir a volta do recurso pesqueiro, os comunitários da Ilha passaram a construir e praticar ações que visam a preservação e manutenção do recurso em questão, bem como de seus territórios extrativos. Essas ações foram elaboradas no acordo de usufruto de 1974 e consolidadas no acordo de pesca de 1985 e no manejo do Pirarucu no ano de 1997, mantidas até os dias atuais, que por meio do cumprimento das regras locais evidenciam alicerçada na ação coletiva que deliberando regras para pescar nos lagos da comunidade proporciona uma sustentabilidade local, evidenciada no uso racional dos recursos pesqueiros, além de assegurar a qualidade de vida a todos os moradores da Ilha.
7
  • CLEIDEANE MORAES CARVALHO
  • O SETOR MADEIREIRO EM ITAITUBA, PARÁ: SATISFAÇÃO DE EMPRESÁRIOS E BEM-ESTAR DE TRABALHADORES
  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 13/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A exploração econômica da madeira, quando praticada por meio do manejo sustentável, traz benefícios econômicos para a região com baixo impacto ao meio ambiente, podendo ser muito benéficas a regiões que possuem abundancia de matéria-prima, a exemplo de Itaituba-PA. Além disso, avaliar apenas fatores econômicos e geração de renda pode ser insuficiente para definir que determinado setor produtivo promova qualidade de vida à sociedade em que está inserido. Assim, objetivou-se estudar a satisfação dos empresários e o bem-estar subjetivo dos trabalhadores setor madeireiro no município de Itaituba, Pará. Para o estudo da satisfação dos empresários, utilizou-se o método qualitativo, sendo o instrumento para a coleta dos dados a entrevista semiestruturada. dados coletados, após a transcrição, os discursos foram analisados por meio do método de análise Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Já a pesquisa com os trabalhadores foi realizada por meio do método quantitativo, utilizando como instrumento questionário com indicadores de bem-estar pessoal nas organizações, que medem o nível de satisfação dos pesquisados sobres aspectos relacionados ao ambiente de trabalho, utilizando escala Likert de 5 pontos. Estes dados foram foram tabulados e analisados pela estatística descritiva, por meio dos programas Excel for Windows® e Statistical Analysis Software (PSPP), versão 1.0.1. Os resultados indicam que na perspectiva dos empresários que atuam no ramo, houve uma grande diminuição na produção madeireira legal nos últimos anos, principalmente pelo excesso de burocracia e omissão do Estado, permitindo a concorrência desleal com pessoas que atuam ilegalmente no mercado itaitubense. Apesar de um cenário adverso, há satisfação com o setor, prevalecendo a ideia de que gostam da atividade e pretendem continuar lutando para alcançar a realização profissional. Quanto ao bem-estar subjetivo dos trabalhadores do setor madeireiro no município de Itaituba-PA, a média de notas atriibuídas ao nível de bem-estar refletiu em um nível de 61%. O bem-estar dos trabalhadores foi fortemente influenciado por questões ligadas ao Suporte Ambiental (73,25%), e a Autonomia (42,25%) dimensão que merece maior atenção, visando melhorias no nível de bem-estar dos trabalhadores. Faz-se necessário uma atuação conjunta entre governo e empresas no município para melhorar aspectos negativos encontrados no presente estudo, melhorando o diálogo em todos os ambientes, possibilitado a atuação mais flexível, tanto por meio de políticas públicas, atuação dos servidores públicos envolvidos no setor, quanto no ambiente interno das empresas pesquisadas, o que poderia possibilitar melhoria na satisfação dos sujeitos sociais deste setor.
8
  • CLEIDEANE MORAES CARVALHO
  • O SETOR MADEIREIRO EM ITAITUBA, PARÁ: SATISFAÇÃO DE EMPRESÁRIOS E BEM-ESTAR DE TRABALHADORES
  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 13/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A exploração econômica da madeira, quando praticada por meio do manejo sustentável, traz benefícios econômicos para a região com baixo impacto ao meio ambiente, podendo ser muito benéficas a regiões que possuem abundancia de matéria-prima, a exemplo de Itaituba-PA. Além disso, avaliar apenas fatores econômicos e geração de renda pode ser insuficiente para definir que determinado setor produtivo promova qualidade de vida à sociedade em que está inserido. Assim, objetivou-se estudar a satisfação dos empresários e o bem-estar subjetivo dos trabalhadores setor madeireiro no município de Itaituba, Pará. Para o estudo da satisfação dos empresários, utilizou-se o método qualitativo, sendo o instrumento para a coleta dos dados a entrevista semiestruturada. dados coletados, após a transcrição, os discursos foram analisados por meio do método de análise Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Já a pesquisa com os trabalhadores foi realizada por meio do método quantitativo, utilizando como instrumento questionário com indicadores de bem-estar pessoal nas organizações, que medem o nível de satisfação dos pesquisados sobres aspectos relacionados ao ambiente de trabalho, utilizando escala Likert de 5 pontos. Estes dados foram foram tabulados e analisados pela estatística descritiva, por meio dos programas Excel for Windows® e Statistical Analysis Software (PSPP), versão 1.0.1. Os resultados indicam que na perspectiva dos empresários que atuam no ramo, houve uma grande diminuição na produção madeireira legal nos últimos anos, principalmente pelo excesso de burocracia e omissão do Estado, permitindo a concorrência desleal com pessoas que atuam ilegalmente no mercado itaitubense. Apesar de um cenário adverso, há satisfação com o setor, prevalecendo a ideia de que gostam da atividade e pretendem continuar lutando para alcançar a realização profissional. Quanto ao bem-estar subjetivo dos trabalhadores do setor madeireiro no município de Itaituba-PA, a média de notas atriibuídas ao nível de bem-estar refletiu em um nível de 61%. O bem-estar dos trabalhadores foi fortemente influenciado por questões ligadas ao Suporte Ambiental (73,25%), e a Autonomia (42,25%) dimensão que merece maior atenção, visando melhorias no nível de bem-estar dos trabalhadores. Faz-se necessário uma atuação conjunta entre governo e empresas no município para melhorar aspectos negativos encontrados no presente estudo, melhorando o diálogo em todos os ambientes, possibilitado a atuação mais flexível, tanto por meio de políticas públicas, atuação dos servidores públicos envolvidos no setor, quanto no ambiente interno das empresas pesquisadas, o que poderia possibilitar melhoria na satisfação dos sujeitos sociais deste setor.
9
  • ANDREIA RIKER SOARES DE SOUSA
  • O Enfrentamento da Violência Sexual Infantojuvenil: o Caso de uma Escola Pública Periférica do Município de Santarém- Pará
  • Data: 24/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação se estrutura mediante vinculação ao Programa de Pós Graduação em Sociedade, Ambiente e Qualidade de Vida, do Centro de Formação Interdisciplinar da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), na Linha de Pesquisa Políticas Públicas, Diversidade e Desenvolvimento Amazônico. Ao realizar a pesquisa buscou-se abordar a temática enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes sob a ótica docente no município de Santarém-PA. Para tanto desenvolve-se um estudo de caso instrumental em uma escola da rede pública municipal da cidade de Santarém-PA, situada segundo análise de dados do Plano Municipal Decenal de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes de Santarém-PA, em um dos bairros de maior incidência de violência no município. A pesquisa parte do seguinte questionamento: “Como a Escola (A) vem enfrentando a violência sexual contra crianças e adolescentes?” A partir desta interrogativa inicial, desenvolve-se o objetivo geral de “Analisar as ações desenvolvidas pela escola no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes”. Nesse sentido, delineiam-se os seguintes objetivos específicos: “Observar qual a formação que os docentes receberam para atuar no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes na Escola (A) ”; “Verificar quais ações são desenvolvidas pela Escola (A) no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes” e “Identificar em quais aspectos a Escola (A) considera que já avançou e quais os desafios que ainda são perceptíveis frente o enfrentamento da violência de ordem sexual que vitima seus discentes”. Metodologicamente, a pesquisa é de abordagem empírico-bibliográfica de cunho qualitativo e quantitativo, será realizada análise documental no Projeto Político Pedagógico da Escola, bem como, nos registros do livro de ocorrência e dos ofícios enviados aos órgãos de Proteção à criança e ao adolescente, na escola. Na pesquisa de campo faremos entrevista semi-estruturada com os docentes, coordenadora pedagógica e gestora da escola. Para análise dos dados utilizaremos o método da Análise de Conteúdo.
10
  • ANDREIA RIKER SOARES DE SOUSA
  • O Enfrentamento da Violência Sexual Infantojuvenil: o Caso de uma Escola Pública Periférica do Município de Santarém- Pará
  • Data: 24/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação se estrutura mediante vinculação ao Programa de Pós Graduação em Sociedade, Ambiente e Qualidade de Vida, do Centro de Formação Interdisciplinar da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), na Linha de Pesquisa Políticas Públicas, Diversidade e Desenvolvimento Amazônico. Ao realizar a pesquisa buscou-se abordar a temática enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes sob a ótica docente no município de Santarém-PA. Para tanto desenvolve-se um estudo de caso instrumental em uma escola da rede pública municipal da cidade de Santarém-PA, situada segundo análise de dados do Plano Municipal Decenal de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes de Santarém-PA, em um dos bairros de maior incidência de violência no município. A pesquisa parte do seguinte questionamento: “Como a Escola (A) vem enfrentando a violência sexual contra crianças e adolescentes?” A partir desta interrogativa inicial, desenvolve-se o objetivo geral de “Analisar as ações desenvolvidas pela escola no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes”. Nesse sentido, delineiam-se os seguintes objetivos específicos: “Observar qual a formação que os docentes receberam para atuar no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes na Escola (A) ”; “Verificar quais ações são desenvolvidas pela Escola (A) no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes” e “Identificar em quais aspectos a Escola (A) considera que já avançou e quais os desafios que ainda são perceptíveis frente o enfrentamento da violência de ordem sexual que vitima seus discentes”. Metodologicamente, a pesquisa é de abordagem empírico-bibliográfica de cunho qualitativo e quantitativo, será realizada análise documental no Projeto Político Pedagógico da Escola, bem como, nos registros do livro de ocorrência e dos ofícios enviados aos órgãos de Proteção à criança e ao adolescente, na escola. Na pesquisa de campo faremos entrevista semi-estruturada com os docentes, coordenadora pedagógica e gestora da escola. Para análise dos dados utilizaremos o método da Análise de Conteúdo.
11
  • ELIAN KARINE SERRÃO DA SILVA
  • O MASCARADO FOBÓ ENTRE A SERIEDADE E A LUDICIDADE: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE O FOLIÃO DA AMAZÔNIA NO CENÁRIO CARNAVALESCO DE ÓBIDOS-PARÁ
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 14/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação visa apresentar o resultado da investigação sobre o símbolo cultural da maior festa carnavalesca da reigão do Baixo Amazonas, o Mascarado Fobó, seus aspectos históricos e culturais, sua essência, raízes e significado, seus disfarces e revelações, e suas transformações ao longo do tempo. A pesquisa teve como objetivo compreender o personagem Mascarado Fobó, seu simbolismo e suas implicações na formação da identidade cultural amazônida de Óbidos. Ela foi organizada em quatro momentos: pesquisa teórico-bibliográfica do patrimônio cultural de Óbidos e o Mascarado Fobó para compor o estado da arte; pesquisa de campo numa abordagem qualitativa com coleta de dados por meio de entrevista semiestruturada aplicada aos habitantes, agentes culturais e gestores do município de Óbidos; análise e assimilação das informações; e apresentação dos resultados em dissertação. A questão científica norteadora da pesquisa consistiu em dimensionar em que medida o Mascarado Fobó pode ser compreendido como uma manifestação cultural que se propõe apresentar traços culturais da Amazônia na forma de brincadeira séria, um serio ludere (ato pensado, ato criativo), que possibilita o fortalecimento da condição cultural amazônida de ser. Baseada nesta questão, a pesquisa levantou dados de que é no cenário carnavalesco que surge o Mascarado Fobó para dar significado à festa e dinamizar sua essência, o que segundo o conhecimento popular coletivo teria surgido a partir de uma concepção de desigualdade social, política e econômica entre classes distintas. É durante a Festa do Mascarado Fobó que as diferenças sociais e econômicas são evidenciadas e apresentadas na forma de risos, brincadeiras, gargalhadas e deboche em contraposição à revanche, ao anonimato e à seriedade da vida social cotidiana. Os resultados apontam para uma manifestação cultural que homenageia uma criação humana, fruto de um imaginário antigo, que produz a ocultação da própria identidade na identidade de um personagem que é história e que se faz história a cada ano, resultando daí numa festa que debocha da realidade cruel por meio de risos brincadeiras, atitudes que escondem sua real identidade sob a pena de ser “manjado” e ter que se retirar da brincadeira mascarada.
12
  • ELIAN KARINE SERRÃO DA SILVA
  • O MASCARADO FOBÓ ENTRE A SERIEDADE E A LUDICIDADE: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE O FOLIÃO DA AMAZÔNIA NO CENÁRIO CARNAVALESCO DE ÓBIDOS-PARÁ
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 14/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação visa apresentar o resultado da investigação sobre o símbolo cultural da maior festa carnavalesca da reigão do Baixo Amazonas, o Mascarado Fobó, seus aspectos históricos e culturais, sua essência, raízes e significado, seus disfarces e revelações, e suas transformações ao longo do tempo. A pesquisa teve como objetivo compreender o personagem Mascarado Fobó, seu simbolismo e suas implicações na formação da identidade cultural amazônida de Óbidos. Ela foi organizada em quatro momentos: pesquisa teórico-bibliográfica do patrimônio cultural de Óbidos e o Mascarado Fobó para compor o estado da arte; pesquisa de campo numa abordagem qualitativa com coleta de dados por meio de entrevista semiestruturada aplicada aos habitantes, agentes culturais e gestores do município de Óbidos; análise e assimilação das informações; e apresentação dos resultados em dissertação. A questão científica norteadora da pesquisa consistiu em dimensionar em que medida o Mascarado Fobó pode ser compreendido como uma manifestação cultural que se propõe apresentar traços culturais da Amazônia na forma de brincadeira séria, um serio ludere (ato pensado, ato criativo), que possibilita o fortalecimento da condição cultural amazônida de ser. Baseada nesta questão, a pesquisa levantou dados de que é no cenário carnavalesco que surge o Mascarado Fobó para dar significado à festa e dinamizar sua essência, o que segundo o conhecimento popular coletivo teria surgido a partir de uma concepção de desigualdade social, política e econômica entre classes distintas. É durante a Festa do Mascarado Fobó que as diferenças sociais e econômicas são evidenciadas e apresentadas na forma de risos, brincadeiras, gargalhadas e deboche em contraposição à revanche, ao anonimato e à seriedade da vida social cotidiana. Os resultados apontam para uma manifestação cultural que homenageia uma criação humana, fruto de um imaginário antigo, que produz a ocultação da própria identidade na identidade de um personagem que é história e que se faz história a cada ano, resultando daí numa festa que debocha da realidade cruel por meio de risos brincadeiras, atitudes que escondem sua real identidade sob a pena de ser “manjado” e ter que se retirar da brincadeira mascarada.
13
  • ALDINE CECÍLIA LIMA COELHO
  • Intersetorialidade no Programa Saúde na Escola no município de Santarém-Pará
  • Orientador : TANIA SUELY AZEVEDO BRASILEIRO
  • Data: 17/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa visa compreender o processo de intersetorialidade no Programa Saúde na Escola (PSE) no município de Santarém, Pará, buscando entender de que forma são planejadas e realizadas as ações para a melhoria da qualidade de vida dos alunos inseridos neste programa interministerial. A intersetorialidade como política de gestão deste programa se torna temática desta dissertação de mestrado interdisciplinar na área Sociedade, Ambiente e Qualidade de Vida, assumindo como problemática: como ocorre o processo de intersetorialidade no âmbito do PSE no município de Santarém-Pará? O estudo possui como objetivo geral analisar o processo da intersetorialidade no Programa Saúde na Escola (PSE) no Município de Santarém/Pará, a partir das percepções das equipes de trabalho e das práticas desenvolvidas por no período de 2011 a 2017. Os objetivos específicos são: descrever a percepção dos componentes das equipes de saúde e da educação sobre o Programa Saúde na Escola; traçar o entendimento que fazem os componentes das equipes de saúde e da educação quanto à intersetorialidade; identificar como a intersetorialidade influencia na elaboração das práticas das equipes da saúde e da educação envolvidas no PSE. O aporte teórico se sustenta em Carvalho (2015), Gonçalves et al. (2008), Cavalcante, Lucena e Lucena (2015), Santos e Bogus (2007), Rodrigues (2011), Nascimento (2010), Garcia et al (2013), Cavalcanti et al (2013), Oliveira (2015), Farias (2014), Silva (2014), Silveira (2014), Dondoni (2016) e em Brasil (2007, 2011). O presente estudo possui uma abordagem qualitativa (LEOPARDI, 2002), do tipo estudo de caso (MINAYO, 2014), com pesquisa documental e empírica. O lócus é composto por 13 unidades de saúde e 13 escolas do munícipio de Santarém, pactuadas em 2011 ao PSE, e que permanecem com o programa até 2017. O público alvo abrange componentes das equipes de saúde (13 enfermeiros coordenadores das unidades de saúde), que estão atuando nas 13 unidades que foram pactuadas em 2011, as quais estão responsáveis por dar assistência nas escolas vinculadas a elas, e componentes das equipes das escolas que são assistidas por essas unidades de saúde (13 coordenadores (as) pedagógicos (as) e 02 coordenadores (as) do PSE no município), totalizando 26 profissionais da saúde e da educação como amostra do estudo. Na coleta dos dados empíricos foi utilizado o questionário semiestruturado com os 26 componentes da amostra, e a entrevista semiestruturada com os coordenadores (as) do PSE em Santarém. Os dados coletados foram tabulados, categorizados e interpretados pela técnica de análise de conteúdo (BARDIN, 2011), sendo dispostos em gráficos, quadros, tabelas e mapas conceituais, com a finalidade de facilitar sua análise e propiciar a utilização da técnica de triangulação através das categorias centrais da pesquisa. Com este estudo constatou-se que o PSE visa a qualidade de vida dos alunos atendidos, sendo que para isso deve ser levado em consideração a realidade de cada escola e o planejamento intersetorial das ações que são realizadas nesses educandários, além da disponibilidade de recursos para que essas ações sejam efetivadas com qualidade.
14
  • ALDINE CECÍLIA LIMA COELHO
  • Intersetorialidade no Programa Saúde na Escola no município de Santarém-Pará
  • Orientador : TANIA SUELY AZEVEDO BRASILEIRO
  • Data: 17/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa visa compreender o processo de intersetorialidade no Programa Saúde na Escola (PSE) no município de Santarém, Pará, buscando entender de que forma são planejadas e realizadas as ações para a melhoria da qualidade de vida dos alunos inseridos neste programa interministerial. A intersetorialidade como política de gestão deste programa se torna temática desta dissertação de mestrado interdisciplinar na área Sociedade, Ambiente e Qualidade de Vida, assumindo como problemática: como ocorre o processo de intersetorialidade no âmbito do PSE no município de Santarém-Pará? O estudo possui como objetivo geral analisar o processo da intersetorialidade no Programa Saúde na Escola (PSE) no Município de Santarém/Pará, a partir das percepções das equipes de trabalho e das práticas desenvolvidas por no período de 2011 a 2017. Os objetivos específicos são: descrever a percepção dos componentes das equipes de saúde e da educação sobre o Programa Saúde na Escola; traçar o entendimento que fazem os componentes das equipes de saúde e da educação quanto à intersetorialidade; identificar como a intersetorialidade influencia na elaboração das práticas das equipes da saúde e da educação envolvidas no PSE. O aporte teórico se sustenta em Carvalho (2015), Gonçalves et al. (2008), Cavalcante, Lucena e Lucena (2015), Santos e Bogus (2007), Rodrigues (2011), Nascimento (2010), Garcia et al (2013), Cavalcanti et al (2013), Oliveira (2015), Farias (2014), Silva (2014), Silveira (2014), Dondoni (2016) e em Brasil (2007, 2011). O presente estudo possui uma abordagem qualitativa (LEOPARDI, 2002), do tipo estudo de caso (MINAYO, 2014), com pesquisa documental e empírica. O lócus é composto por 13 unidades de saúde e 13 escolas do munícipio de Santarém, pactuadas em 2011 ao PSE, e que permanecem com o programa até 2017. O público alvo abrange componentes das equipes de saúde (13 enfermeiros coordenadores das unidades de saúde), que estão atuando nas 13 unidades que foram pactuadas em 2011, as quais estão responsáveis por dar assistência nas escolas vinculadas a elas, e componentes das equipes das escolas que são assistidas por essas unidades de saúde (13 coordenadores (as) pedagógicos (as) e 02 coordenadores (as) do PSE no município), totalizando 26 profissionais da saúde e da educação como amostra do estudo. Na coleta dos dados empíricos foi utilizado o questionário semiestruturado com os 26 componentes da amostra, e a entrevista semiestruturada com os coordenadores (as) do PSE em Santarém. Os dados coletados foram tabulados, categorizados e interpretados pela técnica de análise de conteúdo (BARDIN, 2011), sendo dispostos em gráficos, quadros, tabelas e mapas conceituais, com a finalidade de facilitar sua análise e propiciar a utilização da técnica de triangulação através das categorias centrais da pesquisa. Com este estudo constatou-se que o PSE visa a qualidade de vida dos alunos atendidos, sendo que para isso deve ser levado em consideração a realidade de cada escola e o planejamento intersetorial das ações que são realizadas nesses educandários, além da disponibilidade de recursos para que essas ações sejam efetivadas com qualidade.
15
  • CLÁUDIA NEVES NASCIMENTO
  • CULTURAS E MEMÓRIAS DAS COMUNIDADES DE QUILOMBO DA AMAZÔNIA: UM PASSADO REVISTO A PARTIR DO PRESENTE
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 17/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação debruça-se sobre a contribuição dos povos de matriz africana na cultura e formação da sociedade amazônica. Destacando-se hoje a existência de comunidades remanescentes de quilombolas no Baixo Amazonas, também conhecida pelos locais de mocambos. A região é caracterizada pela diversidade, complexidades socioculturais, geográficas e por um rico patrimônio histórico cultural. Tudo isso, resultante da interação das diversas populações em um longo fluxo de tráfegos e tráficos pela região amazônida. A convivência entre diferentes povos favoreceu a construção de saberes e práticas que são próprios da região do Baixo Amazonas e ao mesmo tempo representam a singularidade desse território. Mas toda essa construção é resultante de resistências ou de acomodações à lógica do colonizador? Essa questão incômoda gerou a questão científica desta pesquisa, que é em que medida as manifestações culturais, os registros da memória coletiva e a afirmação da identidade afro de comunitários remanescentes de quilombo na região do Baixo Amazonas no tempo presente serve de fundamento para pensar o passado? Dito isto, a pesquisa, com abordagem qualitativa, focou em duas comunidades de remanescentes de quilombos com registros de reconhecimento territorial no INCRA, Silêncio (Óbidos-PA) e Pacoval (Alenquer-PA). Os resultados se mostraram válidos por conta de registros de memória coletiva sobre os patrimônios históricos, culturais e memórias das duas comunidades, gerando dela a discussão sobre a afirmação identitária afro, relacionando o presente ao passado e o passado ao presente, duas vias que permitem ligar a África à Amazônia, dois universos distantes, que por conta da grande Diáspora, acabaram se unindo pela viva resistência de pretos de mocambos e quilombos.
16
  • CLÁUDIA NEVES NASCIMENTO
  • CULTURAS E MEMÓRIAS DAS COMUNIDADES DE QUILOMBO DA AMAZÔNIA: UM PASSADO REVISTO A PARTIR DO PRESENTE
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 17/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação debruça-se sobre a contribuição dos povos de matriz africana na cultura e formação da sociedade amazônica. Destacando-se hoje a existência de comunidades remanescentes de quilombolas no Baixo Amazonas, também conhecida pelos locais de mocambos. A região é caracterizada pela diversidade, complexidades socioculturais, geográficas e por um rico patrimônio histórico cultural. Tudo isso, resultante da interação das diversas populações em um longo fluxo de tráfegos e tráficos pela região amazônida. A convivência entre diferentes povos favoreceu a construção de saberes e práticas que são próprios da região do Baixo Amazonas e ao mesmo tempo representam a singularidade desse território. Mas toda essa construção é resultante de resistências ou de acomodações à lógica do colonizador? Essa questão incômoda gerou a questão científica desta pesquisa, que é em que medida as manifestações culturais, os registros da memória coletiva e a afirmação da identidade afro de comunitários remanescentes de quilombo na região do Baixo Amazonas no tempo presente serve de fundamento para pensar o passado? Dito isto, a pesquisa, com abordagem qualitativa, focou em duas comunidades de remanescentes de quilombos com registros de reconhecimento territorial no INCRA, Silêncio (Óbidos-PA) e Pacoval (Alenquer-PA). Os resultados se mostraram válidos por conta de registros de memória coletiva sobre os patrimônios históricos, culturais e memórias das duas comunidades, gerando dela a discussão sobre a afirmação identitária afro, relacionando o presente ao passado e o passado ao presente, duas vias que permitem ligar a África à Amazônia, dois universos distantes, que por conta da grande Diáspora, acabaram se unindo pela viva resistência de pretos de mocambos e quilombos.
17
  • FRANCENILCE SILVA DE PAULA NEVES
  • CENÁRIOS CULTURAIS DO BAIXO AMAZONAS NA OBRA “O CORONEL SANGRADO” DE INGLEZ DE SOUZA: UMA LEITURA EPISTEMOLÓGICA DO ROMANCE
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 24/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação evoca percepções e debates conceituais de cultura dentro dos aspectos da matutice e da civilidade do povo Amazônida, a partir do imaginário popular Obidense, no oeste paraense, e do discurso literário de Inglez de Souza, na Obra “O Coronel Sangrado”, escrita no século XIX. O texto romanesco de Souza foi analisado à luz da epistemologia do romance tendo como eixo epistêmico “a cultura”, uma vez que o autor nessa obra utiliza-se de seus personagens por meio de prosa ficcional para enveredar no escopo da vida e do jeito de ser do povo da Amazônia, e sua relação tão peculiar com a floresta, forjando assim uma possível condição humana amazônida de ser, entrelaçada de culturas. A abordagem de natureza teórica de investigação documental e bibliográfica nos levou a apresentar por meio de decomposição textual da obra romanesca – serio ludere – traços que permitem o entendimento de qual ou quais os conceitos de cultura utilizados direta ou indiretamente por Inglez de Souza em O Coronel Sangrado, bem como a forma de Souza evidenciar hábitos de cultura amazônica quanto a relações de poder em disputas por terras, entre fazendeiros cacaulistas e o povo que mora na floresta durante o século XIX, relações conflituosas de amor, fatores sociais e outros pontos que sem a percepção do conceito de cultura que Inglez de Souza propõe seria dificultoso o entendimento da obra. O aprofundamento da pesquisa feita por meio da epistemologia do romance e da leitura estética do texto apresentou resultados bastante válidos. Neste sentido, a epistemologia e a estética utilizadas como instrumentos de investigação se mostraram eficazes. Sem elas, a imersão nos cenários culturais do Baixo Amazonas descritos em “O Coronel Sangrado” não alcançaria o objetivo maior deste estudo, apresentar a matutice como categoria social de cultura na e da Amazônia.
18
  • FRANCENILCE SILVA DE PAULA NEVES
  • CENÁRIOS CULTURAIS DO BAIXO AMAZONAS NA OBRA “O CORONEL SANGRADO” DE INGLEZ DE SOUZA: UMA LEITURA EPISTEMOLÓGICA DO ROMANCE
  • Orientador : ITAMAR RODRIGUES PAULINO
  • Data: 24/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação evoca percepções e debates conceituais de cultura dentro dos aspectos da matutice e da civilidade do povo Amazônida, a partir do imaginário popular Obidense, no oeste paraense, e do discurso literário de Inglez de Souza, na Obra “O Coronel Sangrado”, escrita no século XIX. O texto romanesco de Souza foi analisado à luz da epistemologia do romance tendo como eixo epistêmico “a cultura”, uma vez que o autor nessa obra utiliza-se de seus personagens por meio de prosa ficcional para enveredar no escopo da vida e do jeito de ser do povo da Amazônia, e sua relação tão peculiar com a floresta, forjando assim uma possível condição humana amazônida de ser, entrelaçada de culturas. A abordagem de natureza teórica de investigação documental e bibliográfica nos levou a apresentar por meio de decomposição textual da obra romanesca – serio ludere – traços que permitem o entendimento de qual ou quais os conceitos de cultura utilizados direta ou indiretamente por Inglez de Souza em O Coronel Sangrado, bem como a forma de Souza evidenciar hábitos de cultura amazônica quanto a relações de poder em disputas por terras, entre fazendeiros cacaulistas e o povo que mora na floresta durante o século XIX, relações conflituosas de amor, fatores sociais e outros pontos que sem a percepção do conceito de cultura que Inglez de Souza propõe seria dificultoso o entendimento da obra. O aprofundamento da pesquisa feita por meio da epistemologia do romance e da leitura estética do texto apresentou resultados bastante válidos. Neste sentido, a epistemologia e a estética utilizadas como instrumentos de investigação se mostraram eficazes. Sem elas, a imersão nos cenários culturais do Baixo Amazonas descritos em “O Coronel Sangrado” não alcançaria o objetivo maior deste estudo, apresentar a matutice como categoria social de cultura na e da Amazônia.
19
  • WANDICLEIA LOPES DE SOUSA
  • Mulheres que pescam e que cultivam no Maicá, Santarém, Pará: condições socioeconômicas e percepções de qualidade de vida

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 28/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo aborda questões sociais, econômicas e ambientais que envolvem mulheres que desenvolvem a pesca artesanal e a agricultura familiar nos bairros do Maicá e Pérola do Maicá em Santarém, Pará. O trabalho tem como questão norteadora a seguinte pergunta: como é o modo e a qualidade de vida das pescadoras artesanais e agricultoras familiares que residem nos bairros Maicá e Pérola do Maicá? Para responder essas inquietações, objetivou-se compreender as condições socioeconômicas e a qualidade de vida a partir da percepção das pescadoras artesanais e agricultoras familiares, dentro de um recorte espacial nos bairros do Maicá e Pérola do Maicá em Santarém. Os dados da pesquisa foram coletados entre março e maio de 2018. Trata-se de pesquisa quali-quantitativa, e teve como base de investigação o estudo de caso. O público alvo das investigações é composto por 11 pescadoras artesanais e 07 agricultoras familiares residentes nos bairros lócus da pesquisa, todas sócias do Núcleo de Base da Colônia de Pescadores e Pescadoras Artesanais da Z-20 e da Delegacia Sindical do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém. Os resultados apontam que a atividade da agricultura familiar e pesca artesanal possuem função essencial na produção de alimentos, assegurando a segurança alimentar e nutricional, geração de empregos diretos e indiretos e no auxílio no combate ao êxodo rural, isto é, garantindo a permanência das famílias nas unidades consumidoras. Os resultados contribuem para o reconhecimento da participação da mulher nas atividades da pesca artesanal e agricultura familiar e seu desempenho na economia local. Ademais, ficam evidentes que aspectos ligados à saúde, família, trabalho, religião e relação comunitária influenciam as percepções da qualidade de suas vidas. O estudo demonstra que qualidade de vida é um conceito interdisciplinar, podendo ser estudado com base em parâmetros objetivos e subjetivos.

20
  • WANDICLEIA LOPES DE SOUSA
  • Mulheres que pescam e que cultivam no Maicá, Santarém, Pará: condições socioeconômicas e percepções de qualidade de vida

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 28/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo aborda questões sociais, econômicas e ambientais que envolvem mulheres que desenvolvem a pesca artesanal e a agricultura familiar nos bairros do Maicá e Pérola do Maicá em Santarém, Pará. O trabalho tem como questão norteadora a seguinte pergunta: como é o modo e a qualidade de vida das pescadoras artesanais e agricultoras familiares que residem nos bairros Maicá e Pérola do Maicá? Para responder essas inquietações, objetivou-se compreender as condições socioeconômicas e a qualidade de vida a partir da percepção das pescadoras artesanais e agricultoras familiares, dentro de um recorte espacial nos bairros do Maicá e Pérola do Maicá em Santarém. Os dados da pesquisa foram coletados entre março e maio de 2018. Trata-se de pesquisa quali-quantitativa, e teve como base de investigação o estudo de caso. O público alvo das investigações é composto por 11 pescadoras artesanais e 07 agricultoras familiares residentes nos bairros lócus da pesquisa, todas sócias do Núcleo de Base da Colônia de Pescadores e Pescadoras Artesanais da Z-20 e da Delegacia Sindical do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém. Os resultados apontam que a atividade da agricultura familiar e pesca artesanal possuem função essencial na produção de alimentos, assegurando a segurança alimentar e nutricional, geração de empregos diretos e indiretos e no auxílio no combate ao êxodo rural, isto é, garantindo a permanência das famílias nas unidades consumidoras. Os resultados contribuem para o reconhecimento da participação da mulher nas atividades da pesca artesanal e agricultura familiar e seu desempenho na economia local. Ademais, ficam evidentes que aspectos ligados à saúde, família, trabalho, religião e relação comunitária influenciam as percepções da qualidade de suas vidas. O estudo demonstra que qualidade de vida é um conceito interdisciplinar, podendo ser estudado com base em parâmetros objetivos e subjetivos.

21
  • ROGERIO RIBEIRO DE SOUZA
  • Palinologia dos méis de meliponíneos (Apinae: Meliponini) em comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, Pará, Brasil

  • Data: 24/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo identificar os recursos tróficos usados por Melipona seminigra, Melipona interrupta e Friseomelitta longipes em comunidades ao longo da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós-Arapiuns, por meio da análise polínica de méis dessas abelhas, visando subsidiar a formulação de estratégias de conservação e manejo para aumentar a atividade meliponícola regional. No primeiro capítulo é apresentado um levantamento da produção científica relacionada à Melissopalinologia no Brasil, bem como os tipos polínicos registrados nessas publicações, provendo um banco de dados melissopalinológico do período entre 2005 e 2017, a partir de trabalhos indexados na Web of Science e na Scientific Electronic Library Online. A análise polínica do mel de Melipona seminigra e M. interrupta encontrou 98 tipos polínicos, distribuídos em 21 famílias, com cinco tipos indeterminados. Desse total, 53 tipos foram exclusivamente coletados por M. seminigra, 28 foram coletados apenas por M. interrupta e 17 tipos foram compartilhados por ambas as espécies. O principal tipo polínico para M. seminigra foi Mimosa pudica (Fabaceae/Mimosoideae) e para Melipona interrupta foram os tipos Protium heptaphyllum (Burseraceae), Miconia (Melastomataceae) e Spondias mombin (Anacardiaceae). Para a espécie Frieseomelitta longipes foram identificados 173 tipos polínicos distribuídos em 34 famílias botânicas, somados a 14 tipos indeterminados. Os tipos polínicos mais representativos nas amostras de méis de F. longipes foram: Spondias mombin, Tapirira guianensis (Anacardiaceae), Caelsapinia peltophoporoides, Delonix regia (Fabaceae/Caesalpinioideae), Mimosa guilandinae (Fabaceae/Mimosoideae), Eugenia stiptata, Psidium guajava (Myrtaceae) e Cecropia (Urticaceae). Os dados gerados pelo presente estudo serão úteis para os meliponicultores locais, sugerindo quais espécies vegetais em diferentes períodos de floração são recomendadas como recursos para as espécies de abelhas aqui estudadas. Este estudo enfatiza a importância da diversidade de plantas para manter as espécies de abelhas em meliponários dentro de áreas da Resex Tapajós-Arapiuns.

22
  • ROGERIO RIBEIRO DE SOUZA
  • Palinologia dos méis de meliponíneos (Apinae: Meliponini) em comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, Pará, Brasil

  • Data: 24/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo identificar os recursos tróficos usados por Melipona seminigra, Melipona interrupta e Friseomelitta longipes em comunidades ao longo da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós-Arapiuns, por meio da análise polínica de méis dessas abelhas, visando subsidiar a formulação de estratégias de conservação e manejo para aumentar a atividade meliponícola regional. No primeiro capítulo é apresentado um levantamento da produção científica relacionada à Melissopalinologia no Brasil, bem como os tipos polínicos registrados nessas publicações, provendo um banco de dados melissopalinológico do período entre 2005 e 2017, a partir de trabalhos indexados na Web of Science e na Scientific Electronic Library Online. A análise polínica do mel de Melipona seminigra e M. interrupta encontrou 98 tipos polínicos, distribuídos em 21 famílias, com cinco tipos indeterminados. Desse total, 53 tipos foram exclusivamente coletados por M. seminigra, 28 foram coletados apenas por M. interrupta e 17 tipos foram compartilhados por ambas as espécies. O principal tipo polínico para M. seminigra foi Mimosa pudica (Fabaceae/Mimosoideae) e para Melipona interrupta foram os tipos Protium heptaphyllum (Burseraceae), Miconia (Melastomataceae) e Spondias mombin (Anacardiaceae). Para a espécie Frieseomelitta longipes foram identificados 173 tipos polínicos distribuídos em 34 famílias botânicas, somados a 14 tipos indeterminados. Os tipos polínicos mais representativos nas amostras de méis de F. longipes foram: Spondias mombin, Tapirira guianensis (Anacardiaceae), Caelsapinia peltophoporoides, Delonix regia (Fabaceae/Caesalpinioideae), Mimosa guilandinae (Fabaceae/Mimosoideae), Eugenia stiptata, Psidium guajava (Myrtaceae) e Cecropia (Urticaceae). Os dados gerados pelo presente estudo serão úteis para os meliponicultores locais, sugerindo quais espécies vegetais em diferentes períodos de floração são recomendadas como recursos para as espécies de abelhas aqui estudadas. Este estudo enfatiza a importância da diversidade de plantas para manter as espécies de abelhas em meliponários dentro de áreas da Resex Tapajós-Arapiuns.

23
  • BRUNO CALZAVARA FLORES
  • Contribuições Teóricas sobre Quintais: Memória (Bio)Cultural, Vinculação Afetiva e Qualidade de Vida

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 06/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os quintais são complexos sistemas de produção de insumos alimentares, espalhados ao longo das regiões de clima tropical, nos quais se encerram modos de vida específicos que resistem à amnésia biocultural da modernidade e conservam seu sistema tradicional de conhecimentos. Além disso, eles também detêm um grande potencial como meio promotor da melhoria na qualidade de vida de seus usuários e populações circunvizinhas, seja no campo ou na cidade, que carece de pesquisas científicas. Dessa forma, esta dissertação objetivou investigar as bases teóricas capazes de dar conta de entender a complexidade desses agroecossistemas e a relação dos mecanismos coletivos de perpetuação do conhecimento acumulados nos quintais com estudos de qualidade de vida e bem-estar subjetivo. Encontrou-se que há uma relação intrínseca entre memórias cultural e biocultural e as avaliações sobre o bem-estar subjetivo e qualidade de vida, na medida em que possibilitam o mergulho no universo de sentido dos sujeitos para apreender os elementos que exercem influência sobre eles e sobre os quais nutrem vínculo identitário determinante de modos de vida específicos. Em agroecossistemas de quintais, ainda há carência de estudos que considerem a subjetividades desses sistemas de produção, em especial em bases teóricas como a etnoecologia, a vinculação afetiva e a qualidade de vida, apesar do crescimento nas últimas décadas, principalmente na área de ciências de plantas. Porém, ainda há a necessidade de se investir em pesquisas científicas que adotem abordagens integrativas e interdisciplinares. Assim, pode-se reduzir obstáculos psicossociais que limitam o alcance e a operacionalização de instrumentos que contribuam na proposição de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das cidades e melhoria das condições de vida da população a partir desse modo de produção.

24
  • BRUNO CALZAVARA FLORES
  • Contribuições Teóricas sobre Quintais: Memória (Bio)Cultural, Vinculação Afetiva e Qualidade de Vida

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 06/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os quintais são complexos sistemas de produção de insumos alimentares, espalhados ao longo das regiões de clima tropical, nos quais se encerram modos de vida específicos que resistem à amnésia biocultural da modernidade e conservam seu sistema tradicional de conhecimentos. Além disso, eles também detêm um grande potencial como meio promotor da melhoria na qualidade de vida de seus usuários e populações circunvizinhas, seja no campo ou na cidade, que carece de pesquisas científicas. Dessa forma, esta dissertação objetivou investigar as bases teóricas capazes de dar conta de entender a complexidade desses agroecossistemas e a relação dos mecanismos coletivos de perpetuação do conhecimento acumulados nos quintais com estudos de qualidade de vida e bem-estar subjetivo. Encontrou-se que há uma relação intrínseca entre memórias cultural e biocultural e as avaliações sobre o bem-estar subjetivo e qualidade de vida, na medida em que possibilitam o mergulho no universo de sentido dos sujeitos para apreender os elementos que exercem influência sobre eles e sobre os quais nutrem vínculo identitário determinante de modos de vida específicos. Em agroecossistemas de quintais, ainda há carência de estudos que considerem a subjetividades desses sistemas de produção, em especial em bases teóricas como a etnoecologia, a vinculação afetiva e a qualidade de vida, apesar do crescimento nas últimas décadas, principalmente na área de ciências de plantas. Porém, ainda há a necessidade de se investir em pesquisas científicas que adotem abordagens integrativas e interdisciplinares. Assim, pode-se reduzir obstáculos psicossociais que limitam o alcance e a operacionalização de instrumentos que contribuam na proposição de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das cidades e melhoria das condições de vida da população a partir desse modo de produção.

25
  • MARCELIA CASTRO CARDOSO
  • TRANSFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E ESPAÇO NATURAL: O CASO DO LAGO DO JUÁ, SANTARÉM - PA

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 08/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • As questões ambientais e sociais por muito tempo foram tratadas de maneira separada e isolada, embora na maioria das vezes estejam em estreita conexão e interdependência, tendo em vista que a degradação ambiental na maioria das vezes está associada às ações antrópicas, que afetam social e ambientalmente a vida em diferentes ecossistemas. A interação entre atores sociais e espaço natural leva a transformações socioambientais amplas,dinâmicas e complexas. Ao longo do crescimento e desenvolvimento urbano do município de Santarém, situado na região oeste do Estado do Pará, muitas áreas de interesse ambiental integram a malha urbana e encontram-se vulneráveis as diversas ações antrópicas que contribuem para degradação ambiental dessas áreas. A exemplo tem-se o Lago do Juá, localizado entre a Rodovia Engenheiro Fernando Guilhon e margem direita do Rio Tapajós. O lago na perspectiva de sua localização geográfica configura-se numa área de interesse ambiental, sendo fundamental sua proteção, pois ele faz parte de um ecossistema, envolvendo meio biótico e abiótico, com biodiversidade característica abundante. Principalmente, na área da pesca devido a diversidade da ictiofauna, o que faz do lago um território pesqueiro com importância ecológica e socioeconômica reconhecida no município de Santarém. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho é compreender as mudanças históricas e espaciais, que levaram as atuais transformações socioambientais no Lago do Juá em Santarém – PA. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com moradores e pescadores locais e áreas de influência ao Lago. Ações antrópicas desenvolvidas no local e adjacências impuseram impactos ambientais sobre a flora, perda de habitat para a fauna terrestre e aquática, exposição do solo arenoso à erosão, assoreamento do lago como consequência dentre outros da vegetação suprimida e do transporte e deposição dos sedimentos carreados para o leito do lago, contribuindo na queda da qualidade de vida das pessoas e do ambiente.

26
  • MARCELIA CASTRO CARDOSO
  • TRANSFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E ESPAÇO NATURAL: O CASO DO LAGO DO JUÁ, SANTARÉM - PA

  • Orientador : HELIONORA DA SILVA ALVES
  • Data: 08/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • As questões ambientais e sociais por muito tempo foram tratadas de maneira separada e isolada, embora na maioria das vezes estejam em estreita conexão e interdependência, tendo em vista que a degradação ambiental na maioria das vezes está associada às ações antrópicas, que afetam social e ambientalmente a vida em diferentes ecossistemas. A interação entre atores sociais e espaço natural leva a transformações socioambientais amplas,dinâmicas e complexas. Ao longo do crescimento e desenvolvimento urbano do município de Santarém, situado na região oeste do Estado do Pará, muitas áreas de interesse ambiental integram a malha urbana e encontram-se vulneráveis as diversas ações antrópicas que contribuem para degradação ambiental dessas áreas. A exemplo tem-se o Lago do Juá, localizado entre a Rodovia Engenheiro Fernando Guilhon e margem direita do Rio Tapajós. O lago na perspectiva de sua localização geográfica configura-se numa área de interesse ambiental, sendo fundamental sua proteção, pois ele faz parte de um ecossistema, envolvendo meio biótico e abiótico, com biodiversidade característica abundante. Principalmente, na área da pesca devido a diversidade da ictiofauna, o que faz do lago um território pesqueiro com importância ecológica e socioeconômica reconhecida no município de Santarém. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho é compreender as mudanças históricas e espaciais, que levaram as atuais transformações socioambientais no Lago do Juá em Santarém – PA. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com moradores e pescadores locais e áreas de influência ao Lago. Ações antrópicas desenvolvidas no local e adjacências impuseram impactos ambientais sobre a flora, perda de habitat para a fauna terrestre e aquática, exposição do solo arenoso à erosão, assoreamento do lago como consequência dentre outros da vegetação suprimida e do transporte e deposição dos sedimentos carreados para o leito do lago, contribuindo na queda da qualidade de vida das pessoas e do ambiente.

27
  • DAYLANE RODRIGUES DE SOUSA
  • Intercalação do antibiótico Ciprofloxacino em Hidróxido Duplo Lamelar: caracterização e estudo de liberação in Vitro para atividade antimicrobiana

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 13/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, há uma grande preocupação da comunidade cientifica das ciências da saúde em relação aos antibióticos e as resistências bacterianas a eles. Dentre os diversos estudos para minimizar esse problema de saúde pública, estão o desenvolvimento de produtos híbridos (nanopartículas) e estudos de liberação lenta e controlada dos mesmos em células antibacteriana e anticancerígena, o qual permite melhorar o índice terapêutico, diminuir a dose e a frequência de administração, aumentar a entrada do fármaco no meio intracelular e acumulação no órgão alvo, além de limitação aos efeitos secundários. Neste trabalho, apresenta-se um estudo de formulação de um composto hibrido formado por um composto inorgânico (hidróxido duplo lamelar - HDL) com o antibiotico Ciprofloxacina (CIP) e sua atividade antibacteriana. O produto hibrido foi sintetizado por rota mecanoquímica e método da reconstrução (HDL/CIP), sendo que o acompanhamento do processo de liberação do antibiótico ocorreu através de testes de sensibilidade antimicrobiana (TSA) in vitro. A caracterização do composto híbrido foi feita por difração de raios-X (DRX), espectroscopia no infravermelho (IV) e Raman, analise térmica (TG-DTA), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e transmissão (HR-TEM). E a avaliação da atividade antimicrobiana foi realizada através de testes de sensibilidade antimicrobiana (TSA) in vitro por Àgar-difusão em discos e poços, determinação da concentração mínima inibitória (CMI) e realização do ensaio time-kill. Os resultados mostraram que a inserção do fármaco na estrutura do HDL foi satisfatória e que o composto hibrido apresentou excelente atividade antimicrobiana

28
  • DAYLANE RODRIGUES DE SOUSA
  • Intercalação do antibiótico Ciprofloxacino em Hidróxido Duplo Lamelar: caracterização e estudo de liberação in Vitro para atividade antimicrobiana

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 13/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, há uma grande preocupação da comunidade cientifica das ciências da saúde em relação aos antibióticos e as resistências bacterianas a eles. Dentre os diversos estudos para minimizar esse problema de saúde pública, estão o desenvolvimento de produtos híbridos (nanopartículas) e estudos de liberação lenta e controlada dos mesmos em células antibacteriana e anticancerígena, o qual permite melhorar o índice terapêutico, diminuir a dose e a frequência de administração, aumentar a entrada do fármaco no meio intracelular e acumulação no órgão alvo, além de limitação aos efeitos secundários. Neste trabalho, apresenta-se um estudo de formulação de um composto hibrido formado por um composto inorgânico (hidróxido duplo lamelar - HDL) com o antibiotico Ciprofloxacina (CIP) e sua atividade antibacteriana. O produto hibrido foi sintetizado por rota mecanoquímica e método da reconstrução (HDL/CIP), sendo que o acompanhamento do processo de liberação do antibiótico ocorreu através de testes de sensibilidade antimicrobiana (TSA) in vitro. A caracterização do composto híbrido foi feita por difração de raios-X (DRX), espectroscopia no infravermelho (IV) e Raman, analise térmica (TG-DTA), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e transmissão (HR-TEM). E a avaliação da atividade antimicrobiana foi realizada através de testes de sensibilidade antimicrobiana (TSA) in vitro por Àgar-difusão em discos e poços, determinação da concentração mínima inibitória (CMI) e realização do ensaio time-kill. Os resultados mostraram que a inserção do fármaco na estrutura do HDL foi satisfatória e que o composto hibrido apresentou excelente atividade antimicrobiana

29
  • KAMILLA CAVALCANTE MENDES
  • Os rejeitos da indústria Mineral de Mn da Amazônia para a Produção de Materiais de Óxidos de Mn Importância Tecnológica.

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 14/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • O interesse em reduzir poluentes ambientais, vem ganhando força nas últimas duas décadas, intensificando-se ainda mais depois da tragédia ocorrida em Mariana com as barragens de rejeitos que devastaram grandes áreas populosas e naturais. Assim como em Minas Gerais, o estado do Pará possui uma grande quantidade dessas barragens, cujos rejeitos em sua maioria não possuem nenhum estudo acerca de sua composição química e mineral. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo de caracterização química e mineralógica de rejeitos de Mn da Amazônia e sua transformação em produtos de importância tecnológica. Os procedimentos de conversão dos rejeitos em materiais de óxidos de Mn se basearam em rotas químicas que após investigações de caracterização por técnicas analíticas comprovaram a obtenção dos produtos LiMnO2 e OMS-2, mostrando desta forma que sub-produtos sem valor econômico da indústria mineral do Mn podem se transformar em materiais com valor agregado e de grande relevância tecnológica nas áreas de pilhas, baterias e química sustentável

30
  • KAMILLA CAVALCANTE MENDES
  • Os rejeitos da indústria Mineral de Mn da Amazônia para a Produção de Materiais de Óxidos de Mn Importância Tecnológica.

  • Orientador : BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
  • Data: 14/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • O interesse em reduzir poluentes ambientais, vem ganhando força nas últimas duas décadas, intensificando-se ainda mais depois da tragédia ocorrida em Mariana com as barragens de rejeitos que devastaram grandes áreas populosas e naturais. Assim como em Minas Gerais, o estado do Pará possui uma grande quantidade dessas barragens, cujos rejeitos em sua maioria não possuem nenhum estudo acerca de sua composição química e mineral. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo de caracterização química e mineralógica de rejeitos de Mn da Amazônia e sua transformação em produtos de importância tecnológica. Os procedimentos de conversão dos rejeitos em materiais de óxidos de Mn se basearam em rotas químicas que após investigações de caracterização por técnicas analíticas comprovaram a obtenção dos produtos LiMnO2 e OMS-2, mostrando desta forma que sub-produtos sem valor econômico da indústria mineral do Mn podem se transformar em materiais com valor agregado e de grande relevância tecnológica nas áreas de pilhas, baterias e química sustentável

31
  • MIRNA BRITO MALCHER PEDROSO
  • ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E DE SAÚDE DE TRABALHADORES EM CARVOARIAS EM SANTARÉM-PA

  • Orientador : MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A prática da produção de carvão vegetal para os mais diversos fins é historicamente relatada, sendo esta uma prática muito comum na Amazônia, mesmo sofrendo grandes intervenções por parte dos órgãos competentes fiscalizadores. A relação do homem com o trabalho por sua vez, vem sendo estudada há décadas e a relação do trabalho com a saúde do trabalhador vem ganhando destaque em pesquisas e principalmente atuação governamental para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Neste contexto, a carvoaria é descrita por diversos autores como um ambiente insalubre e que favorece ao adoecimento devido à extensa jornada de trabalho, à exposição ao calor intenso, fumaça e carregamento de peso. O carvoeiro é caracterizado como um trabalhador com diversos problemas sociais, econômicos e de saúde, pois a natureza de sua ocupação além de lhe expor a condições insalubres no ambiente de trabalho, gera dificuldades financeiras devido ao baixo custo da produção do carvão. Desta maneira, levando em consideração tais informações, o objetivo geral deste estudo é identificar os aspectos socioeconômicos e as possíveis alterações na saúde do trabalhador de carvoarias no município de Santarém, no Estado do Pará e como objetivos específicos: delinear o perfil socioeconômico do trabalhador carvoeiro; identificar os principais fatores relacionados às condições de saúde do trabalhador de carvoarias e identificar as possíveis alterações na saúde do trabalhador carvoeiro. O estudo apresenta-se através de pesquisa de campo com embasamento bibliográfico a partir de abordagem qualitativa e quantitativa do tipo exploratória descritiva, o qual foi desenvolvido em 6 carvoarias, com público alvo de 21 trabalhadores, de ambos os gêneros e acima de 18 anos. Foi aprovado pelo CEP do Instituto Esperança de Ensino Superior-IESPES, com parecer nº 2.238.660, sendo utilizado o TCLE com todos os participantes. Para a coleta dos dados foi utilizado o formulário semiestruturado e realizados exames de sangue para medição de níveis de COHb, a espirometria e o radiológico de tórax, com todos os trabalhadores da amostra. Os dados coletados foram tabulados, interpretados e analisados, sendo dispostos posteriormente em tabelas e gráficos. Com a realização desta pesquisa identificou-se que há uma predominância do gênero masculino entre os trabalhadores, baixa escolaridade, a grande maioria estão na faixa etária acima dos 50 anos, exercem a atividade por até 7 dias semanais, não utilizam EPI, cobertura vacinal insatisfatória, entre os acidentes de trabalho com maiores relatos estão a furada de prego, não praticam atividade física, detectou-se trabalhadores hipertensos e diabéticos, fumantes, predominância de queixa de dor na coluna, além de alterações radiológicas importantes como fibrose e nódulo pulmonar.

32
  • MIRNA BRITO MALCHER PEDROSO
  • ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E DE SAÚDE DE TRABALHADORES EM CARVOARIAS EM SANTARÉM-PA

  • Orientador : MAXWELL BARBOSA DE SANTANA
  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A prática da produção de carvão vegetal para os mais diversos fins é historicamente relatada, sendo esta uma prática muito comum na Amazônia, mesmo sofrendo grandes intervenções por parte dos órgãos competentes fiscalizadores. A relação do homem com o trabalho por sua vez, vem sendo estudada há décadas e a relação do trabalho com a saúde do trabalhador vem ganhando destaque em pesquisas e principalmente atuação governamental para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Neste contexto, a carvoaria é descrita por diversos autores como um ambiente insalubre e que favorece ao adoecimento devido à extensa jornada de trabalho, à exposição ao calor intenso, fumaça e carregamento de peso. O carvoeiro é caracterizado como um trabalhador com diversos problemas sociais, econômicos e de saúde, pois a natureza de sua ocupação além de lhe expor a condições insalubres no ambiente de trabalho, gera dificuldades financeiras devido ao baixo custo da produção do carvão. Desta maneira, levando em consideração tais informações, o objetivo geral deste estudo é identificar os aspectos socioeconômicos e as possíveis alterações na saúde do trabalhador de carvoarias no município de Santarém, no Estado do Pará e como objetivos específicos: delinear o perfil socioeconômico do trabalhador carvoeiro; identificar os principais fatores relacionados às condições de saúde do trabalhador de carvoarias e identificar as possíveis alterações na saúde do trabalhador carvoeiro. O estudo apresenta-se através de pesquisa de campo com embasamento bibliográfico a partir de abordagem qualitativa e quantitativa do tipo exploratória descritiva, o qual foi desenvolvido em 6 carvoarias, com público alvo de 21 trabalhadores, de ambos os gêneros e acima de 18 anos. Foi aprovado pelo CEP do Instituto Esperança de Ensino Superior-IESPES, com parecer nº 2.238.660, sendo utilizado o TCLE com todos os participantes. Para a coleta dos dados foi utilizado o formulário semiestruturado e realizados exames de sangue para medição de níveis de COHb, a espirometria e o radiológico de tórax, com todos os trabalhadores da amostra. Os dados coletados foram tabulados, interpretados e analisados, sendo dispostos posteriormente em tabelas e gráficos. Com a realização desta pesquisa identificou-se que há uma predominância do gênero masculino entre os trabalhadores, baixa escolaridade, a grande maioria estão na faixa etária acima dos 50 anos, exercem a atividade por até 7 dias semanais, não utilizam EPI, cobertura vacinal insatisfatória, entre os acidentes de trabalho com maiores relatos estão a furada de prego, não praticam atividade física, detectou-se trabalhadores hipertensos e diabéticos, fumantes, predominância de queixa de dor na coluna, além de alterações radiológicas importantes como fibrose e nódulo pulmonar.

33
  • ANTONIO JOSÉ MOTA BENTES
  • GESTÃO FLORESTAL E QUALIDADE DE VIDA EM UM PROJETO DE ASSENTAMENTO RURAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: PERCEPÇÕES DE ASSENTADOS E GESTORES

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A gestão florestal é uma preocupação atual e global. Os assentamentos no Brasil têm possibilitado uma série de estudos e discussões em relação a sua viabilidade e sobre as políticas públicas implementadas pelo Estado, visando ao desenvolvimento sustentável desses territórios. A Reforma Agrária entrou na agenda sobre o desmatamento da Amazônia. Diante disso, este estudo propõe analisar a gestão e uso da floresta em um assentamento de reforma agrária na Amazônia Brasileira, a partir da percepção dos sujeitos sociais envolvidos, partindo-se da hipótese de que gestores e assentados constroem uma percepção sobre o território e seus recursos naturais, e estabelecem uma concepção de gestão que ocorre a partir de diferentes óticas de uso desses espaços. A metodologia de pesquisa foi baseada em um estudo de caso realizado no Projeto de Assentamento Moju I e II, localizado na área de influência da BR 163, nos municípios de Mojuí dos Campos e Placas, Pará. Utilizou-se ainda a pesquisa bibliográfica e documental para a busca de informações secundárias, e a pesquisa de campo com coleta de dados primários, em forma de entrevistas com perguntas semiestruturadas para levantamento das percepções das famílias e agentes governamentais envolvidos no estudo. A pesquisa de campo foi realizada em seis comunidades, com amostra de 63 famílias. Desta forma, compreendeu-se como as famílias do assentamento rural estudado e os gestores públicos percebem a gestão florestal no nível da dimensão territorial (o assentamento). Além de identificar de que forma essas percepções contribuem ou não para o uso sustentável dos recursos florestais, para a sua conservação, aprimoramento de políticas públicas e a qualidade de vida dos assentados.

34
  • ANTONIO JOSÉ MOTA BENTES
  • GESTÃO FLORESTAL E QUALIDADE DE VIDA EM UM PROJETO DE ASSENTAMENTO RURAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: PERCEPÇÕES DE ASSENTADOS E GESTORES

  • Orientador : THIAGO ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A gestão florestal é uma preocupação atual e global. Os assentamentos no Brasil têm possibilitado uma série de estudos e discussões em relação a sua viabilidade e sobre as políticas públicas implementadas pelo Estado, visando ao desenvolvimento sustentável desses territórios. A Reforma Agrária entrou na agenda sobre o desmatamento da Amazônia. Diante disso, este estudo propõe analisar a gestão e uso da floresta em um assentamento de reforma agrária na Amazônia Brasileira, a partir da percepção dos sujeitos sociais envolvidos, partindo-se da hipótese de que gestores e assentados constroem uma percepção sobre o território e seus recursos naturais, e estabelecem uma concepção de gestão que ocorre a partir de diferentes óticas de uso desses espaços. A metodologia de pesquisa foi baseada em um estudo de caso realizado no Projeto de Assentamento Moju I e II, localizado na área de influência da BR 163, nos municípios de Mojuí dos Campos e Placas, Pará. Utilizou-se ainda a pesquisa bibliográfica e documental para a busca de informações secundárias, e a pesquisa de campo com coleta de dados primários, em forma de entrevistas com perguntas semiestruturadas para levantamento das percepções das famílias e agentes governamentais envolvidos no estudo. A pesquisa de campo foi realizada em seis comunidades, com amostra de 63 famílias. Desta forma, compreendeu-se como as famílias do assentamento rural estudado e os gestores públicos percebem a gestão florestal no nível da dimensão territorial (o assentamento). Além de identificar de que forma essas percepções contribuem ou não para o uso sustentável dos recursos florestais, para a sua conservação, aprimoramento de políticas públicas e a qualidade de vida dos assentados.

SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2