Banca de DEFESA: DANIELY LEAL DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIELY LEAL DA COSTA
DATA : 28/11/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 319 Unidade Amazônia
TÍTULO:

FUNCIONALIDADE PÉLVICA E QUALIDADE DE VIDA DE AGRICULTORAS DO INTERIOR DA AMAZÔNIA


PALAVRAS-CHAVES:

Atividade Laboral. Funcionalidade Pélvica. Qualidade de Vida. Agricultoras.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Observa-se uma crescente valorização e empoderamento feminino em vários espaços da sociedade contemporânea, inclusive na área rural. As agricultoras acabam somando diversas tarefas o que pode impactarde maneira negativa em sua saúde e qualidade de vida. O presente estudo teve como objetivo analisar as relações entre as práticas laborais, funcionalidade pélvica e qualidade de vida das agricultoras de uma comunidade na região Oeste do Pará, no interior da Amazônia. Para tanto, o trabalho foi organizado no formato de 3 artigos. O primeiro artigo traz uma análise das autopercepções quanto àqualidade de vida das mulheres participantes, realizada por meio de uma entrevista e uma aplicação de questionário trazendo perguntas abertas e fechadas respectivamente. Observou-se que as agricultoras relatam aspectos positivos e negativos de viver e trabalhar no interior da Amazônia, estando sua qualidade de vida em uma escala regular, segundo as mesmas. O segundo artigo objetiva analisar as condições de saúde geral das agricultoras. Analisou-se os movimentos mais repetidos na pratica laboral e foi realizado um exame físico nas mesmas, com obtenção de fotografias em visão anterior, lateral, posterior e de flexão de tronco. Observou-se que 100% da amostra possui quadros álgicos, a grande maioria possui distúrbios posturais e as maiores queixas estão relacionadas ao sistema osteomioarticular, sofrendo influência das práticas realizadas por elas. O 3° capítulo avaliou a funcionalidade pélvica das agricultoras. Foi realizado um exame do assoalho pélvico em local adequado, quantificado a força muscular através de um perineômetro e avaliado a ativação do assoalho pélvico e musculatura abdominal nos movimentos mais realizados durante o trabalho das mesmas. Evidenciou-se que 53% da amostra possuem prolapsos, 53% possui dor pélvica e 38% apresenta incontinência urinária de esforço. Através da eletromiografia dinâmica foi possível inferir a relação da musculatura do assolho pélvico com a prática da agricultura no interior da Amazônia. Entende-se que se faz necessário ações de promoção a saúde e melhorias nos domínios de responsabilidade governamentais a fim de promover melhor qualidade de vida para este público.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1552900 - IANI DIAS LAUER LEITE
Interno - 1776327 - THIAGO ALMEIDA VIEIRA
Externa à Instituição - RUTH HELENA CRISTO ALMEIDA - UFRA
Externo à Instituição - RODRIGO LUIS FERREIRA DA SILVA - UEPA
Notícia cadastrada em: 27/11/2019 14:21
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2