Banca de DEFESA: HABIA SANTOS DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HABIA SANTOS DE MELO
DATA : 26/01/2021
HORA: 16:45
LOCAL: Universidade Federal do Oeste do Pará, Campus Tapajós, via Remota webconf
TÍTULO:

CULTURA, IDENTIDADE E MEMÓRIA DOS ÍNDIOS PARAKANÃ: PERDAS E GANHOS NO PROCESSO TRANSITÓRIO DE RECOMPOSIÇÃO TERRITORIAL


PALAVRAS-CHAVES:

Awaeté Parakanã. Cultura. Identidade. Memória


PÁGINAS: 114
RESUMO:

Os Awaeté Parakanã são povos de recente contato que preservam vivas as marcas mais importantes de sua cultura: danças, língua, pintura, organização econômica e política, e estrutura educacional autônoma. Dessa forma a pesquisa busca compreender a cultura, identidade e memória dos índios Parakanã: perdas e ganhos no processo transitório de recomposição territorial. Analisar-se-á as vertentes históricas e culturais que norteiam a construção dos saberes repassados nas gerações. No cerne desse discurso nasce a problemática dessa pesquisa a partir do processo transitório de habitação da atual Terra Indígena Parakanã, habitada pelos índios Awaeté Parakanã. Nessa região, no sudeste do Pará, às margens dos rios Pucuruí, Bacuri, Direita e Pacajazinho, entre as cidades de Novo Repartimento, Itupiranga e Jacundá, encontra-se a Terra Indígena Parakanã, seus habitantes deram início nos anos setenta a um novo estilo de vida bastante próprio à lógica da natureza, mas concentrado numa área que o Estado brasileiro à época dera o nome de Reserva Indígena. Neste sentido, nossa questão científica diz respeito ao atual estágio cultural, identitário e memorial do povo Awaeté Parakanã, interrogando sobre perdas e ganhos desde a saída da região anterior até o presente local. A pesquisa se justifica por conta de que é preciso estudos mais aprofundados e investigações mais apropriadas de como mudanças abruptas de locais e modos de vida que interferem na continuidade do modelo tradicional de cultura de uma determinada sociedade originária. A pesquisa se evidencia complexa por conta de que essas mudanças abruptas, no caso de nosso foco de pesquisa, ocorreram sob a intervenção branca em espaço já ancestralizado pelos Awaeté Parakanã. Cabe registro apropriado de como os Awaeté Parakanã se percebem nos tempos atuais em relação ao período prévio à implantação de seu território pela Funai. Investigamos os contextos históricos dos Awaeté Parakanã desde o período prévio ao contato branco na busca de uma compreensão da significação cultural do território para os Awaeté Parakanã; verificar como tem ocorrido a formação indenitária e memorial dos Awaeté Parakanã na recomposição de seu novo território. A pesquisa foi feita a partir de registros históricos, documentais, evitando o contato presencial, por conta do problema da biossegurança em relação à comunidade indígena pesquisa nesses tempos de Pandemia do Novo Coronavírus. Espera-se que essa pesquisa possa servir de base na reconstrução cultural dos povos originários.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1794508 - ITAMAR RODRIGUES PAULINO
Interna - 2160202 - ALANNA DO SOCORRO LIMA DA SILVA
Externo à Instituição - AUGUSTO RODRIGUES DA SILVA JUNIOR - UnB
Externa à Instituição - ADRIANA APARECIDA DE FIGUEIREDO FIUZA
Notícia cadastrada em: 19/01/2021 11:41
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - srvapp2.ufopa.edu.br.srv2inst1