Banca de DEFESA: PATRÍCIA SANTOS SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PATRÍCIA SANTOS SILVA
DATA : 06/11/2019
HORA: 08:30
LOCAL: sala 319
TÍTULO:

TRATAMENTO BIOLÓGICO DE EFLUENTES DO PROCESSAMENTO DA MANDIOCA: INCENTIVO SUSTENTÁVEL AS UNIDADES PRODUTORAS DE FARINHA


PALAVRAS-CHAVES:

qualidade de vida, processo anaeróbio, agroindustriais, tratamento


PÁGINAS: 107
RESUMO:

A mandioca é um cultivo de destaque no Brasil, com elevada produção e consumo. Do seu beneficiamento surgem a farinha ou fécula como produtos finais, a partir de diferentes tipos de processamento. Nesse contexto são gerados resíduos sem destino adequado, a exemplo da manipueira e da água residual de puba. Esses efluentes são ricos em matéria orgânica, com baixo pH e presença de cianeto. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência de tratamento biológico dos efluentes, como forma de incentivo sustentável as unidades produtoras de farinha. O experimento consistiu de três sistemas, sendo utilizados lagoas facultativas (L1, L2 e L3) e reatores UASB (U1, U2 e U3) onde cada um tratou afluente com as seguintes proporções: (A1) esgoto bruto e água de puba (6:4); (A2) esgoto bruto e manipueira (9:1) e (A3) esgoto bruto, água de puba e manipueira (6:3:1). Todos foram monitorados e avaliados através de análises físicas e químicas, os quais foram diluídos a 150 litros/por semana de preparação. A caracterização da manipueira apresentou os seguintes resultados: pH (28,7 °C) 4,51; cianeto total de 297 mg. L-1 e DQOt de 42101 mg. L-1. Enquanto aos resultados de água de puba foram encontrados: pH (27,2 °C) 3,85; cianeto total de 27,6 mg. L-1 e DQOt de 11124 mg. L-1. A estabilização do pH das lagoas em relação ao afluente apresentou em todos os cinco ciclos de partida de tratamento dentro do recomendado para a capacidade tampão dos reatores UASB. Com relação a CN, as lagoas (L1, L2 e L3) removeram respectivamente 79%, 70% e 69%. Para remoção de DQO foram obtidos em torno de 60% para o sistema 1 (L1 – U1), 59% para o sistema 2 (L2 - U2) e 55% de remoção no sistema 3 (L3 – U3). Os efluentes tratados dos reatores UASB demonstraram teores importantes de NTK, NH4+, Pt e PO43- para o reuso na fertirrigação. Portanto os sistemas de tratamento apresentaram viabilidade técnica e econômica na utilização de processos biológicos na elevação do pH e na remoção de cianeto, bem como, na qualidade ambiental com a retirada de grande parte da matéria orgânica biodegradada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2143922 - ISRAEL NUNES HENRIQUE
Interno - 2142681 - BRUNO APOLO MIRANDA FIGUEIRA
Externo ao Programa - 2137442 - CARLOS CELIO SOUSA DA CRUZ
Externo à Instituição - JOSE TAVARES DE SOUSA - UEPB
Notícia cadastrada em: 27/09/2019 15:55
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1