Tema de Debate virtual internacional, “Hábitos culturais em tempos de pandemia: sensibilidades humanas, inquietação, saúde e qualidade de vida” é publicado em formato E-Book

O Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Ambiente e Qualidade de Vida, em parceria com o Programa de Pesquisa e Extensão Cultura, Identidade e Memória na Amazônia, da Ufopa, juntamente com a Cátedra Agostinho da Silva e o Instituto de Letras, da Universidade de Brasília, promoveram um Encontro Virtual (LIVE-ON) sobre: “Hábitos culturais em tempos de pandemia: sensibilidades humanas, inquietação, saúde e qualidade de vida” em 15 de junho de 2020. A parceria resultou num forte debate sobre o tema e na produção e publicação do E-Livro Hábitos Culturais em tempos de Pandemia.

 

O Encontro teve como objetivo uma discussão internacional sobre hábitos culturais antes, durante e após os tempos de pandemia, especialmente os tempos da Sars-CoVid-19. Professores e pesquisadores de Santarém, no Pará, de Brasília e de Nairobi, no Quênia, debateram sobre a relevância de investigar a relação intrínseca entre sensibilidades humanas, desassossegos, saúde e qualidade de vida, como manifestações de hábitos culturais em tempos de pandemia.


Segundo os organizadores, a proposta foi apresentar aos participantes os desassossegos sobre a Pandemia, já que o mundo foi pego em uma situação de decisão imediata, com governos e indivíduos tendo de se posicionar e até mesmo forçar as pessoas a mudanças radicais em seus hábitos socioculturais e pessoais. Diante do impacto social nunca antes visto na história do mundo e para tentar evitar a transmissão comunitária entre pessoas, autoridades políticas e de saúde iniciaram processos para produzir novas rotinas ou novos hábitos, que fossem mais saudáveis, e que pudessem reduzir o número de infectados. Assim, estratégias de distanciamento social ou mesmo isolamento social, a obrigação de usar máscaras em ambientes públicos, a higienização adequada das mãos com água e sabão ou álcool tornaram-se estratégias imediatas e eficazes para controlar a doença, enquanto não há previsão de produção de uma vacina capaz de agir contra o vírus e, assim, evitar a contaminação e a morte de pessoas.

Tomaram parte no debate os professores da Ufopa, Dra. Alanna do Socorro Lima da Silva, Dr.  Itamar Rodrigues Paulino e Dr. Maxwell Barbosa de Santana. Da UnB de Brasília, o professor Dr. Augusto Rodrigues da Silva Junior, da Universidade Kenyatta em Nairobi, a professora Dra. Salome Nyambura. Também colaboraram as egressas do Programa de PPGSAQ e membros do ProextCIMA, Elian Karine Serrão da Silva e  Eloisa Amorim de Barros


O resultado do debate acaba de se transformar em um E-livro que pode ser acessado e baixado aqui mesmo em nosso site. Os discursos dos convidados provocaram mais dúvidas do que respostas. No entanto, isso é importante, pois é através de perguntas que podemos sentir um ponto de esperança comum em superar a tragédia da pandemia no mundo: o sentimento de mais necessidade de vida social em tempos de distância social ou isolamento social.

 

Para visualizar o Livro Eletrônico basta baixar o arquivo.

Notícia cadastrada em: 21/01/2021 10:19
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação - (00) 0000-0000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - srvapp1.ufopa.edu.br.srv1inst2