Banca de DEFESA: ANDREA RENI MENDES MARDOCK

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDREA RENI MENDES MARDOCK
DATA: 29/06/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Campus Amazonia
TÍTULO: Política de Humanização do SUS na formação Médica no interior da Amazônia
PALAVRAS-CHAVES: HUMANIZAÇÃO. SUS. FORMAÇÃO MÉDICA. GIESC. AMAZÔNIA.
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO: Este estudo aborda a Política de Humanização do SUS na formação médica no interior da Amazônia. Objetivou-se analisar como se manifesta a presença da Política de Humanização do SUS, a partir do módulo GIESC, na formação do futuro médico da UEPA Campus Santarém. Para isto, pretendeu-se compreender o processo de Humanização no Sistema Único de Saúde a partir da percepção de discentes, docentes e coordenadora do curso estudado; traçar o perfil profissional do graduado em medicina da UEPA com relação a Política de Humanização do SUS; mapear as alterações quanto ao objeto estudado, analisando o PPC-2015 em relação ao PPP-2005 do curso de medicina UEPA; identificar as contribuições da prática humanizada na formação do futuro médico da UEPA a partir da mudança do Módulo INC para o Módulo GIESC. A metodologia é de abordagem qualitativa, descritiva, com recorte temporal do estudo de caso micro etnográfico no período de 2014 a 2017, com proposta de instalação do Grupo de Formação Reflexiva (GFR) com os docentes do curso estudado. Na coleta dos dados empíricos utilizou-se a entrevista semiestruturada com a coordenadora e docentes e o questionário padrão PRAXIS aos discentes do referido curso. Compuseram a amostra do estudo 87 discentes, 09 docentes e 01 coordenadora do curso de medicina do Campus XII da Universidade do Estado do Pará, de Santarém-Pará, totalizando 97 participantes, e essa pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) desse Campus, bem como os dados coletados foram tratados com análise de conteúdo de Bardin (2011). Os resultados do estudo demonstram que, o curso de medicina analisado forma médicos éticos e humanistas, como preconizam as Diretrizes Curriculares Nacionais para a área, com consciência da sua importância no contexto da sociedade, o quanto eles podem mudar, o quanto podem contribuir, desde que tenham humanidade de apreender que a medicina é uma profissão eminentemente social. Verificou-se também que discentes, docentes e coordenadora do curso percebem dificuldades no processo de formação médica, dentre elas destacam a alta rotatividade de docentes, por falta de concurso público, bem como a necessidade em priorizar algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para aulas dos módulos analisados. No entanto, constatou-se que os módulos que mais contribuem para a formação humanizada do futuro médico desta IES são INC, GIESC e Humanidades Médicas, conduzidos por metodologias ativas, justificando ser neles onde vivenciam a medicina desde o início - a humanização do cuidado por meio de prática médica contínua e integrada com as demais ações e instâncias de saúde, condizentes com as demandas do Sistema Único de Saúde. Contudo, as práticas do processo ensino - aprendizagem, legitimadas pela integração da realidade imediata à própria formação inicial são um grande desafio, principalmente no interior da Amazônia. Afirma-se que Educação na Saúde é essencial para a edificação de um SUS para todos e com um atendimento humanizado e de qualidade.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1030394 - TANIA SUELY AZEVEDO BRASILEIRO
Externo ao Programa - 2207214 - ROMUALDO XAVIER DE OLIVEIRA LIMA
Externo à Instituição - EDNA FERREIRA COELHO GALVÃO - UEPA
Externo à Instituição - ILMA PASSOS ALENCASTRO VEIGA - UnB
Notícia cadastrada em: 30/05/2018 16:42
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2