Banca de DEFESA: ASSIS JUNIOR CARDOSO PANTOJA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ASSIS JUNIOR CARDOSO PANTOJA
DATA : 29/11/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 319, Unidade Amazônia
TÍTULO:

O BRINCAR DE CRIANÇAS QUILOMBOLAS NA COMUNIDADE DE TININGÚ, SANTARÉM NO PARÁ: CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO MOTOR INFANTIL


PALAVRAS-CHAVES:

Crianças quilombolas; Brincar; Desenvolvimento Motor


PÁGINAS: 110
RESUMO:

A criança é um sujeito histórico que produz cultura e possui direitos, assim como constrói sua identidade pessoal e coletiva, nas interações e práticas cotidianas que vivencia, brinca, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e estabelece sentidos sobre a natureza e a sociedade, independentemente do contexto onde ela está inserida. O brincar é uma característica universal que varia de acordo com cada cultura e quando a criança brinca livremente, explora tudo o que está em sua volta, raciocina, faz descobertas, persiste, aprende e expressa suas sensações relacionando o real e o imaginário. Os comportamentos infantis como as brincadeiras e suas relações com o desenvolvimento motor, em contextos específicos, como os de comunidades quilombolas, constitui em um promissor campo de pesquisa devido a influência de variáveis ambientais e socioculturais. O objetivo geral dessa pesquisa foi analisar as contribuições do brincar de crianças na terceira infância para o desenvolvimento motor infantil em uma comunidade remanescente de quilombos no município de Santarém-PA. A pesquisa em questão foi realizada na comunidade quilombola Tiningú, próximo à cidade de Santarém no Pará, localizada na região rural do Oeste do Pará, às margens do rio Maicá, a 47 Km da área Urbana de Santarém. Participaram 18 crianças, sendo 11 meninas e 7 meninos que se encaixavam na terceira infância com idades entre 7 e 11 anos. Os dados foram coletados de diferentes maneiras: para os dados relativos ao brincar, utilizou-se a técnica do desenho, seguido de duas perguntas ligadas aos espaços do brincar e os tipos de brincadeira;para a avaliação do desempenho motor foi utilizada a Escala de Desenvolvimento Motor de Rosa Neto (2002). Como instrumento adicional de coleta de dados foi utilizado o diário de campo,pelo pesquisador. Os dados oriundos dos desenhos e das respostas às questões foram transcritos e quantificados. Os dados referentes ao desenvolvimento motor foram analisados de forma qualitativa e quantitativa. As falas das crianças, no decorrer da aplicação das técnicas de coleta de dados, foram gravadas e transcritas para o diário de campo. Quanto aos espaços, os dados indicaram que as crianças pesquisadas preferem brincar ao ar livre, em meio a natureza, sendo essa a classificação: Lado de casa (33,33%), Igarapé (22,22%), campo de futebol (22,22%). Quanto aos tipos de brincadeira, os resultados mais prevalentes foram: brincar de bola (31,03%). Foram identificadas diferenças de gênero quanto aos espaços do brincar: meninos preferiram lugares mais distantes de suas casas e meninas optaram por espaços mais próximos. A segregação por gênero foi identificada também nos tipos de brincadeira: meninos mostraram predileção por brincar de bola enquanto meninas indicaram preferir brincar de casinha. Quanto ao perfil motor, as classificações revelaram resultados satisfatórios (média = 96,92 meses), dentro da normalidade, porém, ao analisar esses resultados de forma mais específica, percebeu-se que há variações da média dessa normalidade para baixo e para acima. Os fatores influenciadores para as médias subirem foram os resultados das áreas motoras da Motricidade fina, global e equilíbrio, enquanto que para a baixa foram as de Esquema corporal, Organização Espacial e Temporal. Em se tratando das contribuições do brincar para o desenvolvimento motor, identificou-se que os espaços do brincar, a frequência da brincadeira nesses espaços e os tipos de brincadeiras podem ser fatores que contribuem para os resultados alcançados no desenvolvimento. A pesquisa agregou aos estudos sobre o brincar, trazendo dados de um contexto específico e gerou informações que poderão ser utilizadas para promover qualidade de vida às crianças da comunidade pesquisada.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1717734 - DENNISON CELIO DE OLIVEIRA CARVALHO
Presidente - 1552900 - IANI DIAS LAUER LEITE
Externa à Instituição - ILKA DIAS BICHARA - UFBA
Externa à Instituição - SILVANIA YUKIKO LINS TAKANASHI - UEPA
Interno - 1776327 - THIAGO ALMEIDA VIEIRA
Notícia cadastrada em: 27/11/2019 14:20
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2